Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“após 50 anos de caminho, voltam os fantasmas do passado”

Zé LG, 14.04.24

Leopoldina.png«E não consigo deixar de sentir uma revolta enorme ao pensar em todas aquelas pessoas que lutaram e deram até a vida para agora chegarmos “ao estado a que chegamos”, parafraseando Salgueiro Maia. Voltaram a normalizar-se atitudes racistas e xenófobas. Voltaram a sair dos armários discursos bafientos de ódio contra migrantes, ciganos, pessoas LGBTIA+, Mulheres. Volta a elogiar-se o papel da mulher como “dona de casa” - ao invés de a valorizar como a dona DA casa, já que é maioritariamente ela que a limpa e cuida da família que a habita - a glorificar-se o papel da mãe, ou seja, a mulher como aparelho reprodutor, que à custa das narrativas do instinto maternal e do “amor e carinho” é uma faz-tudo nas tarefas de limpeza e cuidado, sem nada receber em troca a não ser a manutenção do elevado número de crimes de violência de género e a hipótese de reversão a lei do aborto. Pois é, manobras de distração para nos desfocar da deterioração no investimento no SNS e na escola pública, da decrescente qualidade de vida de milhares de pessoas, em contraste com os lucros desmesurados das grandes empresas, apesar de toda a informação, apesar da consciência das desigualdades, apesar da crise climática.» Leopoldina Almeida, aqui.

5 comentários

Comentar post