Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

População do Baixo Alentejo preocupada com consequências da agricultura intensiva

Zé LG Zé LG, 14.02.20

P1010799.JPGNuma tentativa de perceber as populações visadas com a agricultura intensiva que se tem vindo a registar no Baixo Alentejo, António Lúcio, jornalista da Rádio Pax, foi ao encontro de quem sofre diariamente com esta situação. As câmaras de Beja e Ferreira do Alentejo não se mostraram disponíveis para explicar as alegadas violações do PDM.
Leia e oiça aqui alguns dos depoimentos obtidos.

“Montijo, Alcochete, Alverca? Beja!”

Zé LG Zé LG, 11.02.20

Nuno-Cintra-Torres.jpgA utilização do aeroporto de Beja no resgate dos portugueses de Wuhan e para a Cimeira dos Amigos da Coesão recolocaram Beja no mapa. De pequena cidade do interior, passou a ser conhecida com a única com aeroporto capaz de receber o A380, o maior avião de passageiros do mundo.

...

Pergunta: o novo aeroporto de Lisboa já existe em Beja? Há algum estudo recente que considere Beja incluída no traçado Lisboa-Sines-Évora-Madrid? Para um leigo na matéria como eu, parece óbvio que Beja oferece uma solução imediata e integrada na alta velocidade: Lisboa-Sines-Beja-Évora-Madrid. A economia da região seria muito beneficiada com Beja como hub de transportes internacionais. Lisboa ganharia um novo aeroporto sem impactos ambiental, social e económico nefastos nas margens sul ou norte.

Nuno Cintra Torres, Professor Universitário 11 Fevereiro 2020, 00:08 , aqui.

Comerciantes descontentes com a “forma como está a ser conduzida a situação” das obras de requalificação do Mercado Municipal de Beja

Zé LG Zé LG, 11.02.20

mercado1-768x432.jpgOs comerciantes consideram que podiam “ter feito a requalificação do mercado em fases”, que “não era necessária uma intervenção a nível estrutural, mas sim uma actualização, como a nível da climatização ou da vídeo vigilância/segurança”, “que a alternativa não seria muito difícil de encontrar se houvesse boa vontade da parte política” mas que “neste processo os comerciantes nunca foram ouvidos”.

Até que estejam concluídas as intervenções, os comerciantes horto-frutícolas, pescado e artesanato vão estar no Largo de Santo Amaro.

Paulo Arsénio, Presidente da Câmara de Beja, afirma que “existem boas soluções para os lojistas e que dentro das soluções possíveis, esta foi a melhor”.

Proposta de gestão partilhada de Pisões e dos Museus de Beja

Zé LG Zé LG, 08.02.20

museu1.jpg

«... Em minha opinião, essa ligação poderia/deveria passar por um modelo que, agregando as três entidades – Direção Regional, Universidade e Câmara Municipal – desse origem a uma única entidade responsável pela gestão conjunta do museu (incluído naturalmente o seu Núcleo Visigótico), de Pisões e, eventualmente, do Núcleo Museológico da Rua do Sembrano. Deixo de fora o Centro de Arqueologia e Artes e o sítio arqueológico anexo, que aguardam, por parte da autarquia, uma decisão sobre o seu futuro e modelo de funcionamento.

pisões.jpg

Essa nova entidade deveria ter uma administração tripartida, coadjuvada por um conselho consultivo alargado e, tal como prevê o citado decreto-lei, um diretor recrutado “…através de concurso público (…) a quem são delegadas competências para uma gestão responsável, que prime pela transparência e pelo cumprimento do quadro legal vigente e que se adeque às características do equipamento em causa, permitindo agilizar a operacionalização do seu plano de atividades do setor”. ...»

José Filipe Murteira, aqui.

ACOS reclama mais regadio

Zé LG Zé LG, 06.02.20

ACOS-768x432.jpg

A ACOS congratula-se com o início das obras para a segunda fase das infra-estruturas de rega de Alqueva e “reclama que sejam integrados, nesta fase do projecto, os regadios precários devendo-se, como tal, considerar uma área total irrigável de aproximadamente 200 mil hectares”.

Rui Garrido, o presidente da ACOS salienta que “uma barragem no rio Ardila, aumentar as quotas das barragens de Alvito ou Pedrogão e a renegociação da concessão de água autorizada para a agricultura” são as medidas necessárias para aumentar a reserva de água para o regadio.

“A ACOS é uma Entidade Reconhecedora de Regantes que presta serviços aos agricultores na aplicação e acompanhamento de medidas que potenciam a utilização racional da água.”

“falta de sentido democrático e desprezo total pelas reivindicações de quem trabalha”

Zé LG Zé LG, 30.01.20

«Como é possível em 2020 coisas destas… Uma vergonha, uma falta de bom senso de quem dirige uma Autarquia, aliado a uma falta de sentido democrático e desprezo total pelas reivindicações de quem trabalha.
A liberdade que cabe a cada um de perder um ou mais dias de trabalho, para lutar pelos seus interesses e direitos profissionais está consagrado na Constituição. Chama-se Sr.Presidente o direito à GREVE !
Este tipo de acções deveriam objectiva e obrigatoriamente, dar a perda de mandato....
Quem é democraticamente eleito deveria ter vergonha desta atitude.... que mais uma vez revela o desprezo e a falta de consideração que o ps alentejo tem revelado pelas lutas de quem discute "cêntimos", para melhorar as suas condições de vida.

António Góis Pereira - Anónimo 29.01.2020», aqui.

Câmara de Moura confirma acusação do PCP e acusa este de “querer confundir (mais uma vez) a população e os trabalhadores”

Zé LG Zé LG, 29.01.20

70632701_201476677513532_9078451752864317440_n.jpg«8 - No mesmo dia 24 de Janeiro de 2020, como forma de esclarecimento aos trabalhadores, relativamente à solicitação do sindicato, foi efectuada a seguinte informação“… Informa-se de que, todos os trabalhadores que se encontrem interessados em participarem da Manifestação nacional, a realizar no próximo dia 31, em Lisboa, deverão fazer chegar antecipadamente à secção dos recursos Humanos, uma participação de ausência por conta do período de férias…”;
9- A Câmara Municipal de Moura informou os trabalhadores que não concederia dispensa de serviço para participação em Manifestação, conforme solicitado pelos seus representantes;
10- Nunca por Nunca, obstaculizou o direito de qualquer trabalhador a participar na Manifestação, ao abrigo do seu Direito à Greve;
11- Aliás, não o poderia fazer, nunca o fez e nunca o fará;
12- Não coagiu, ameaçou, interferiu ou cometeu qualquer ilegalidade;
13- Resulta clara a intenção do PCP em querer confundir (mais uma vez) a população e os trabalhadores;»

Trecho retirado do “Esclarecimento” da CMM, que pode ler aqui.

CIMBAL exige dos CTT “serviço público de qualidade”

Zé LG Zé LG, 27.01.20

202001241134264043.jpg“Já foram encerradas 23 postos e há lojas subcontratadas que não prestam um serviço universal e de qualidade, manifestado em atrasos significativos na entrega de correspondência”. São estas algumas das queixas dos autarcas, que dizem haver “uma insustentável falta de respeito pela população e pelo território por parte da concessionária”. Esta é uma discussão que volta a estar em cima da mesa porque no final deste ano o contrato com a concessionária será revisto e os autarcas querem que “a situação dos serviços prestados atualmente seja alterada”. Querem que todas “as sedes de concelho tenham uma loja” e que “a qualidade do serviço seja universal”, o mesmo será dizer “igual nos locais onde o serviço é lucrativo e naqueles em que não o é.”

PCP diz que “agricultura tão modernizada não tem beneficiado a população, nem a região”

Zé LG Zé LG, 27.01.20

João Dias, deputado do PCP eleito por Beja, afirmou que “Sabemos que o uso da água de Alqueva, infelizmente, tem servido para valorizar este modelo de exploração predadora - monoculturas – e não trouxe aquilo que a população precisa”, lamentando que, após anos de reivindicação por Alqueva, “uma infraestrutura importantíssima para a região e para o país, no sentido de criar condições para valorizar a produção nacional”, esse não tenha sido o caminho seguido, que “Aquilo que é dito de uma agricultura tão modernizada, não tem beneficiado a população, nem a região”, e que se deveria apostar na produção agrícola diversificada.

202001251841051533.jpgCarlos Alves, vereador do município de Serpa, clarificou que a Câmara Municipal criou regras “em torno dos aglomerados urbanos” que definem que “numa faixa de 500 metros não podem existir este tipo de culturas”, mas estas normas “estão a ser violadas”. 

José Maria Pós-de-Mina, do Comité Central do PCP salientou que “hoje temos a obrigação” de lutar contra esta forma de exploração agrícola que voltou a levar aos campos alentejanos “o trabalho de sol a sol” e pessoas a viverem em condições desumanas.

CDU acusa a Câmara de Aljustrel de “discriminar” população de Ervidel

Zé LG Zé LG, 24.01.20

202001221011291851.jpgManuel Nobre, da CDU de Aljustrel, afirma que o sentimento de discriminação “paira” entre a população e aponta alguns exemplos concretos: rede de águas, atrasos no fornecimento de alguns materiais para execução de obras protocoladas com a Câmara e o incumprimento nas transferências dos valores que são devidos pelas obras realizadas pela Junta de Freguesia, assim como, o encerramento do Museu Rural.