Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Combate ao Covid-19 gerou “descompensação de doenças crónicas e aumento da mortalidade”

Zé LG, 24.08.20

202008222020407322.jpgOs impactos das medidas de combate ao Covid-19 têm-se feito sentir na “descompensação das doenças crónicas” e no “aumento da mortalidade como consequência indireta da pandemia”, porque piorou “o seguimento destas pessoas”.

A médica Helena Canhão esclarece o que foi feito em Portugal e como as medidas tomadas tiveram consequências na “descompensação de doenças crónicas, assim como no aumento da mortalidade como consequência indireta da pandemia, porque piorou o acompanhamento destes casos”. Quando voltou a fazer consultas presenciais aos seus pacientes, percebeu que “muitos faltavam por terem medo de ser contaminados no Hospital”.

Helena Canhão fez parte, também, do grupo de trabalho responsável pela realização dos testes serológicos, ou seja os testes de sangue que podem ajudar a perceber como está a imunidade de grupo. Os resultados dizem que “a população portuguesa em geral tem 2,9% de imunidade e os profissionais de saúde 6%”. Terminou referindo que “é uma percentagem muito baixa” e que “isto significa que o risco de infeção é muito elevado”.

2 comentários

Comentar alvitre