Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

AGORA, O TEMPO JÁ NÃO É DOS ELEITORES

Cada um de nós pode ter a opinião que entender. Cada um de nós pode achar o que quiser acerca do que os votantes quiseram dizer quando votaram. E também acerca do que quiseram dizer os que não votaram ou votaram em branco ou nulo, quase tantos quantos os que votaram. Mas nenhum de nós pode alterar os resultados eleitorais. Cada um de nós pode achar o que muito bem entender acerca das maiorias que se devem formar e do governo que delas deve resultar. Mas agora, o tempo já não é dos eleitores, mas dos deputados que foram eleitos. São eles que, na Assembleia da República, têm de formar as maiorias necessárias para apoiar o governo.
E de acordo com a composição da Assembleia da República as maiorias que se podem formar têm de incluir o PS. Ou com o PSD e o CDS, a maior, ou com o BE e o PCP+PEV. Ora o PS já mostrou que não quer a primeira. Resta a segunda.
Estes são os factos. Todos podemos ter e expressar as nossas opiniões, voluntariamente ou sendo pagos para isso. Todos podemos dizer o que achamos que devia ou deve ser feito. Mas não podemos fugir aquela realidade, enquanto a posição do PS for a que tem divulgado António Costa.

7 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 22.10.2015 16:03

    Têm mandato para três anos.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 22.10.2015 16:11

    Pois é, mas... "the times are achanging"...
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 22.10.2015 16:48

    Sim, mas para os mandar "go home" e colocar lá os boys do PS & friends, têm que lhes pagar indeminizações compensatórias.
    Veremos o que é maiiis se irááá passarrr.
  • Sem imagem de perfil

    Outrem 22.10.2015 17:13

    Quais indeminizações! não sabem do que falam. Leiam a legislação ,os estatutos da ULSBA, analisem os incumprimentos e os resultados e depois vejam o que concluem. Se o mandato for interrompido com justa causa, já se foi o tempo das indeminizações... já foi chaõ que deu uvas para as nomeações de reconhecido mérito destas empresas públicas.
    Avaliados ,e caso os resultados sejam negativos e os incumprimentos vários devem obrigatoriamente ser demitidos. Estes ou outros quaisquer.Aqui ou em outra empresa.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 22.10.2015 17:34

    Corrijam o português: indemnizações.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 22.10.2015 18:37

    Errare humanum est, perseverare autem diabolicum. "Errar é humano, mas perseverar no erro é diabólico" sic..
    E quem ainda não errou, que atire a primeira pedra..
    J.C.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Comentários recentes

    • Anónimo

      Há espaço para todos com certeza! Que o digam as c...

    • Anónimo

      Tenho todo o gosto em lhe responder de modo claro!...

    • Anónimo

      Muito bem! Exemplo de como uma ideia simples pode ...

    • Anónimo

      Devemos viver num planeta diferente, porque neste ...

    • Anónimo

      Alguém que nem sequer tem coragem para se mostrar ...

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Sigam-me

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    subscrever feeds