Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CLASSE MÉDICA À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS

Zé LG, 12.07.17

Ana_Matos_Pires-1837.jpg

Burnout. Queimado, se traduzido à letra. Exausto, se associado à saúde. Burnout é uma síndrome, e não uma doença, que foi descrita em 1974 por um psicólogo alemão, radicado nos Estados Unidos, de nome Herbert Freudenberger, que ligava a fadiga ao modo de vida. Quarenta e dois anos depois foi apresentado um estudo, sob a chancela da Ordem dos Médicos, realizado pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, sobre precisamente a síndrome de Burnout entre a classe médica. Falamos de uma condição que, além de estar a afetar um grande parte desta classe profissional, está já a ter reflexos na vida de muitos portugueses, cujo ritmo de vida acaba por se tornar insuportável.
Texto Natacha Lemos Foto José Ferrolho, in: Diário do Alentejo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.