Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
24
Abr 16

ovi.2016-04-22 011.jpgAntónio Costa, primeiro-ministro do governo que conta com apoio parlamentar do PCP, veio à 33ª OVIBEJA e não teve (que eu visse) um único presidente de Câmara da CDU a recebê-lo. Nem sequer o de Beja, o que, se não foi a primeira vez, foi uma das raras em que tal aconteceu...

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República eleito com o apoio do PSD e do CDS, veio à mesma feira e foi recebido por presidentes de Câmaras da CDU,

alguns dos quais até publicaram, ovi.2016-04-23 035.jpg

no FB, fotografias em pose com ele.

 

Estes comportamentos devem ter explicação política. Gostava que me explicassem qual é, porque não consigo alcançá-la. Com quem é que podia interessar mais contactar, para tentar desbloquear qualquer problema da região ou do concelho? Com quem tem poder executivo ou com quem tem poder simbólico, de influência e pouco mais?

publicado por Zé LG às 09:57
Talvez a explicação (pu uma parte dela) esteja aqui : http://da.ambaal.pt/noticias/?id=9169
José Filipe Murteira a 24 de Abril de 2016 às 11:03
Fui ler o artigo que o J. F. Murteira aconselha e vou partilhar porque acho que está lá a explicação para muita coisa que se vai passando na nossa terra de gente de costas voltadas.

Enxadas

08-04-2016 9:25:34 A A A
Paulo Barriga

Há uma palavra que veste que nem uma luva na relação entre o Partido Comunista Português e o Partido Socialista: desconfiança. Não é para menos. A história da democracia portuguesa explica isso em meia-dúzia de episódios emblemáticos. Desde o 1 de Março ao 25 de Novembro. Desde o Verão Quente às Presidenciais de 1986. Desde o 1.º de Maio à Fonte Luminosa. A convivência entre os dois partidos nunca foi pera doce e a convergência entre si ainda menos o tem sido. Daí que o pacto de governação que segura o atual executivo seja visto, por um lado, como uma cana verde que pode vergar a qualquer instante. Ou, por outro, como uma verdadeira primavera que saltita sobre as esquerdas de Portugal. Numa primeira leitura, o entendimento real, desanuviado, entre o PCP e o PS ao nível do Governo da Nação só poderá trazer benefícios para o Alentejo. Num território em que a quase totalidade dos municípios pende para o lado destas duas entidades partidárias, não se poderá aguardar outra coisa. Mas será que é assim? Será que a aliança, há alguns anos atrás inimaginável, entre socialistas e comunistas portugueses, ao ponto de viabilizar um governo PS totalmente à esquerda, também se faz sentir para cá do Tejo? Será que crispação que se tem vindo a atenuar ao nível das cúpulas também míngua junto das bases, nomeadamente no Sul de Portugal? A resposta a estas questões parece ser negativa, pelo menos se se validar para análise o universo dos participantes do Congresso AMAlentejo, que decorreu em Troia, no passado sábado. A ideia que presidiu à reunião é boa e interessa, pelo menos a nível regional, a ambos os partidos: tratar de implementar o terceiro pilar do poder local, as regiões administrativas. Mas a desconfiança do costume levou o PS do Baixo Alentejo a achar que o PCP lhe estava a passar a perna. E que o melhor era nem aparecer em Troia. Assim aconteceu. Este, que era suposto ser um amplo congresso sobre a administração futura dos destinos do Alentejo, acabou por acontecer com excessiva ausência do PS. O que permitiu uma excessiva presença do PCP. Resultando deste desequilíbrio uma, mais uma, excessiva perda para o Alentejo e para os seus habitantes. Há outro momento político e social que define na perfeição a desconfiança histórica entre estes dois partidos: o processo de Reforma e de Contra-Reforma Agrária. Estamos em 2016, ano excelso das convergências à esquerda em Portugal. Mas o PS e o PCP do Alentejo continuam a discutir se as enxadas devem permanecer na posse de cada um ou se devem ser partilhadas. Assim, mais vale uma mão inchada…
LLP a 26 de Abril de 2016 às 16:31
Pois é meu caro LG... Surpreendido?
Não fui à Ovibeja mas tenho visto nas reportagens televisivas exatamente o que tão bem descreve no seu post e também já me tinha interrogado sobre o facto.
Post muito oportuno este, para nos fazer pensar.
Só vejo - à partida - dois motivos: em termos regionais e locais o PCP sempre teve e ainda tem na direita a sua melhor "bengala" e aliada. Há um "ódio" comum, por motivos diferentes, ao PS. O PC é constituído por pessoas inteligentes que sabem que é fundamental que uma parte do eleitorado tradicional do PSD e do CDS não desloque algumas centenas de votos para o PS em atos eleitorais autárquicos sob pena da CDU poder sofrer fortes perdas na região.
Daí este excesso "de graxa" de alguns autarcas CDU ao Presidente da República.
Outro motivo: alguns autarcas comunistas são mais próximos, ideologicamente e até no estilo de vida, do PSD do que propriamente do partido em que militam e pelo qual foram eleitos. Militam porventura no partido errado.
Quanto a fotos em pose com o Sr. Presidente da República nos FB pessoais, parece-me nitidamente de mais.
Infelizmente a vaidade prevalece muitas vezes sobre o bom senso.
Ah... isto talvez também explique, em parte, a votação residual do candidato Edgar Silva nas últimas Presidenciais: Traído também internamente por gente "grande" do PC (também publicaram fotografias nos seus FB´s ao lado de Edgar Silva)?
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 12:17
concordo plenamente com asua análise.Antes um bom comunista que um PS que nunca se sabe o que pens
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 17:22
E eu tenho alguma dificuldade em perceber as tuas dúvidas, LG.
Marcelo é o presidente de todos os portugueses, mesmo daqueles que nele não votaram. De modo que os democratas, que felizmente os há em todos os partidos, reconhecem este facto e atuam em conformidade.
Sobre as relações locais entre o PS e PCP não tarda pouco mais de que um ano com o aproximar da eleições autárquicas, que não comecem os ataques a nível institucional mas sobretudo a nível pessoal.
O que é que tu queiras agora?
Que andassem de mãos dadas, só porque a nível nacional há uma espécie de coligação entre os dois com o bloco?
Sobre António Costa e o seu governo.
Já te esqueceste que não só parou as poucas as obras em curso na região que vinham do anterior governo. Como nada consta no seu programa em relação à mesma, a não ser umas quantos promessas embrulhadas em papel molhado, que não convencem nem sequer os seus camadas da região como Pedro do Carmo. A quem se imagina o frete que teve que fazer para o acompanhar na visita.
Ora se este pensa desta forma, como é que achas que os autarcas da CDU ou até do seu próprio partido o deveriam receber aqui?
Com palmadinhas nas costas agradecendo-lhe o que tem feito pelo Baixo Alentejo?
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 12:52
Tem lógica.
Mas na mesma medida António Costa também é o Primeiro-Ministro de todos os portugueses.
Mesmo daqueles que não votaram nele.
E em bom rigor os autarcas precisam muito mais do 1.º Ministro do que do Presidente da República...
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 13:13
LG, isto nso surpreende ninguem.E o espelho do Baixo Alentejo em tudo.
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 14:09
Não, não tem lógica e nada a ver um com o outro.
António Costa é o 1º ministro de um governo do PS com apoio na Assembleia da Republica do PCP/CDU e do BE. E onde existe uma oposição do PSD e do CDS.
M. R .S. é Presidente da República, e que se saiba não há oposição alguma institucionalizada.
E é ao Presidente da República, como o símbolo máximo da nação, seja de que partido ou área politica for, que se diz após a sua eleição ser presidente de todos portugueses.
E nunca alguma vez ouvi ou li excepto agora que o 1º ministro era o 1º ministro de todos os portugueses, mas sim o 1º ministro de Portugal.
Convém sermos precisos nas palavras.
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 22:13
Um foi eleito,o outro não foi.
Anónimo a 24 de Abril de 2016 às 17:18
Exacto.
Quando é que aprendem que não há, nem nunca houve, primeiro-ministro eleito em Portugal.
Anónimo a 25 de Abril de 2016 às 09:26
Pegando no comentário do anónimo das 12.17, acerca dos “ódios” à esquerda, para além das tácticas e estratégias eleitorais, em particular nas autárquicas, muitas feridas com mais de 40 anos ainda estão abertas, na sequência dos anos quentes de 1975 e 1976. Bom seria que essas feridas já estivessem saradas mas, como não estão, e como o P.Barriga escreve no seu editorial, o resultado está à vista (neste caso, no Congresso do AmAlentejo).
É claro que, em determinadas circunstâncias, seria bem melhor que o Presidente da Câmara Municipal de Beja tivesse acompanhado ambos (o PR e o PM). Por exemplo, quando um grupo de cidadãos entrega um dossier sobre assuntos que dizem respeito aos bejenses e aos restantes habitantes da região, seria mais reconfortante terem a seu lado quem foi eleito para os representar a nível local (que até pôde “entrar na conversa”, quando o PR quis saber um ou outro pormenor dos temas abordados, o que não aconteceu com o PM, já que não o acompanhava quando lhe foi entregue o dossier).
Por outro lado, não deixa de ser divertido ver uma destacada dirigente distrital do PCP “ralhar” publicamente (no Facebook), com um dos autarcas do seu partido que recebeu (e bem) o PR. Segundo ela “até é interessante , o mandatário do Edgar convidar o Presidente da Republica ! è interessante ver no facebook e ao mesmo tempo estranho “ . Neste caso, não se trata de tácticas ou estratégias eleitorais, mas de uma outra coisa que, 42 anos depois do 25 de abril era bom que já estivesse arredada da política, quer local, quer nacional : o sectarismo cego que não leva a lado nenhum e ainda cria mais feridas (neste caso, até internamente).
José Filipe Murteira a 24 de Abril de 2016 às 18:34
Concordo inteiramente que o Presidente da Câmara de Beja, salvo algum erro protocolar por parte do Gabinete do PM que por ora desconhecemos, deveria ter acompanhado a visita de António Costa, ponto! Só quem não tiver a menor sensibilidade e noção política pode achar o contrário.
Anónimo a 25 de Abril de 2016 às 00:58
Ora aí está a questão! E se o presidente da Câmara não foi convidado para acompanhar na visita o PM?
Anónimo a 25 de Abril de 2016 às 09:29
Sr. .José Luís Murteira ,acha mesmo que eu estava a ralhar com o meu camarada??!! Foi exactamente por algumas mentes anti-comunistas que escrevi o que o sr . leu. Ou seja quando nos chamam de sectários , virados para dentro, o meu camarada demonstrou no face que como todos sabem ele foi mandatário de Edgar Silva tarefa que desempenhou com muito orgulho , após ter sido eleito um Presidente da república o meu camarada enquanto Presidente comunista da Câmara não deixou de convidar o Presidente da república para ir conhecer as dificuldades mas também as potencialidades do seu Concelho.Eu disse interessante , certo e considero mesmo interessante ! E Considero agora ainda mais depois do sr .falar em sectarismo cego .O Ataque ao PCP é sempre o mesmo sectarismo já aborrece não acha?Eu pergunto não será o sr . que está a ser sectário? não será o sr . que interpretou como mais lhe convinha para atacar o PCP e neste caso uma sua dirigente?Sr.Murteira Nós ainda nos cruzámos algumas vezes e acha mesmo que sou sectária?? Quanto às feridas foi o que sr. quis tentar semeá-las mas não consegue , porque o meu camarada está a fazer um excelente trabalho no seu concelho e é um homem democrata e mais entre nós dois não existem feridas mas sim camaradagem e amizade. Nesta não teve bem Sr. Murteira acho que errou no alvo! Mas enfim , se queres ser bom morre ou ausenta-te já dizia a minha mãe.
carolina a 26 de Abril de 2016 às 19:26
Não estava a ralhar? Enganei-me? Ok, tudo bem. Foi um erro de interpretação das suas palavras, que ainda estão no FB do seu camarada. Se a magoei, peço-lhe desculpa.
Já agora, para que se possa avaliar melhor o meu erro, deixo aqui as suas afirmações no diálogo que manteve com outra pessoa que, por respeito, identifico por aaa E, no final, como a senhora diz, "cada um sabe de si e deus sabe de todos" :

"Carolina: até é interessante , o mandatário do Edgar convidar o Presidente da Republica ! è interessante ver no facebook
aaa : Se bem que no meu ponto de vista isto seja apenas folclore presidencial...ele continua na onda do Populismo televisivo...Não sei o que o povo ganha ou perde com estas visitas ...dependerá da importância que cada cidadão lhe dá. No meu caso..nenhum
Carolina: Concordo aaa e ao mesmo tempo estranho ! mas enfim ! cada um sabe de si e deus sabe de todos
Carolina: o pessoal tem a memória curta aaa , infelizmente é assim!
Carolina: com todo este folclore , animado por os que supostamente não deviam ter memória curta. dizer e pensar mais o quê aaa?"

Já agora, para terminar, quando falo de sectarismo, neste caso em particular, não estou a "atacar o PCP", isso é a sua opinião, nada mais que isso.
Cumprimentos.
José Filipe (e não Luís) Murteira

José Filipe Murteira a 26 de Abril de 2016 às 20:30
Sr. Murteira mais uma vez interpretou mal ! eu sei o que escrevi ,e sim disse cada um sabe de si e deus sabe de todos! E sabe porque escrevi isso ? porque depois da conversa com essa pessoa aaa que refere ela percebeu que quando disse cada um sabe de si e deus sabe de todos, tinha a ver a questão que já referi , sobre a questão da importância de mostrar as necessidades e potencialidades do concelho! E já agora não é a primeira vez que vai um presidente da republica, ministros e afins ao e aos concelhos CDU , não percebo porque razão o sr. Murteira agora sentiu a necessidade de comentar o que escrevi. Então devemos ou não dar a nossa opinião mesmo sendo sobre camaradas do Partido ? devemos ou não ter opinião própria? Em que ficamos Sr. Murteira? Então o 25 de Abril que falou não nos deu essa liberdade de opinião? umas vezes somos sectários, outras é porque ralhamos, em que ficamos?
Cumprimentos Sr. Murteira e desculpe o desabafo mas por acaso não estava à espera que essas questões viessem de si.
Anónimo a 26 de Abril de 2016 às 21:16
D. Carolina a Senhora deve ser daqueles Camaradas que pensam que as batatas nascem na mercearia .
Alguma vez o João Rocha toma alguma atitude que seja contra qualquer estratégia já definida pelo PCP ?
Anónimo a 26 de Abril de 2016 às 21:13
Não sr . Murteira , felizmente sei de onde vêm as batatas antes de chegar à mercearia . Pois o Sr. saberá já cá esteve na CDU
Anónimo a 26 de Abril de 2016 às 21:22
D.Carolina, só mesmo para terminar (por mim até já estava terminado) : a conversa das batatas não tem nada a ver comigo. Alguém terá feito esse comentário, como anónimo. Além de não fazer esse tipo de comentários, a minha "conversa" consigo estava (e está ) identificada. Por isso, não me relacione com comentários que não escrevi. Certo?
José Filipe Murteira a 26 de Abril de 2016 às 21:28
Essa das batatas até teve piada!
Anónimo a 27 de Abril de 2016 às 00:55
As "guerras" das esquerdas têm coisas destas. Ou seja os piores inimigos do PCP não são à direita, mas sim aqueles que lhes estariam mais próximos
Daí que este governo com estas características ainda se manter em funções, é obra.
Vamos lá ver quanto tempo é que dura mais.
Anónimo a 27 de Abril de 2016 às 12:54
Continuando o registo da mercearia, é tudo a feijões!
Anónimo a 27 de Abril de 2016 às 14:14
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
às 11H00?
safa, aqui aprende-se pouco, ou mesmo nada!
A loucura anual, para depois ano após ano ficar tu...
Cada um lê aquilo quer e vossemecê não tem nada a ...
E o anonimo(a) das 11:24 leu, senão, leia, é capaz...
Que triste pasmaceira!
Estes não se preocupam com coisa alguma e não se ...
Passaram cinco anos. Mudou governo e administração...
Saudável era a dieta daquele ministro obeso. Os ca...
Ambiente saudável...
podia ter colocado uma foto da sala de macas da ur...
Tal como o cartel dos madeireiros.
e não é para menos! Vamos continuar a rir? Porque ...
Passando agora dos investidores chineses para os e...
Deixa-me rir para tamanho empenho e dedicação ás p...
blogs SAPO