Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“É uma irracionalidade, que ninguém consegue entender”

rio.jpgé assim que Rui Rio se refere ao facto do troço da A26, estar concluído há mais de 2 anos, e continuar por abrir.

Rui Rio considera que os grandes centros urbanos, como Lisboa e Porto, poderiam abdicar de uma “ínfima parte” daquilo que é o investimento que lhes é atribuído para “terras” mais pequenas como Beja, onde isso teria um efeito “multiplicador”. À rodovia, Rui Rio junta a ferrovia e o aeroporto de Beja para o desenvolvimento desta região.

O presidente do PSD esteve, hoje de manhã, acompanhado pelo cabeça de lista pelo círculo de Beja, Henrique Silvestre Ferreira, em campanha eleitoral na zona das Portas de Mértola.

Convenção da Plataforma Alentejo hoje em Évora

Com o objetivo de “refletir e dar um contributo para o desenvolvimento da região” e proporcionar um momento de discussão e reflexão em torno das acessibilidades do território, a Plataforma Alentejo promove nesta quinta-feira, com início às 09h30, no auditório da CCDRA, em Évora, a Convenção do Alentejo.

201908221011206778.jpgVários especialistas vão abordar três grandes temáticas: “Porto de Sines e Aeroporto de Beja- Infraestruturas Estratégicas de Interesse Nacional e Regional”, “Infraestruturas de Acessibilidade Ferroviárias e Rodoviárias -Sua Importância Estratégica e Prioridades” e “PROTA em revisão e o Plano Intermunicipal – Modelo de Ordenamento e Planeamento”.

Câmara de Beja prossegue requalificação de estradas

Obras-estrada-768x432.jpgA Câmara de Beja tem em curso a repavimentação da estrada entre Mombeja e Santa Vitória, inserida no projecto de beneficiação de estradas e caminhos municipais, lançado no ano passado.

O município tem calendarizadas 19 intervenções, num investimento global previsto de 3 milhões de euros, sem qualquer comparticipação comunitária uma vez que não existem fundos, neste momento, para a recuperação da rede viária.

“Geografia das Acessibilidades e as Infraestruturas do Alentejo é tema da Convenção da Plataforma Alentejo

201904282338559916.jpgÉ já no próximo dia 12, que vai decorrer no auditório da CCDRA, em Évora, a Convenção “Geografia das Acessibilidades e as Infraestruturas do Alentejo”. A uma semana da realização, a Plataforma Alentejo recorda que as inscrições são gratuitas, mas obrigatórias, podendo ser efetuadas até terça-feira, dia 10, junto do Secretariado da Plataforma, através do email plataforma.alentejo18@gmail.com.

Os trabalhos têm início às 9.30 horas e durante a manhã vai falar-se sobre “Porto do Sines e Aeroporto de Beja-Infraestruturas Estratégicas de interesse nacional e regional” uma intervenção a cargo de Manuel Tão, Grupo Técnico de Apoio à Plataforma Alentejo. Segue-se a intervenção de Elio Bernardino, do mesmo Grupo Técnico, com a abordagem ao tema “Infraestruturas de acessibilidade ferroviárias e rodoviárias-sua importância estratégica e prioridades”. Da parte da tarde, é a vez de Carlos Gaivoto, do Grupo Técnico de Apoio à Plataforma Alentejo abordar o “PROTA em revisão e o Plano Intermunicipal-modelo de ordenamento e planeamento”.

O direito à greve sai diminuído desta greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas

greve.jpgEste parece-me ser um dado objectivo. E com isto sai diminuída a capacidade de luta dos trabalhadores.

Estes trabalhadores, ao isolarem-se de todos os outros por acharem que, sozinhos, podiam “fechar as torneiras” e criar o caos no país puseram-se a jeito, gerando descontentamento e animosidade em grande parte da população.

A ANTRAM, oportunisticamente, soube aproveitar-se da situação e, "com um mamar doce", lançar o odioso da situação para cima dos trabalhadores, focando os seus argumentos no "sindicalista" / jurista / assessor / candidato que conduziu a luta para um beco sem saída, ou melhor, para a saída da luta de muitos...

O governo, pretendo fazer mais estragos eleitorais nos partidos da direita fez, o que estes dificilmente fariam e esquecendo as origens remotas do PS, tomou medidas que, objectivamente atentam contra o direito à greve e o enfraquecem.

Com isto, não digo que estes trabalhadores não tivessem legitimidade e razões para lutarem pelos seus direitos. Acho é que escolherem mal a forma, a oportunidade e os protagonistas da sua luta. E, desta forma, isolaram-se, nada conseguiram e não só saíram prejudicados como prejudicaram a luta geral dos trabalhadores.

Fotografia daqui.

Junta de Sobral da Adiça critica Câmara de Moura

sobral da adiça.jpgA Junta de Freguesia de Sobral da Adiça critica a Câmara de Moura, por ter afirmado que a Junta de Freguesia “não sinalizou qualquer caminho para reparação”.

A Junta de Freguesia critica a forma como decorreu o processo tendo em vista o arranjo dos caminhos municipais e recorda que numa reunião, a 18 de Julho, com a Câmara de Moura, ficou acordado que não tendo a Câmara Municipal capacidade para responder aos arranjos dos arruamentos em Sobral da Adiça, a Junta de Freguesia faria esses trabalhos e o município arranjaria as respectivas vias rurais e agrícolas.
Para a Junta de Freguesia de Sobral da Adiça, que garante estar a cumprir a sua parte do acordo, a nota de imprensa da Câmara Municipal de Moura é “uma falsa verdade, com objectivos políticos de desacreditar” o seu o trabalho.

Câmara de Beja reduz mais preços de Transportes Públicos

urbanas.jpgÉ já a partir de 1 de setembro, que “as viagens no concelho de Beja com percursos, num sentido, superiores a nove quilómetros e que pagam, atualmente, mensalidade de 50 euros e 50 cêntimos, passarão a pagar 40 euros”, revela a autarquia bejense, “mediante apresentação no Balcão Único da Câmara Municipal de Beja do certificado de residência, emitido pelas Juntas de Freguesia”. Os passes para a cidade de Beja “a partir de Beringel, Cabeça Gorda, São Brissos e São Matias, por exemplo, passarão a beneficiar de uma redução de 10 euros e 50 cêntimos por mês”, revela a Câmara de Beja, que considera que “Promover uma mobilidade mais acessível, é reforçar a coesão do território”.

IP reconhece a necessidade de obras de grande vulto no concelho de Serpa, que não vai fazer devido ao “actual enquadramento financeiro”

De acordo com a Infraestruturas de Portugal (IP), no concelho de Serpa “foram identificadas necessidades de intervenção no montante aproximado de 22 milhões de euros”, mas “atendendo ao actual enquadramento financeiro e à impossibilidade de executar no curto prazo todas as intervenções necessárias”, está a seguir o Contrato de Conservação Corrente.

Estradas-Serpa-768x512.jpgA Câmara de Serpa frisa que “a empresa dá razão à autarquia” que vem defendendo a necessidade de realização de obras de grande vulto e que, com base na resposta da IP, “os utilizadores das estradas nacionais que atravessam o concelho de Serpa vão continuar a circular em estradas sem o mínimo de condições de segurança”.

É “inaceitável” o estado de degradação da EN2, nomeadamente o troço Aljustrel/Castro Verde

Estrada-768x432.jpgOs presidentes dos municípios de Castro Verde e Aljustrel reuniram-se com o Secretário de Estado das Infraestruturas. Em cima da mesa esteve a degradação da EN2, nomeadamente o troço Aljustrel/Castro Verde.

De acordo com os autarcas é “inaceitável” o estado da estrada utilizada pelos trabalhadores das minas de Somincor e Almina, utentes da saúde os utilizadores da nova rota turística da EN2. Nelson Brito, presidente da Câmara de Aljustrel, alerta para os riscos da daquela via e exige a urgente reparação do troço entre Aljustrel e Castro Verde.

A A26 também mereceu destaque, nomeadamente o troço concluído há mais de dois e que continua encerrado. O presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, defendeu que o troço deveria abrir imediatamente mesmo que o litígio com a concessão, por causa da Praça de Portagens, ainda não esteja resolvido. Para o autarca a solução é simples neste momento abria sem portagens.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não concordo. Como bem diz, dada a manifesta incap...

  • Anónimo

    Esta questão tem acontecido com a conivência de vá...

  • Anónimo

    Lixo e buracos nas ruas e estradas constituem a im...

  • Anónimo

    Uma gestão camarária que nem do lixo dá conta!Quan...

  • Anónimo

    Continua a apresentar boas respostas. Durante 40 a...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.