Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O agravamento da crise na comunicação social põe em risco a democracia

Zé LG, 10.01.24

Sem nome (44).pngUma comunicação social livre e independente é fundamental e determinante para o bom funcionamento da democracia. Sabemos quanto é difícil à comunicação social e, especialmente, aos jornalistas exercerem a sua função com plena liberdade e total independência, porque quase todos os que têm poder, mesmo que defendendo a democracia, não se inibem de exercer o poder que têm de forma a tentar que eles não os incomodem, escrutinando toda a sua actividade.

É a isso que todos os dias assistimos, pelas mais diversas formas, umas mais evidentes, outras mais subtis ou sofisticadas, a tentativas, muitas delas concretizadas, de condicionar a liberdade e a independência dos órgãos de comunicação social. Esses condicionamentos vão das fontes de financiamento, passando pela precariedade do emprego, até à equiparação de outras formas de comunicar à comunicação social.

 

 

Chega culpa as “Entidades Governativas” pela “rutura de um cano”

Zé LG, 09.01.24

274647575_254783236829948_8973868462697141081_n.jpgA distrital de Beja do Chega denuncia a “rutura de um cano” numa residência estudantil do IPBeja, “resultado do desinvestimento total na Educação e nos Edifícios estruturais de apoio aos Estudantes”, adiantando que “esta situação, devido à hora a que ocorreu, não foi resolvida pela Entidade responsável das Águas, o Piquete não atendeu as chamadas por ser fim de semana, mostrando o descalabro das instituições que deveriam existir para servir o cidadão, obrigando mais de 100 estudantes a acederem a um duche, só um, das 19:00/24:00, na outra residência”.

Azeite aumentou mais de 90% em 2023 e ainda vai aumentar mais

Zé LG, 08.01.24

azeite.pngO valor do litro do azeite já chegou aos 10 euros, estimando o INE que o preço tenha aumentado mais de 90% em 2023, prevendo-se que este valor ainda pode aumentar mais. "O aumento do preço do azeite deve-se à quebra de produção do maior produtor mundial (Espanha) que tinha campanhas médias de 1,2 milhões a 1,5 milhões de toneladas e teve uma campanha passada com cerca de 664.033 toneladas e espera uma campanha 2023/24 com 765.362 toneladas”, devido “à seca extrema e às elevadas temperaturas durante a floração”, o que “desequilibrou o mercado porque a procura começou a superar a oferta e os stocks disponíveis diminuíram muito levando à subida do preço do azeite. Paralelamente convém não esquecer que os custos de produção têm subido muito e o preço do azeite não estava a refletir essa realidade", revelou a Fenazeites.

Urgências Básicas de Castro Verde e Moura encerradas no final do ano

Zé LG, 30.12.23

Sem nome (87).pngA ULSBA informa que os Serviço de Urgência Básica de Castro Verde e de Moura estarão encerrados entre as 8.00 horas de dia 31 de dezembro de 2023 e as 08.00 horas de dia 1 de janeiro de 2024, devido à falta de médicos para o preenchimento da escala de serviço.

De acordo com a ULSBA "durante o período de encerramento os doentes das SUB de Castro Verde e de Moura são encaminhados para o Serviço de Urgência do Hospital José Joaquim Fernandes de Beja, que se mantém em pleno funcionamento, como tem acontecido nos últimos meses, mas haverá constrangimentos no número de profissionais que compõem as equipas médicas pelo que o tempo de espera, em particular para os doentes menos urgentes, estará comprometido."

Médicos estão a praticar “medicina de catástrofe”, segundo a FNAM

Zé LG, 28.12.23

medico-em-stress_Depositphotos_201148668_L-848x566.jpgOs médicos estão a praticar “medicina de catástrofe” em várias unidades onde o volume de doentes é excessivo na última semana do ano, defendeu hoje a Federação Nacional dos Médicos (FNAM), acrescentamdo que os médicos estão sobrecarregados e “sem condições adequadas ao exercício das suas funções” e médicos internos “têm sido forçados” a colmatar a falta de especialistas. “As insuficiências multiplicaram-se durante o Natal, e teme-se o pior para os últimos dias do ano, onde os períodos após as celebrações são tradicionalmente mais exigentes para os SU”, destacando “situações que costumam funcionar abaixo dos mínimos” e que colocam médicos e doentes em risco. “Além disso, os médicos têm sido vítimas de desregulação ilegal dos seus horários, com seis dias de trabalho semanal, sem que lhes seja concedido o descanso compensatório após a realização de trabalho aos domingos e feriados”, assegurou a mesma fonte, sublinhando que ainda está por regularizar o pagamento da majoração do trabalho suplementar aos internos.

Assim vai a Saúde no nosso País

Zé LG, 22.12.23

Saúde (1).png> ERS diz que Santa Maria não garantiu os recursos humanos “aptos” a grávida que morreu no Francisco Xavier 

> ERS quer que grupo CUF prove que cumpre cuidados de controlo de infeção

> ERS quer que hospital de Viana do Castelo cumpra procedimentos de comunicação de óbito

 

E não digam, os que não perdem oportunidade de atacar o Seviço Nacional de Saúde, que os problemas da Saúde só existem no SNS… porque, como se vê – teve de ser denunciado por quem neles trabalha -, nos grupos privados também existem.

Porque “nunca foram investigados por corrupção ou tráfico de influências”?

Zé LG, 10.12.23

Sem nome (77).png«O problema é por que é que as privatizações tiveram de ser realizadas da forma como o foram, lesando o estado português? Não deviam proteger o estado e o povo português? Interessante foi a nossa justiça nada ter investigado.

José Luís Arnaut, o antigo ministro do PSD que, até então, saltava entre o apoio jurídico às privatizações e os órgãos sociais das empresas privatizadas, é o presidente não-executivo da gestora dos aeroportos nacionais; Eduardo Catroga foi o homem do PSD que despachou a privatização da EDP, como prémio por agir em nome do Estado para vender a lucrativa empresa pública, ganhou um milionário cargo na nova EDP, já privatizada.

Perplexidade: nunca foram investigados por corrupção ou tráfico de influências, nunca tiveram a PJ ou o MP a vasculhar os seus gabinetes.» Anónimo 10.12.2023, aqui.

“não se pode ganhar uma guerra militarmente se, ao mesmo tempo, se perde a paz”

Zé LG, 10.12.23

b633d770-6a9b-11ee-a748-119a837bdbcd.jpg“Se milhares de crianças são mortas, isso não deixa ninguém indiferente”, afirmou a ministra dos Negócios Estrangeiros alemã, Annalena Baerbock, defendendo que “as ações militares têm de ser mais precisas, porque a luta de Israel não é contra palestinianos inocentes, mas contra a organização terrorista Hamas”.
“É por isso que as baixas civis devem ser evitadas tanto quanto possível e Israel deve garantir que menos pessoas sejam mortas na luta contra o terror”, afirmou, acrescentando que “Não se pode chamar os civis para a segurança através de panfletos se não houver locais seguros”, referindo-se aos avisos israelitas para que os residentes abandonem zonas que vão ser atacadas.