Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

MUNHOZ FRADE ACUSA CA DA ULSBA DE LHE MOVER PERSEGUIÇÃO PROFISSIONAL

Zé LG Zé LG, 13.07.16

mf.jpg

«Uma vez que aqui foi abordado o contexto de perseguição envolvendo a minha pessoa, entendo ter o direito de esclarecer a comunidade em que vivo e para a qual trabalho da existência de um conjunto de ações há muito levadas a cabo pelo CA da ULSBA, que em meu entender configuram objectivo prejuízo profissional:

1. Bloqueio de progressão profissional, não abrindo procedimento concursal para vaga em categoria superior (desde o início do mandato anterior até aos dias de hoje);
2. Tentativa de imposição forçada e inexplicada de mudança de Serviço (fevereiro de 2012);
3. Inexplicada retirada da Chefia de Equipa de Urgência, contra a opinião do então Director desse Serviço (novembro de 2012);
4. Encerramento de Fórum profissional na intranet, sem prévio aviso nem justificação (julho de 2013);
5. Afirmações difamatórias não fundamentadas em Conferência de Imprensa (setembro de 2013).
Que fique assim ao juízo dos leitores a veracidade da afirmação do CA que "não perseguiu qualquer trabalhador"...»

Munhoz Frade a 13 de Julho de 2016 às 16:52, AQUI.

8 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Francisco 14.07.2016


    Este artigo,fresquinho de hoje num jornal nacional,vem bem a propósito do que se tem passado na ULSBA nos últimos anos.
    E a Dra. Mariana Raposo que o tem sentido na pele quer em trabalho quer no que estamos a assistir.


    "O papel dos administradores hospitalares


    A carreira de administração hospitalar existe desde 1968, tendo ficado consagrada a exigência do curso de administração hospitalar como habilitação indispensável.

    Em 1980, a carreira é revista e o exercício de funções é feito, em comissão de serviço, após concurso público nacional. O ingresso fica reservado a licenciados que tenham obtido diploma em Administração Hospitalar pela Escola Nacional de Saúde Pública. A progressão na carreira é feita mediante o tempo de exercício profissional, avaliação positiva por comissão de avaliação constituída por administradores hospitalares e provas (apresentação e discussão de trabalho preparado para o efeito).

    No final da década de 1988 é criada a figura de administrador-delegado enquanto membro dos recém-criados Conselhos de Administração (CA). Todos os elementos deste órgão colegial (entre 5 e 7) passam a ser nomeados por confiança política, não sendo exigido qualquer mecanismo transparente de recrutamento, formação específica, comprovação de competências e avaliação de desempenho. Paralelamente, as remunerações de todos os membros do CA são aumentadas significativamente.

    A partir da empresarialização dos hospitais, em finais de 2002, cessaram os concursos de ingresso e de acesso na carreira de administração hospitalar. Os diplomados em administração hospitalar passaram a ser contratados em regime de contrato individual de trabalho sem acesso a formação contínua, avaliação de desempenho e possibilidade de progressão de carreira.

    Os hospitais são organizações extraordinariamente complexas pela utilização intensiva de recursos humanos, capital, tecnologia e conhecimento. Peter Drucker afirma mesmo que representam a forma mais complexa de organização humana que alguma vez se pretendeu gerir. Efetivamente, longe vai o tempo em que se acreditava que as organizações de saúde eram tão simples de gerir que poderiam ser facilmente lideradas por profissionais não preparados. Assim, não é aceitável que a administração seja desempenhada por políticos, curiosos ou profissionais de saúde sem um conhecimento profundo dos métodos e dos instrumentos de gestão hospitalar.

    Certamente que o conhecimento e a competência necessários não se adquirem através de cursos em horário pós-laboral sem qualquer avaliação de conhecimentos. Não podem existir dúvidas de que a qualidade dos gestores e de dirigentes depende da sua formação e experiência e dos conhecimentos, capacidades e competências que detêm.

    Neste contexto, é imperativo garantir um consenso alargado para um quadro de qualificação da administração hospitalar// gestão em saúde, passando pela educação especializada, processo de recrutamento transparente, avaliação do desempenho e formação contínua.

    Por definição, os administradores hospitalares são os primeiros a exigir a profissionalização da gestão intermédia e de topo dos agrupamentos de centros de saúde, hospitais e unidades locais de saúde do SNS. Todos, sem exceção e sem demora, são bem-vindos a este movimento. Saibamos todos tirar as devidas ilações e consequências.

    Presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares"


    Diário de Notícias de hoje

  • Sem imagem de perfil

    Mariana Raposo-AH 14.07.2016

    Venho informar , aos leitores do blog, que na qualidade de arguida em processos disciplinares não divulgarei matéria de natureza secreta. Faco sim , a minha defesa sempre em sede própria . É isso que já está a acontecer.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 14.07.2016

    Só enquanto é arguida ... porque quando não o é, divulga tudo o que quer e lhe apetece.
    Não tem qualquer sentido de responsabilidade e de lealdade, conforme ficou provado com o anterior CA, tendo perdido o caso nos tribunais e pago todas as custas.
    Tem muita dificuldade em aprender.
    Haja gente com coragem para a suspender das funções ou solicitar ao ministro a sua demissão.
    A ULSBA, a cidade de Beja e o baixo Alentejo agradece.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 14.07.2016

    Mentira.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 14.07.2016

    Se ela divulgasse a informação de que dispõe já há muito que você e outros tais estavam a arder ou tinham ardido.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 14.07.2016

    A Sra. não está nomeada ,isso queria você e outros mais.
    Quão ridículo!
  • Sem imagem de perfil

    Um seu admirador do PCP 14.07.2016

    Oh Dra. Mariana , sabe muito bem como são os boys do seu partido .Têm todos muita sede de tachos e tachões, tal como os dos Merdosos do piso 6. Nao se intimide com essa gentinha que a Sra. não lhes deve nada e não precisa disso.Quanto ao resto ainda agora a procissao saiu da igreja. Defenda-se lá da PCA e do Conde que nem obrigado lhe dizem.A gente vai sempre aprendendo e nunca é tarde para aprender, como a Dra. sempre disse aos seus alunos e formandos. Os boys do PS é que teimam em não aprender ... sao " burr..calhos"...
    A Dra. tambem sabe que tem muita gente consigo e que os medíocres e oportunistad não a podem nem ver. Força, o PCP está consigo!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.