Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"Participação cidadã e redes sociais: uma contradição insanável?”

Zé LG Zé LG, 10.02.19

PM.jpg«...

Uma maior participação cidadã, em Beja ou em outra qualquer parte do país é sempre de enaltecer, o que poderia ser reforçado com a “democratização da opinião” proporcionada pela internet, nomeadamente pela blogosfera e depois pelo facebook, pelo facto de o acesso a estes novos meios de comunicação ter trazido novas possibilidades para a difusão e para o debate de ideias, em liberdade e quase sem limites.

Só que, infelizmente, não é isso que se passa, gerando-se uma improvável e insanável contradição entre o que parecia ser um importante contributo para a participação cidadã e os resultados obtidos nas redes sociais. ...»

Leia aqui todo o texto de José Filipe Murteira

Participação dos autarcas nas instâncias de decisão estratégica da Saúde

Zé LG Zé LG, 16.12.18

Já me manifestei contra a chamada municipalização da saúde. Uma das consequências mais negativas dessa “descentralização” de “competências” e responsabilidades seria o agravamento das dificuldades de correção das assimetrias territoriais na equidade de acesso aos cuidados de saúde. Os municípios economicamente mais desafogados teriam mais condições para equipar melhor as unidades prestadoras, ficando prejudicados os munícipes das autarquias carenciadas. Agravar-se-iam as já áridas condições para o desenvolvimento das regiões do interior.
No entanto, sempre propugnei pela participação dos autarcas enquanto legítimos representantes da população, nas instâncias de decisão estratégica. Lamentavelmente, com raras excepções, os autarcas têm-se voluntariamente afastado de envolvimentos nesse tipo de responsabilidades.

Munhoz Frade 16.12.2018 12:31, aqui.

Câmara de Moura aposta na educação cívica dos mais novos

Zé LG Zé LG, 11.12.18

Assembleia-Infantil-768x432.jpgNo quadro do Plano Educativo para o Sucesso e Inovação, em Moura realizou-se no final da semana passada mais uma Assembleia Infantil do Concelho.
A Sala de Sessões da Câmara Municipal recebeu dois representantes de cada uma das turmas das escolas envolvidas, num total de 20 crianças, do 3.º e 4.º ano do 1.º ciclo do ensino básico, dos Agrupamentos de Escolas de Moura e de Amareleja.
A iniciativa pretende, segundo o município, “incentivar a participação e a educação cívica das crianças do concelho”.
A Assembleia Infantil volta a reunir-se em Março e Junho de 2019.

“UMA PONTE PARA A IGUALDADE” LANÇA CONCURSO LITERÁRIO “IGUALDADE DE GÉNERO”

Zé LG Zé LG, 15.07.18

201807131109163389.jpg

“Igualdade de Género” é o tema do concurso literário que os Municípios de Odemira e de Aljezur promovem, no âmbito do Plano Intermunicipal “Uma Ponte Para a Igualdade”, com o objetivo de promover a reflexão sobre a situação e participação e o papel das mulheres e dos homens na sociedade atual. Serão premiadas três obras inéditas, no estilo literário de Conto.

Os trabalhos deverão ser entregues até dia 16 de agosto de 2018.

 

FORTES DENUNCIA "POLUIÇÃO DO AMBIENTE" POR FÁBRICA DE BAGAÇO DE AZEITONA

Zé LG Zé LG, 17.05.18

Hoje, são entregues, por diversas pessoas que moram na localidade de Fortes, participações individuais, no Tribunal de Ferreira do Alentejo, a denunciarem a “poluição do ambiente” e “os seus impactos na saúde”. Com esta formalização, a população espera que o Ministério Público investigue o que se passa nesta localidade.

Fortes-768x512.jpg

De acordo com um comunicado emitido pela Plataforma Problema Ambiental das Fortes, “desde a laboração da fábrica de bagaço de azeitona em 2009 que a população das Fortes e limítrofe começou a sentir maus cheiros e a sentir fumos impregnados de substâncias gordurosas e de partículas”. A Plataforma defende a realização de mais análises e a adequação das leis ambientais à nova realidade provocada pela expansão do olival.

MINISTRO DA CIÊNCIA NAS COMEMORAÇÕES DO 10º ANIVERSÁRIO DO CEBAL

Zé LG Zé LG, 17.05.18

Cebal.jpg

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, participa, hoje, às 15.30 horas, no auditório do NERBE/AEBAL, na sessão comemorativa “CEBAL- 10 anos de Ciência para um Alentejo a Inovar”.
A sessão de abertura conta com as participações de Claudino Matos, da direcção do CEBAL, Paulo Arsénio, presidente da autarquia de Beja, João Paulo Trindade, presidente do IPBeja e Ana Costa Freitas, Reitora da Universidade de Évora. Durante os trabalhos vai também ser feito o balanço da actividade desenvolvida pelo CEBAL ao longo dos 10 anos de existência e perspectivar os desafios que se colocam no futuro, seguido de uma mesa redonda sob o tema “Contribuição do CEBAL para o desenvolvimento da região Alentejo”. O encerramento dos trabalhos é feito pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

ULSBA PARTICIPA EM ESTUDO PROSPECTIVO INTERNACIONAL

Zé LG Zé LG, 14.03.18

17554554_1455880487775534_4787725601156474270_n.jp

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alntejo (ULSBA), através do seu Serviço de Cirurgia Geral, é uma das 370 entidades de todo o mundo que integra o estudo prospectivo internacional "Ileus MAnaGement INtErnational–IMAGINE study".
Promovida pela Surgical Research Collaboratives in the UK (Inglaterra) e pela EuroSurg–The European Surgical Research Network (presente em vários países da Europa, incluindo Portugal), a investigação tem por objectivos, por um lado, caracterizar a incidência do íleo pós-operatório e seu manuseamento clínico numa coorte internacional de doentes submetidos a cirurgia colo-rectal electiva e, por outro lado, avaliar o efeito e a segurança da utilização de anti-inflamatórios não-esteróides após esse tipo de cirurgia.
"Este estudo permite que doentes operados na ULSBA possam ser incluídos num estudo multicêntrico, contribuindo com dados clínicos essenciais para a produção de evidência científica que, eventualmente, possa levar a alteração de práticas clínicas para medidas mais actuais e acertadas", sublinha
Fátima Caratão, directora do Serviço de Cirurgia Geral da ULSBA.

QUESTÕES QUE O DEBATE DEVIA ESCLARECER

Zé LG Zé LG, 28.09.17

Arruamento.jpgNum concelho com as dificuldades como o de Beja é natural que as diversas candidaturas à Câmara Municipal coloquem como objectivo fundamental o desenvolvimento. Mas para que esse objectivo seja mais do que uma miragem importa avaliar o que tem estado a ser feito e o que e como pretendem fazer para o alcançar.

Duas questões essenciais devem ser esclarecidas: 1) Que terrenos existem disponívéis e quais as condições de cedência às empresas que se pretendam instalar; 2) Que medidas existem e que se propõem aplicar no sentido de agilizar e desburocratizar os processos conducentes à cedência dos terrenos e, principalmente, aos licenciamentos.

No passado dia 19 e depois de tentar sem sucesso obtê-las através do portal da Câmara Municipal, solicitei um conjunto de informações (ver em baixo) até ao dia 25, não tendo obtido qualquer resposta. Por outro lado, consta que uma empresa recentemente instalada ainda não conseguiu concluir o processo de licenciamento, devido a, entre outras razões, não ter sido ainda assinada a escritura de cedência do terreno.

 

CDU VAI “OUVIR SOBRE... DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO” DE BEJA

Zé LG Zé LG, 15.09.17

160820172223-369-cdubeja.jpg

A Coordenadora Concelhia de Beja da CDU promove, esta tarde, a partir das 19.00 horas, nas instalações da CIMBAL, a iniciativa “Ouvir sobre... Desenvolvimento Económico”, para a qual convidou para estas audições públicas, as entidades e agentes mais directamente envolvidos em cada uma das áreas a debater.

As sessões, abertas a toda a população, são uma oportunidade da CDU afirmar o trabalho realizado em diversas áreas, ancorado na sua ligação ao meio, mas sobretudo para recolher os contributos e opiniões que as entidades e agentes tenham a dar sobre as matérias em discussão.