Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

FAABA satisfeita com recuo da ministra da Agricultura, que prolonga apoio às medidas agroambientais

Zé LG Zé LG, 18.12.19

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA) regista “com agrado a garantia dada, esta segunda-feira, pela ministra da Agricultura de prolongar os apoios à totalidade das medidas agroambientais em 2020” e de “permitir uma transição entre o atual e o próximo período de programação”. 

P1020860.JPGA FAABA refere que a decisão da ministra “representa um recuo da titular da pasta da agricultura”, frisando que a "ministra não se tinha dado conta das consequências da decisão que havia tomado" e que "ainda bem que recuou nesta matéria".

“Era bom não brincarem mais com o interior”

Zé LG Zé LG, 16.12.19

79525604_3817283278297129_9095390219116478464_n.jp“... Com isto ficamos claramente a perceber o Ministério (da Coesão Territorial) que lhe caiu nas mãos e mais ou menos entendemos as intenções e a missão nobre da nova ministra com o novo brinquedo.
Umas frases soltas aqui, umas belas intenções dali e “vamos fazer novas políticas” e “venham senhores empresários que o interior é bonito” e precisa de gente e mais umas frases bonitas e umas ideias bem intencionadas... porque o orçamento que o Dr. Centeno lhe destinou também não deve chegar para muito mais.
Era bom não brincarem mais com o interior. Era bom, muito bom, que não tivéssemos de ouvir estas coisas, porque não é disto que precisamos. Se há um Ministério preocupado com a coesão territorial, o mínimo que se esperaria de um titular de uma tão importante pasta não passaria nunca por frases bonitas, mas por planos de ação. Concretos. Objectivos. Credíveis.
Mas não. Tudo isto não passa de mais uma demão de cal branca numa parede a ruir. …"

Paulo Nobre, aqui.

Agricultura sustentável e combate às alterações climáticas em risco (?) com restrição das medidas agroambientais

Zé LG Zé LG, 12.12.19

A FAABA contesta firmemente o anúncio do Ministério da Agricultura no que diz respeito à interrupção dos compromissos agroambientais, com consequências irreparáveis a nível da sustentabilidade, biodiversidade e defesa do ambiente, potenciadoras do abandono da atividade agrícola e fuga do mundo rural. O anúncio do Ministério da Agricultura traduz um profundo desconhecimento do papel e importância do sector agrícola revelado com incongruência e demagogia política.

IMG_1025.JPGNo Alentejo, os apoios maioritariamente usados no âmbito das Medidas Agroambientais, envolvem os Modos de Produção Integrado e Biológico, a conservação do solo, o uso eficiente da água na agricultura, a sementeira direta ou a mobilização na linha, a manutenção de raças autóctones em risco de extinção, o pastoreio extensivo, o apoio à manutenção de sistemas agrosilvopastoris sob coberto de montado e os apoios zonais de caráter ambiental, entre outros.

Luís Dargent demissionário da distrital do CDS-PP desde as últimas eleições legislativas

Zé LG Zé LG, 11.12.19

imgLoader2.ashx.jpgLuís Dargent, presidente da Comissão Política Distrital do CDS-PP apresentou a sua demissão do cargo a seguir às eleições legislativas de outubro, devido aos maus resultados eleitorais – o CDS-PP obteve 2,3 por cento a nível distrital – e com a necessidade “de dar lugar à juventude num partido que precisa de renovação”.

A pedido de Assunção Cristas, resolveu permanecer no cargo até ao próximo congresso, marcado para os dias 25 e 26 de janeiro, em Aveiro, até porque faz parte da mesa daquele órgão nacional do CDS-PP.

Necessitamos de visão estratégica e coragem para a aplicar

Zé LG Zé LG, 10.12.19

Não basta ter políticas progressistas se estas não forem aplicadas. “De boas intenções está o Inferno cheio”. Veja-se o que se passou no Índice das Alterações Climáticas, em que Portugal caiu cinco posições, com pior desempenho nas emissões de gases com efeito de estufa, e melhor classificado nas políticas ambientais.

Não vale querer / prometer tudo de bom a todos e ao mesmo tempo. Não é possível. Exige-se, por isso, ao governo e às oposições visão estratégica, definição de políticas ambiciosas mas exequíveis, capacidade de hierarquizar prioridades e seriedade, muita seriedade no debate político.

Este – aprovação do Orçamento de Estado -, é o momento de mostrar tudo isso. Não vale, não deve valer, todos se declararem muito preocupados com as Alterações Climáticas e as suas graves consequências e, simultaneamente, não serem capazes de defender e aplicar políticas e medidas que as travem e minimizem.

Se o pior desempenho de Portugal nos últimos anos foi nas emissões de gases com efeito de estufa, o Orçamento de Estado deve, entre outras medidas a nível fiscal, desincentivar, agravando impostos, tudo o que possa contribuir para aquele agravamento e incentivar, aliviando impostos, tudo o que possa contribuir para travar as Alterações Climáticas e consequentes efeitos na vida do Planeta.

Não me parece que seja isso que esteja a acontecer…

O que faz o Executivo da Câmara de Beja para atenuar a falta de condições das Escolas?

Zé LG Zé LG, 04.12.19

A Associação de Pais e Encarregados de Educação organizou, ontem, uma manifestação junto da Escola de Santiago Maior, de Beja, com o objectivo de dar visibilidade a um problema que se tem vindo a arrastar de ano para ano - a falta de assistentes operacionais e de condições de funcionamento da Escola.

Compareceram no local, em apoio às reivindicações dos Pais e Encarregados de Educação e também dos Alunos, o vereador Vítor Picado, da CDU, Manuel Nobre, do Sindicato dos Professores, e, no final, José Eugénio, Director do Agrupamento Escolar a que a Escola pertence, entre outro.

201912030914386990.jpg

Presidente da Câmara, vereadores ou quaisquer outros eleitos do PS nem vê-los… Porquê? Porque acham que está tudo bem? Porque lhes pesa alguma coisa na consciência? Porque a subserviência partidária e ao governo é mais forte que a defesa que dizem fazer do concelho e da população que os elegeram?

O que tenciona fazer o Executivo da Câmara de Beja, do PS, para tentar resolver o problema da falta de condições das Escolas? Será que um dia destes vamos assistir à publicação de mais uma carta do presidente da Câmara ao ministro da Educação a pedir a sua intervenção para fazer qualquer coisinha, como fez em relação às estradas?...

O que é feito do vogal nomeado pela CIMBAL para o CA da ULSBA?

Zé LG Zé LG, 03.12.19

201906111803379618.jpgDepois de muitos adiamentos e reflexões, o Conselho Intermunicipal da CIMBAL, na sua reunião de junho, deliberou, por maioria, propor para vogal do Conselho de Administração da ULSBA, Manuel Soares.

Decorreram seis meses e nunca mais se falou no assunto. Manuel Soares já tomou posse? Ficou com algum pelouro à sua responsabilidade? Já se inteirou do estado do Serviço Nacional de Saúde na região? Já a transmitiu e discutiu com a CIMBAL? O que propõe para ultrapassar ou atenuar os principais constrangimentos no acesso das pessoas aos serviços de Saúde? Ou continua tudo como dantes?…

Temos direito a essa informação!

Ministra defende "equilíbrio" entre agricultura e ambiente

Zé LG Zé LG, 30.11.19

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, defendeu a necessidade de existir “um justo equilíbrio” entre as culturas rentáveis e a preservação e valorização dos ecossistemas e dos recursos naturais. Apontou também a importância de existir “um compromisso entre aquilo que se pratica do ponto de vista da agricultura, seja extensiva, intensiva ou superintensiva” para “garantir que há um equilíbrio entre todas as partes”. “É num modelo destes que acredito e é esse modelo que está a ser praticado e que queremos desenvolver cada vez mais”.

P1010792.JPG“Esta agricultura competitiva só pode sair reforçada se também der espaço a uma agricultura que se quer viável e que tem a ver com o desenvolvimento rural e com a valorização da atividade agrícola de pequena dimensão e familiar e a oportunidade para a agricultura biologia”.

Lerr e ouvir também aqui.

Deputado de Os Verdes visita Concelho de Odemira

Zé LG Zé LG, 24.11.19

7138.jpgNa próxima segunda-feira, dia 25 de novembro, o Deputado ecologista José Luís Ferreira, acompanhado de membros do Conselho Nacional do PEV e de eleitos locais da CDU, desloca-se ao concelho de Odemira, para reunir com o Presidente da Câmara Municipal de Odemira, com pescadores da Zambujeira do Mar e com os Presidentes das Freguesias de Almograve e São Teotónio, com o objetivo de abordar os problemas ambientais, sociais, laborais, demográficos, habitacionais e sanitários com que o Concelho e o Parque Natural do Sudoeste alentejano se debatem com a implementação e ampliação de estufas.

“Para serem exploradas de modo desumano e intolerável numa sociedade que se quer civilizada”

Zé LG Zé LG, 21.11.19

image.jpg"Há espaço para todos com certeza! Que o digam as comunidades estrangeiras, sobretudo oriundas do bangladesh, da roménia, etc, que se fixam no Alentejo cada vez mais, para serem exploradas de modo desumano e intolerável numa sociedade que se quer civilizada. E não vejo activistas para esta causa, a não ser as notícias tristes que de quando em vez nos chegam sobre acções da ASAE e do SEF, mas parece que ninguém se indigna por cá, porque não somos nós que estamos no lugar dessa gente. Porra!

Anónimo 17.11.2019 13:14", aqui.