Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“O voto num ou noutro candidato à CCDR é credibilizar o logro”, considera o PCP

Zé LG, 13.10.20

imgLoader2.ashx.jpgA frase está inscrita nesta entrevista: “Sem prejuízo do exercício do direito de voto”. Será, pois, “sem prejuízo do exercício do direito de voto”, ou seja, exercendo o direito de voto, que os autarcas eleitos pelo PCP irão ter um papel decisivo na escolha do futuro presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo.

As eleições realizam-se hoje. E, no caso do Alentejo, com dois candidatos à presidência: Ceia da Silva, cuja candidatura foi apresentada com o apoio dos presidentes das federações socialistas de Portalegre, Évora e do Baixo Alentejo. E Roberto Grilo, atual presidente da CCDR Alentejo, que se apresenta a votos como independente, embora sendo militante do PSD. A opção de Ceia da Silva “é um problema e uma opção de Ceia da Silva e do PS”, diz em entrevista ao “Diário do Alentejo” o responsável pela Organização Regional do Alentejo do PCP, João Dias Coelho, sublinhando que, independentemente do voto, os comunistas estão contra um modelo que irá “manter” as CCDR “como uma estrutura desconcentrada sobre a tutela do governo e dependente das suas decisões”.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.