Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
29
Dez 17

Estou convicto de que a criação no Hospital de Beja de Centros de Responsabilidade Integrados - entre os quais o de Cardiologia - permitiria melhores condições de contratualização, de atração de mais especialistas, de aumentos da produção e qualidade. Defendo essa perspectiva desde o mandato em que exerci funções de Diretor Clínico (1996-2000). A legislação atual contempla essa possibilidade. Seria um caminho de desenvolvimento, contrariando o processo de definhamento em curso nos últimos anos. Mas não temos sinais visíveis de que o Conselho de Administração da ULSBA pretenda implementá-los.

Munhoz Frade a 28 de Dezembro de 2017 às 23:09, AQUI.

publicado por Zé LG às 15:30
Essa é uma problemática de gestão que exige análise, estudo,competência técnica,espírito crítico e de missão e aí por diante,,,sobretudo vontade.
Um novo modelo organizativo que tem tardado a ser implementado pela gestão do topo, por múltiplas razões,superiores e não só,que hoje devem ser discutidas internamente porque podem resolver alguns problemas.
O Hospital de Beja, aquando da Ministra Maria de Belém, teve um projecto preparado para a implementação de alguns centros de responsabilidade(creio que eram quatro ou cinco), com uma gestão de topo empenhada e tudo preparado para avançar. Nesse projecto estive muito envolvida.Nessa altura, há já muitos anos,acompanhariam esta nova dinâmica meia dúzia de distritais no País.Mas superiormente,a Ministra é retirada!
Hoje, enquadrados por nova legislação poderiam tentar avançar com dois ou três centros de responsabilidade, bem diferentes,mas está é matéria de gestão interna.



Mariana Raposo.Administradora hospitalar
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 16:02
Cuidado, Dr., que ela cola-se a si novamente!...
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 17:28
Que pobreza de comentário e nesse caso de pensamento.É o que se lhe oferece dizer?
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 17:40
Querem ver que o Dr.Frade nao foi nomeado Presidente da ULSBA porque a Dra.Mariana se colou a ele ?Eh Dr.conte la isso ă gente que ja sao horas de sabermos bem o que o seu partido pintou aqui por Beja.
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 18:40
Já agora,quem seria que se colou a quem?Palpita me mas não vou dizer
É verdade! Provavelmente outro galo cantaria...
Anónimo a 4 de Janeiro de 2018 às 08:29
Quanto custa a passagem de ano na Praça da República?
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 17:28
Até parece que a Dra se costuma colar a quem não quer e a que. ela não quer e que tem feito uma vida profissional de colagens.Ridiculo !
Tome juízo que deve estar habituado a viver de colagens se calhar a algum Ministro , presidente ou Director ou à sombra de um partido .
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 17:45
De borla, como deve imaginar.
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 17:49
Mais uma vez, aparece quem não está interessado em debater questões importantes para todos nós a tentar acabar com esse debate mal ele se inicia de forma séria. Deverão ter razões muito ponderosas para o fazer, porque não acredito que o façam apenas por irresponsabilidade ou criancice... Mais uma vez, peço-lhes que, se não lhes interessam os temas e os debates, que deixem estes acontecer naturalmente, porque deles muito precisamos. É um pedido que lhes faço. Obrigado!
José Lopes Guerreiro a 29 de Dezembro de 2017 às 19:27
Intriga e especulação; dividir para reinar.
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 19:45
Só não vê quem não quer ver.Os temas de saúde nunca serão aqui informamos e discutidos abertamente por muito que o LG tente.Ha muito quem não queira sequer abordá-los e prefira o silêncio reinante.
Por mim , farei novo interregno.
O tempo trará a verdade.
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 20:19
Mas os segredos continuarão secretos.
Anónimo a 29 de Dezembro de 2017 às 23:23
Para que haja quem os queira descobrir.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 02:07
Não faço ideia de qual é a posição do CA da ULSBA em relação à constituição de CRIs, nunca perguntei, mas a verdade é que a proposta da sua criação, de acordo com a lei, deve partir dos "diretores de serviços ou departamentos". Artigo 11.º do DL 18/2017: "1 - Os CRI são criados por deliberação do conselho de administração, após aprovação do plano apresentado pelos diretores de serviços ou departamentos proponentes.". Tanto quanto sei ninguém ainda avançou com qualquer proposta.
Ana Matos Pires a 30 de Dezembro de 2017 às 13:04
Isso que está definido é o procedimento formal final. A criação de CRI's é uma decisão estratégica, enquanto tal a iniciativa não pertence aos diretores de serviço. Esses só apresentam um plano ao CA quando este lhes solicita...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 13:56
Pode não ser assim, aliás os CAs não podem obrigar ninguém a formalizar-se como CRI.
Não há CRI sem que os Conselhos de Administração queiram.
Não há CRI sem que os Directores de Serviço queiram.
Não há CRI sem que haja equipa de gestão que queira.
Se a gestão do topo entender criar CRIs , como estratégia de gestão,em áreas que considere necessário e oportuno, encontrará naturalmente Director e equipa de gestão à altura do desafio.


Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:43
Se não há CRI’s na ULSBA é porque o CA não quer...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:46
Nos termos da lei tem o primeiro trimestre do próximo ano para avançar.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:53
A nova secretária de estado vai dar luz verde?
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:34
A senhora vai lá preocupar-se com um assunto que já tem as luzes todas verdes.
Ela vai é preocupar-se com o avanço do novo hospital de Evora,não acha que essa é a matéria que lhe interessa para o Alentejo? O resto é paisagem e dejá vue
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:39
Não vá acender luz vermelha por causa disso mesmo.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:43
Não acenderao luzes a não ser verdes para o novo hospital de Évora.E Beja tomara ela ter um milhão e poucos para o Servico de Imagiologia que esta negro.E tem que dar o concurso feito que já foi aberto pelo anterior CA e anulado e aberto...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:54
O CA é tão democrático que abrirá uma caixa de sugestões online, na intranet...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:31
O Sr. não sabe que só se dão sugestões a quem pede e só pede quem necessita dessas sugestões e nao é esse o caso.
O CA tem muitos dirigentes intermédios Directores médicos, de enfermagem ,Administradores hospitalares séniores e novos. Directores disto e daquilo, coordenadores e responsáveis que basta reunir em conjunto ou separadamente para os ouvir , se eles se quiserem pronunciar.
Agora linha aberta, onde já viu esse modelo?
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:40
Tem de passar por muitos filtros...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:44
É como no PC...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:45
O processo é assim: mantém-se as pessoas na ignorância, depois quando chega a vez de lhes dar a palavra, elas abstém-se...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:50
É pá! Parece que foram convocados para vir deitar abaixo um post incómodo!
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:58
O homem incomoda mais do que a AMP.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 20:07
Sabem que ele defendeu a construção do Hospital Central do Alentejo em Beja?
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 20:27
Não devia estar bem do juízo nessa altura.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 20:36
Visionário...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 20:38
Tanto estava bem do juízo que foi eleito Diretor Clínico...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 23:22
E qual era o partido que o apoiava?O PS local? Ou o PC?
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 21:39
Nenhum deles. Mas em 1996 não era disparate. Era arrojo.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 21:48
Era um autarca respeitado por todos.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 22:30
Deu a cara pela honra do Hospital quando aconteceu o escândalo da morgue.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 22:42
Sim, mas isso era um tempo em que a massa crítica bejense era outra.Havia massa cinzenta e causa pública.Agora é só poeira e interesses individuais.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 22:45
E agora, quem o traiu? (A pergunta que ele não quer revelar...)
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 23:28
Ah! Mas há muito quem saiba!
Essa história muito em breve será pública.
Anónimo a 31 de Dezembro de 2017 às 00:05
Que interesse o público pode ter em lavagens de roupa suja?
Anónimo a 31 de Dezembro de 2017 às 17:03
Anónimo a 2 de Janeiro de 2018 às 01:23
No Alvitrando, não é preciso encomendar comentários. É uma linha aberta e livre, dos cidadãos. Nenhum CA o controla.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 20:25
E tem todo o direito de não querer, pois lhes compete decidir sobre a estratégia de gestão para a ULSBA.Sabem lá os estudos que fizeram.É matéria exclusiva da gestão nomeada.Os outros que assim não pensam têm que “meter a viola no saco”.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:08
Tenho esta terrível mania de perguntar quando não sei e foi o que fiz. A afirmação que fez não é verdadeira, o CA da ULSBA está aberto à ideia e já o fez saber junto de várias pessoas - eu não sabia, como deixei dito num outro comentário, e, por isso, hoje quando cheguei fui informar-me.

Concordo com o que alguém aqui escreveu, a questão da fomalização de CRIs é um assunto complexo que não pode ser discutido de ânimo leve, independentemente disso só serão uma realidade se CAs e diretores de serviço estiverem em consonância e trabalharem para isso. Se algum de nós, diretores de serviço, estiver interessado e reunir as condições para o fazer - ter uma equipa multidisciplinar coesa e interessada, souber alguma coisa de gestão e estiver disponível para discutir a necessidade de uma exclusividade - poderá apresentar o projeto proposta, tenho a certeza.
Pois, faz bem em perguntar.Quando não sabemos estudamos e perguntamos.
Anónimo a 2 de Janeiro de 2018 às 21:24
No presente caso perguntei e foi-me respondido na hora, a questão do estudo não se colocava. Mas concordo consigo como princípio geral.
Falam de centros de responsabilidade como se isso fosse uma forma organizativa”de dá cá aquela palha”e quem começa primeiro.”Perdoai-lhes senhor que não sabem o que dizem”, é só o que apetece dizer.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:50
A administradora hospitalar especialista em CRI’s é a Dra. Mariana Raposo. Mas o CA não quer admitir a necessidade do seu trabalho. Fica a ULSBA a perder.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:41
Mas a Dra.Mariana tem estado a estudar e a trabalhar nessa matéria , até com médicos.Vejam lá o que dizem e inventam.
Ela ê uma defensora, há muito tempo, dessa organização .
Anónimo a 2 de Janeiro de 2018 às 20:25
Por incumbência do CA.
Anónimo a 2 de Janeiro de 2018 às 21:30
E o que citei não é o procedimento formal final, é até o inicial. A regulamentação especifica veio depois da saída deste DL do qual constam as generalidades.
Independentemente do que foi regulamentado sobre a matéria, concordo com o que diz o anónimo das 13:56, designadamente que é uma decisão estratégica, que compete aos conselhos de administração. No momento presente e no caso da ULSBA, tenho afirmado que considero essa decisão uma "condição de sobrevivência", necessária para garantir a médio prazo a continuidade do Hospital de Beja como unidade diferenciada e de qualidade.
Munhoz Frade a 30 de Dezembro de 2017 às 14:27
A opinião do Dr. Frade não conta.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 16:32
Opiniões de blog não contam para qualquer decisão.Todos sabemos disso.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:33
Pois é, nestes casos o que determina as decisões são interesses economicistas, em que as opiniões livres ficam de fora. Tanto pior para o bem público...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:37
Quando a livre opinião segue vias oficiais morre no fundo de uma gaveta...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:41
E morrem muitas!
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 17:55
É a vida já assim o outro dizia.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:17
E viva a participação nos destinos dos bens públicos!
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:25
É mesmo isso: as administrações desprezam a opinião pública!
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:32
E só agora descobriu essa verdade de la pal...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:34
Temos a democracia que queremos...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:38
E a saúde que o PS bejense quer para os seus concidadãos.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 18:56
Há várias correntes no PS...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:03
E a do Dr. é (ainda) minoritária.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:05
O PS bejense tem uma corrente dominante.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:14
Qual Dr? O Dr.Frade? Só para rir...
Ou a do Dr. Góis?
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:16
Dr. Apolino...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:20
Está tudo perfeito.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:15
A dominante é a "Évora-YES"...
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:19
Está um bate-papo muito divertido. Discutir seriamente, népia.
Anónimo a 30 de Dezembro de 2017 às 19:24
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
27
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
25 de ABRIL sempre! Excelente dia da Liberdade, Zé...
O governo de Adalberto e Centeno sacrificam o SNS ...
No hospital a palavra de ordem é não há no armazém...
Difícil é entender porque é que certos intelectuai...
Esse é o lema na ULSBA
O bom funcionário vive feliz e saudável, quando to...
às 11H00?
safa, aqui aprende-se pouco, ou mesmo nada!
A loucura anual, para depois ano após ano ficar tu...
Cada um lê aquilo quer e vossemecê não tem nada a ...
E o anonimo(a) das 11:24 leu, senão, leia, é capaz...
Que triste pasmaceira!
Estes não se preocupam com coisa alguma e não se ...
Passaram cinco anos. Mudou governo e administração...
Saudável era a dieta daquele ministro obeso. Os ca...
blogs SAPO