Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Desconfio das unanimidades

Zé LG, 25.03.23

RN.pngMorreu há dias Rui Nabeiro. Um empresário com um percurso peculiar, que criou, quase do nada, um grande grupo empresarial com presnça nos cinco continentes, que emprega quase quatro mil trabalhadores, sedeado em Campo Maior, no interior do Alentejo, tendo por base a torrefação e comercialização de café, a que foi juntando outras actividades. Aparentemente tinha tudo para dar errado. Mas deu certo e, para afirmar ainda mais as diferenças em relação à generalidade das empresas, apostou nas pessoas e na sua valorização, sendo a responsabilidade social uma das bandeiras e páticas do Grupo Delta, a que juntou, tendo apenas escolaridade obrigatória, a aposta também na investigação, na formação profissional e no ensino, tendo mesmo patrocinado uma cátedra na Universidade de Évora.

É, por tudo o que referi e muito mais, merecedor dos maiores reconhecimentos, que teve, e elogios. Mas não deixo de desconfiar da sinceridade de alguns nos elogios fúnebres que lhe fizeram, quando na sua sua vida têm uma prática que em nada se assemelha e, nalguns casos, está nos antípodas do que mais diferenciou e fez sobressair na vida de empresário de Rui Nabeiro. Esperemos que todos os que, na hora da sua despedida, enalteceram as suas qualidades se esforcem por segui-lo nas suas práticas.