Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

É ESTA A ABERTURA DE QUE FALA ANTÓNIO COSTA?!

130420151856-756-PEDRODOCARMO.jpgA Comissão Política da Federação do Baixo Alentejo do PS já aprovou, por maioria, a lista de candidatos pelo distrito de Beja nas eleições legislativas deste ano. Pedro do Carmo encabeça a lista, José Alberto Guerreiro, presidente da Câmara de Odemira é o número dois e em terceiro lugar está Conceição Casanova, professora e ex-deputada.
O cabeça-de-lista, por indicação do secretário-geral do PS, António Costa, é Pedro do Carmo, atual presidente da Câmara de Ourique e líder da Federação, (ao que tudo indica, incluído na quota dos “seguristas”).
Como suplentes foram aprovados os nomes de Luís Martins, atual presidente da JS do Baixo Alentejo, Renata Veríssimo, presidente das Mulheres Socialistas do Baixo Alentejo e João Dinis, presidente da Concelhia de Moura do PS.

Será que a Comissão Política Nacional do PS aprova esta lista? Se o fizer contraria a garantia dada por António Costa de renovação e abertura das listas de candidatos. Com efeito. Esta lista é exclusivamente constituída por quadros do PS, incluindo os principais dirigentes das suas estruturas distritais. A Comissão Política da Federação do Baixo Alentejo (Beja) do PS não foi capaz de encontrar um só nome fora do seu círculo mais apertado capaz de integrar esta lista. Esta é uma das principais manifestações da incapacidade dos partidos tradicionais, neste caso do PS, se regenerarem.

21 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 23.07.2015 10:29

    Já agora podia divulgar que propostas tem esse movimento para a Saúde no distrito de Beja.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 24.07.2015 00:44

    A candidatura cidadã LIVRE/Tempo de Avançar será uma das forças políticas concorrentes às eleições legislativas de 4 de outubro. Não está em causa, portanto, um processo eleitoral autárquico nem regional, donde as propostas relativas à Saúde são, como se percebe e seria de esperar, nacionais. Deixo-lhe a Agenda Inadiável http://tempodeavancar.net/?page_id=10838. O programa mais específico na área da Saúde será posto a discussão pública em breve, se estiver interessado(a) diga, pf.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 24.07.2015 09:09

    Essa agora! A cabeça de lista não avança nada sobre a Saúde em Beja!
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 24.07.2015 23:36

    Há! A cabeça de lista do LTDA até acha que o CA da ULSBA está muito bem assim e deve continuar.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 25.07.2015 08:56

    ehehehehheheheh fala-se em "propostas para a Saúde no distrito de Beja" e o(a) anónimo(a) chuta com o CA da ULSBA. Estranho entendimento sobre "política de Saúde no distrito de Beja", que menorização a sua e que demonstração da apologia da pseudo-política.

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 25.07.2015 09:19

    Querem ver que na óptica desta candidata do livre a política de saúde no Distrito nada tem a ver com o Conselho de Administração da ULSBA? Já agora servem todos para o mesmo! Nem precisam de plano estratégico para o Distrito e vão à função"cópia e cola"do programa do livre?I.V.G....e por aí...
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 25.07.2015 09:43

    Vejo que começa a perceber, as pessoas que coordenam uma instituição do SNS - por nomeação do accionista da empresa, o Estado e mais especificamente o governo - "não servem todos para o mesmo", desde logo porque o "mesmo" não existe, ou não deve existir, e depende da política nacional prevista para o sector.

    Aqui chegado falta-lhe perceber a parte de elaboração participativa de um programa político eleitoral. Vá, só mais um esforço, vai conseguir.
  • Sem imagem de perfil

    Zibelina 26.07.2015 18:47

    Ó Dra., a questão do CA da ULSBA é que se tem primado pela incompetência! Neste caso, se a política de Saúde é má, uma gestão incompetente ainda piora mais as coisas! Portanto, a medida de o destituir, substituindo-o por uma equipa competente, teria um efeito positivo mais rápido do que a mudança de política de Saúde. Não acha?
  • Sem imagem de perfil

    Zabalona 26.07.2015 19:26

    Eu digo ainda mais: os conselhos de administração devem ter como objetivo gerir a casa de modo a que realize da melhor forma a sua missão. E a missão dos Serviços de Saúde não é agradar a ministros.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 26.07.2015 22:27

    Na minha opinião na saúde, como em qualquer outra área, as pessoas são, ou devem ser, escolhidas pelo seu grau de capacidade, formação e eficácia para pôr em prática um projecto/programa. O que me faz sentido é discutir um programa político de Saúde, desde logo as regras aplicadas aos Conselhos de Administração: usa-se o princípio da confiança política para a sua nomeação e depois aplicam-se as leis laborais, isto é, a nomeação é por x tempo e se não for cumprido por perda de confiança política - mudança de governo e, espero, de política geral e sectorial - as pessoas têm direito a uma indemnização. Bitola híbrida, portanto. Faz algum sentido? Já viu o que a (licita) mudança implica para o erário público?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 26.07.2015 23:29

    É sempre possível fazer uma estimativa dos custos da continuação de gestão incompetente.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 26.07.2015 23:55

    E? Onde foi que me viu escrever o contrário? Mas a avaliação da competência/incompetência faz-se sempre tendo um padrão para comparar, padrão esse que depende da política de saúde que foi abraçada, escolhida pelo voto
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 26.07.2015 23:59

    Discordo. A avaliação tem a ver com a quantificação da realização de objetivos. Para isso há estratégias adequadas e outras incompetentes. Os padrões de qualidade não devem variar consoante as mudanças de políticas. São exatamente os critérios perenes que permitem dizer se as políticas são boas ou más.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 27.07.2015 07:35

    Os padrões de qualidade em Saúde, aferidos pelos indicadores de Saúde, não variam com as mudanças políticas, mas as estratégias, "umas adequadas outras incompetentes" e erradas, são determinadas pelas políticas de saúde, também e sobretudo por isso as nomeações dos orgãos dirigentes se fazerem por confiança política.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 27.07.2015 07:49

    Mas que discussão que aqui encontrei! Li não encontrei a palavra eficiência , penso que li quase todos os comentários.Estranho...para entendedores do assunto ,supõe-se!
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 27.07.2015 08:01

    Hum?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 27.07.2015 08:15

    A Dra Ana Matos Pires tem que ir ter com alguém que lhe explique como e para quê têm sido nomeados os vários CAs da ULSBA.
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 27.07.2015 08:19

    As nomeações dos CAs são nomeações centrais, suponho, portanto, que os requisitos e os propósitos têm obedecido à lógica geral: nomeação política.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 27.07.2015 08:51

    Dra, essa resposta é outra "verdade de la Palisse" como já lhe disseram ontem.Peco desculpa!
  • Imagem de perfil

    Ana Matos Pires 27.07.2015 08:54

    Nem mais, por ser uma la palissada é que não percebo a observação prévia, mas se me quiser esclarecer be my guest
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Comboio parado a 10 km de Beja. Continua a saga! Q...

    • Anónimo

      Uma leitura curiosa do J.Espinho.Algo incoerente e...

    • votante

      Pois eu vou votar, mas com a convicção que o meu v...

    • Anónimo

      Que os Baixo-Alentejanos votem CONTRA o Governo do...

    • Francisco Santos

      Para além de tudo isso a Maria Alice foi uma das p...

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Sigam-me

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    subscrever feeds