Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"É na construção que há mais trabalho clandestino e escravatura", diz presidente Sindicato da Construção de Portugal

Zé LG, 24.11.22

838164.jpg“Se há setor onde há mais trabalho clandestino e com muitos sinais de escravatura é o do construção civil”. O alerta é dado ao i pelo presidente Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro e garante que “ao contrário da agricultura que tem centenas de trabalhadores nessa situação, o da construção tem milhares e é uma situação muito mais grave”.

Em causa estão, de acordo com Albano Ribeiro, trabalhadores que vêm da Índia, do Paquistão, do Brasil , entre outros. E não hesita: “Não há nenhum setor que tenha tanta falta de mão-de-obra como o nosso e a fileira da construção tem cerca de 450 mil trabalhadores, mas depois aparecem estas redes mafiosas a darem cabo do mercado”.

O responsável admite, no entanto, que a falta de inspetores tanto na Polícia Judiciária como na Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) levam a que esta atividade não seja alvo de investigação no terreno.