Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“SERÁ MESMO IMPERIOSO DEMOLIR O DEPÓSITO”?

Zé LG, 03.11.15

“NÃO DERRUBEM O QUE ESTÁ FEITO”!
Não tenho a mínima competência técnica que me habilite a contribuir para alternativas. Tal facto não me isenta de opinar. Conservem-no, reparem-no. Não derrubem o que está feito.
Jose Ambrosio Silva, 13/10 às 15:41

 

“SERÁ MESMO IMPERIOSO DEMOLIR O DEPÓSITO”?
Tal como o Jose Ambrosio Silva não tenho competências técnicas para seja o que for quanto ao depósito de água, mas sobram-me, tal como a muitos milhares, competências em afectos a uma cidade que tenho vindo a ver passar a destroços com o culminar num Programa Polis aproveitado para verdadeiros atentados: que dizer do aborto Avª Miguel Fernandes, da aberração Pª da República, do crime Jardim do Bacalhau? Sim! As expressões não são atrevimento, são a pura verdade!
A coberto da desculpa das ruínas romanas (que devem ser preservadas ao máximo e expostas aos bejenses e não só) pretender-se-á mais uma “obra do regime”? Ficar na história da cidade por mais um crime?
Interrogo-me: será mesmo imperioso demolir o depósito ou as obras de exposição do templo ficarão durante umas décadas como o museu in loco da Rua do Sembrano ficou?
António Aleixo, 13/10 às 20:53

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.