Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“E Beja? E o Baixo Alentejo?”

Zé LG, 24.05.24

20240521220636256.jpg«Quem me dera que, mesmo pagando, houvesse uma SCUT que levasse a Beja.
Produto do trabalho de vários Governos – por ironia todos pertencentes à Liberdade pós Abril – de Cavaco a Costa, (com a honrosa excepção de José Sócrates que, diga-se o que se disser, foi o único a ter uma estratégia para o Baixo Alentejo, cumprindo o tão propalado triângulo estratégico Sines, Aeroporto, Alqueva com a Auto-estrada A26), o Baixo Alentejo foi sendo recortado do território nacional. ... 50 anos depois de Abril, uma das regiões nacionais que mais soube resistir à ditadura, que com mais suor e sangue lhe fez frente, recebeu o amargo pagamento dos representantes da Liberdade. Não temos uma Auto-estrada que nos aproxime do... Portugal moderno; não temos um comboio que nos una à metrópole que governa esta colónia do Baixo Alentejo, que serve apenas para contribuir com impostos para que Portugal os invista em todo o lado excepto no local onde os cobrou; e, por ironia do destino, temos um aeroporto. Que para pouco ou nada serve ou interessa aos líderes do País..., pois a proibição de haver ligações rodo e ferroviárias tem vindo justamente a cumprir mais esse papel: esvaziar o potencial daquela infraestrutura…
Quem me dera que, mesmo pagando, houvesse uma SCUT que levasse a Beja. Levasse o desenvolvimento, a coesão territorial, a justiça nacional, o legítimo merecimento...» Opinião de Bruno Ferreira, aqui.

3 comentários

Comentar post