Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
03
Ago 18

Por aqui, pelas redes sociais, uma das práticas mais vulgarizadas é a de REFILAR. Refilamos contra (quase) tudo e todos de que não gostamos. E ficamos muito satisfeitos porque exercemos a nossa cidadania... Mas não tomamos a iniciativa de - e muitas vezes não aderimos, quando somos convocados para tal – reclamar ou reivindicar junto das entidades competentes aquilo que achamos que devem fazer, perante o que achamos que está mal e necessita de ser corrigido. E perante esta postura, tal como soe dizer-se, “vozes de burro não chegam ao céu”, sendo que nem sempre somos burros e nem sempre pretendemos que as nossas vozes cheguem “ao céu” mas sim a decisores bem terrenos. Mas se a este não chegam as nossas vozes, como queremos nós que tomem as decisões que achamos que devem tomar?...

publicado por Zé LG às 18:31
Acontece que há algum histórico que tem efeito dissuasor de iniciativas: os exemplos negativos, isto é, em que resultaram as poucas vezes em que alguns se atreveram a sair do comodismo e que conseguiram que a sua voz chegasse “ao céu”. Nesses casos, as suas palavras foram ignoradas e até serviram de pretexto para “castigos”.
Anónimo a 3 de Agosto de 2018 às 19:05
Refilar é também um sinal bem evidente de impotência e de revolta por algo que está mal, e que não conseguimos de forma alguma mudar ou modificar.
E começa logo pelo sistema politico e administrativo do país, com a famigerada regionalização à cabeça, que o povo português em plebiscito democrático votou de forma bem evidente contra.
Mas, que temos que levar com ela, queiramos ou não, e que esta semana teve mais um desenvolvimento com nova legislação para o efeito.
Que mais se pode fazer do que refilar?
Anónimo a 4 de Agosto de 2018 às 10:56
Desligar a TV e levantar o rabo do sofá.
Anónimo a 4 de Agosto de 2018 às 12:31
Parafraseando JFK, deixar de pensar no que o País deve fazer por nós e pensar no que podemos nós fazer por ele.
Anónimo a 4 de Agosto de 2018 às 13:56
Um doce a quem com a exceção aqui dos blogs e de forma anónima, consiga dizer em qualquer local que o rei vai nu, ou seja, que a famigerada regionalização esta a destruir o pais rural, levando à sua desertificação e abandono.
Anónimo a 5 de Agosto de 2018 às 12:16
"É imperativo mudar de rumo" diz a AMALENTEJO, Associação claramente pró-regionalização. Em que ficamos?
Agosto 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
“Meter a cabeça na areia” é mais fácil pensamento!
Ora aqui está uma excelente ideia.Parece que a per...
Afinal a máquina que o Rocha adquiriu já está a fa...
Tens razão João, agora é mais Flamingos...
Podias era responder às questões que se colocam e ...
Bares de "Flamengo"? Asneira, pois claro.
https://entreasbrumasdamemoria.blogspot.com/2018/0...
Porra até que enfim! Ainda falta a marcação no pav...
Ena tanta gente preocupada que Beja venha a ser no...
É só fumaça.
Desculpe?? Debater com seriedade??Chamando aos out...
Falta assumirmos nós uma atitude pedagógica.
Só há problema quando há teimosa tenacidade “cultu...
Badamerda com o Hitler. E não tenho duvida alguma ...
blogs SAPO