Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

E agora Nelson Brito? “Mete a viola no saco” na eleição da CCDRA?

Zé LG, 05.09.20

Ceia da Silva anuncia candidatura à CCDR Alentejo

imgLoader2.ashx Ceia.jpg

António Ceia da Silva, presidente da Turismo do Alentejo, será candidato à presidência da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (Ccdra), numa candidatura que conta com o apoio dos presidentes das federações socialistas do Baixo Alentejo, de Évora e de Portalegre.

Recorde-se que o recentemente eleito presidente da Federação do Baixo Alentejo do Partido Socialista, Nelson Brito, tinha avançado estar a trabalhar com “determinação” para que o candidato da área socialista à Ccdra fosse um quadro do Baixo Alentejo não só “pelo peso político”, mas também “pela necessidade de se criar uma nova visão do território que enriqueça o trabalho” da comissão de coordenação.

E Roberto Grilo está a “ponderar seriamente a candidatura”

imgLoader2.ashx Grilo.jpg

Por outro, o atual presidente da Ccdra, confirma que, “de facto”, está a “ponderar seriamente a candidatura” àquela estrutura regional. Essa decisão é motivada pelos “fortes incentivos nesse sentido” que tem recebido “de autarcas de todos os partidos e independentes”.

Apesar de há muito ser militante do PSD, Roberto Grilo diz que a sua candidatura “será sempre absolutamente independente, apenas comprometida com o Alentejo”. Questionado pelo “Diário do Alentejo” se isso implicaria uma definição da situação com o seu partido de sempre, diz que neste cenário “as questões partidárias não se colocam”.

Alberto Matos, do BE, diz que eleições nas CCDR's são “mascarada do centralismo”

Zé LG, 01.09.20

202008281818593635 AM.jpgAlberto Matos, da Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda (BE), considera que o plano de recuperação económica e social de Portugal 2020-2030 “não tem força legal ou política” e que “o BE discute estes temas com o Governo, anualmente, orçamento a orçamento”.

Quanto às eleições para as CCDR's, programadas já para setembro, Alberto Matos deixou claro que o “BE votou contra”, que “esta não passa de uma reforma dourada de alguns autarcas, até porque mesmo eleitos podem ser demitidos pelo Governo, logo não passa de uma mascarada do centralismo”. Alberto Matos frisa que “é necessária sim a regionalização, novo referendo e até alterações à constituição”. Saudou, ainda, “o PCP por se colocar de fora deste processo, não apresentando candidato”.

Lideres distritais de Beja do PS e do PSD a favor e contra, respectivamente, a eleição das CCDR

Zé LG, 28.08.20

Nelson Brito promete “uma nova atitude” em defesa do Baixo Alentejo

202001161923501399 NB.jpgO plano de recuperação económica e social do país está na ordem do dia e no que se refere à região, o, recentemente eleito, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS diz que esta “é uma oportunidade em que não se pode falhar”. Defensor da região Baixo Alentejo, Nelson Brito quer “um novo referendo sobre regionalização” e promete “uma nova atitude” em defesa do território, nos mais variados aspetos.

Nelson Brito demonstra satisfação “com a democratização em curso das CCDR's”, referindo-se ao ato eleitoral agendado para setembro, mas recordando que “o PS continua firme na sua posição de defesa da regionalização, da criação da região Baixo Alentejo” e de que “é preciso um novo referendo, mas precedido de sensibilização da população para os ganhos deste caminho”.

 

PSD/Beja defende “aeroporto como eixo estratégico do desenvolvimento regional”

202004081949211479 psd.jpg

“O PSD de Beja vai entregar, à Direção Nacional, os seus contributos para o plano de recuperação económica e social do país” e neles vai defender “o aeroporto como eixo estratégico do desenvolvimento regional, associado à modernização da ferrovia e à conclusão da A26, pelo menos até Beja”. “Mais investimento na saúde” também vai ser pedido, diz o presidente da Distrital.

Gonçalo Valente, presidente da Distrital do PSD, discorda das “condições de elegibilidade previstas” para as CCDR's, que “devem manter-se na esfera de organismos de confiança política”, porque “teme que estes organismos possam vir a eleger responsáveis diferentes da cor do Governo central” e que “essa situação prejudique os territórios”.

PS e PSD criam mais dificuldades às candidaturas de Movimentos Independentes

Zé LG, 27.08.20

331310_295805637106613_145786679_o AMAI.jpgPS e PSD unidos para dificultar (ainda mais) as candidaturas autárquicas dos GCE (Grupos de Cidadãos Eleitores), vulgarmente intitulados Movimentos Independentes.

Não bastava, que ao contrário das candidaturas partidárias não tivessem isenção do IVA, agora propõem que os GCE sejam impedidos de, no mesmo concelho, utilizarem a mesma denominação, símbolo e sigla, nas candidaturas das Assembleias de freguesia (AF) que utilizam nas Camaras (CM) e Assembleias Municipais (AM). Ou seja, na AF os GCE têm de candidatar-se com outro GCE. Então quando um GCE se candidata à CM e à AM, não está a abranger todo o concelho ? E não são os mesmos cidadãos eleitores que legitimamente votarão nos três órgãos (CM, AM e AF) !!!!

 

 

PCP não vai apresentar candidato a presidente da CCDR

Zé LG, 21.08.20

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da República promulgou o diploma sobre a eleição dos presidentes das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) que tinha sido aprovado no Parlamento com os votos do PS e PSD. Para Marcelo, o novo articulado não configura uma “regionalização encapotada”; para o PCP não passa de mais “um truque” para adiar a criação das regiões administrativas. João Cravinho, que presidiu à comissão independente para a descentralização criada na Assembleia da República, concorda com ambos: “A reforma em causa nada tem a ver com a regionalização, limita-se a ser uma reforma da administração central periférica”.

António Costa terá chamado a si o dossiê das eleições das CCDR e a escolha dos candidatos à presidência das mesmas. Segundo o jornal “Público”, o primeiro-ministro está em negociações com Rui Rio, presidente do PSD, e quer concluir o processo esta semana.

O PCP não irá apresentar qualquer candidatura, nem integrar qualquer lista “por uma questão de princípio”, nem tomará qualquer iniciativa para conversar com os socialistas sobre este assunto, mas diz-se “disponível para dialogar”, se para isso for abordado.

O PCP recorda ainda que, em 2018, Rui Rio e António Costa fizeram um acordo sobre esta matéria e consideram que as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional “continuam a ser o que são: estruturas desconcentradas da administração central, por ela controladas, tuteladas e dirigidas”, em que Governo mantém o poder de demissão dos futuros eleitos.

Ana Baptista voltou a presidir ao CPC de Beja

Zé LG, 22.07.20

No dia 6 de Julho, tomaram posse, para o Quadriénio 2020-2023, os Órgãos Sociais do Centro de Paralisia Cerebral de Beja, eleitos na Assembleia Geral Eleitoral de dia 18 de Junho.

Sem-Título-1.jpg

Mesa da Assembleia Geral

Presidente - Maria de Fátima Cortes Belchior Sousa

Vice-Presidente - Maria Dores Roque Amado

Secretária - Vera Lúcia Martins Pereira Rocha Baião

Direção

Presidente - Ana Maria Gordo Baptista

Vice-Presidente - Maria Emília Proença Mateus

Tesoureiro - Joaquim António Falé Curro

Secretária - Antonieta Guerreiro Luz Pote Francisco

Vogal - António Garcias Lopes

Suplente - Sandra Isabel Galamba Chícharo Afonso

Suplente - Jorge Miguel de Oliveira Caetano

Conselho Fiscal

Presidente - Jorge Alexandre Barrocas Freitas Jorge

Vice-Presidente - Vicente Maria Mouzinho Maurício

Secretária - Maria Filomena Colaço Matias Marujo

Suplente - António Joaquim Vargas Rodrigues

Suplente - Maria de Lurdes do Sacramento Figueira de Freitas.

Aos novos Órgãos Sociais, que felicitamos pela eleição, formulamos votos bom trabalho , para que o CPC de Beja possa prosseguir e melhorar o seu meritório trabalho.

Nelson Brito é o futuro presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS

Zé LG, 01.07.20

imgLoader2.ashx.jpgNelson Brito, actual presidente da Câmara de Aljustrel, vai ser o único candidato à presidência da Federação do Baixo Alentejo do PS nas eleições agendadas para o próximo dia 17 de Julho, depois de Hélder Guerreiro ter abdicado da sua candidatura, de acordo com o comunicado assinado por ambos, que refere que "perante estas circunstâncias, conscientes das exigências do actual contexto social e político e dos novos desafios que importa vencer no futuro, os candidatos à Federação do Baixo Alentejo do PS, Hélder Guerreiro e Nelson Brito, construíram uma solução consensual, que une esforços para tornar o PS mais forte, que alia a responsabilidade à acção política e que centra no Baixo Alentejo as energias e a determinação de um partido unido e mais forte". Leia também aqui.

Assembleia Municipal de Moura tem, pela primeira vez, uma presidente

Zé LG, 17.06.20

moura-4-768x432.jpg

Paula Ramos foi eleita presidente da Assembleia Municipal de Moura, na última reunião, realizada na passada 2ª feira, no seguimento da renúncia ao mandato de Francisco Cerejo, em Fevereiro .

É natural de Moura, tem 54 anos e é professora. No seu percurso político foi Vereadora da Câmara Municipal de Moura, no mandato entre 2009 e 2013 e eleita na Assembleia Municipal desde 2013, de que era primeira secretária da Mesa.

Paula Ramos sublinhou que “sinto-me muito honrada, por ser a primeira mulher a assumir este cargo, que é muito importante nos destinos da nossa cidade” e que “Agradeço aos meus companheiros de bancada do PS, que entenderam ser este o caminho a seguir, acabando por aceitar este cargo político.”

Presidentes das CCDR's vão ser eleitos em Setembro

Zé LG, 10.06.20

ccdra.jpgO Conselho de Ministros aprovou o decreto-lei que irá permitir a eleição indireta dos presidentes das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), prevista para o mês de setembro, por um colégio eleitoral composto pelos presidentes e vereadores das câmaras municipais e pelos presidentes e membros das assembleias municipais (incluindo os presidentes de junta de freguesia) da respetiva área territorial.

O objetivo é “garantir uma maior representatividade de todos os eleitos locais e uma melhor administração ao nível regional, reforçando a legitimidade democrática e a transparência ao nível da governação regional”. Atualmente, os presidentes das CCDR são nomeados pelo Governo.

Ana Gomes admite candidatar-se à Presidência da República

Zé LG, 18.05.20

mw-860.jpgA socialista ficou chocada com o apoio de António Costa a Marcelo, que diz ser um perigo por dar espaço a André Ventura. E admite agora repensar o seu "não" a uma candidatura presidencial em janeiro. "Há quem pense que o PS não é uma democracia", disse na SIC-Notícias.

Classificando o episódio de "lamentável, deprimente mesmo", mostrou preocupação com que vê as próximas presidenciais. "Isto de facto mudou muita coisa. Vem dar muita preocupação a toda a gente, aos democratas do nosso país em particular. É grave e faz-nos refletir. O candidato do regime (Marcelo) vai polarizar a sociedade e isso vai facilitar a vida dos extremos e num momento em que temos aí a extrema direita organizada. É tão grave que eu tenho que refletir se sou candidata".

"Eu disse que não sou candidata, mas neste momento todos os democratas têm que refletir", afirmou Ana Gomes relativamente a uma potencial candidatura a Belém. "Admito refletir", reafirmou, "eu e outras pessoas".

Isabel Camarinha, a nova (e primeira) Secretária-Geral da CGTP-IN

Zé LG, 15.02.20

IMG_7610.JPGSaímos deste Congresso fortalecidos, com grande e genuína abertura para dinamizar a unidade na acção, com todos os que trabalham no nosso país, sejam eles de que nacionalidade forem, tenham que credo religioso tenham e mesmo com os que nenhum têm, votem em que Partido votarem, porque aquilo que nos une é a nossa condição de explorados é o facto de sermos trabalhadores.
Estamos a chegar ao fim do nosso Congresso, vamos partir para novas lutas, com a confiança nos trabalhadores, com o exemplo e o estímulo da acção dos que nos antecederam e daqueles que asseguram hoje este grande projecto sindical e que daqui saúdo.
Leia todo o seu discurso de encerramento do XVI Congresso da CGTP-IN , aqui.

João Paulo Ramôa reeleito provedor da Misericórdia de Beja

Zé LG, 16.01.20

190120162124-952-JooPauloRamoa.jpgJoão Paulo Ramôa liderou a única lista que se apresentou a votos na Santa Casa da Misericórdia de Beja e foi reconduzido no cargo de provedor. A Direção é constituída pelo presidente João Paulo Ramôa e mais quatro pessoas: Luís Dargent, Afonso Henriques Rabaçal, António Nascimento e Sandra Peixeiro. A Assembleia-geral continua a ser liderada por António Chícharo e o Conselho Fiscal por Pires dos Reis.
João Paulo Ramôa pretende agora consolidar projetos que iniciou no mandato anterior: “trabalho que está a ser desenvolvido junto dos mais velhos, dando-lhes qualidade de vida em suas casas até o mais tarde possível”, “construção de 20 habitações, T0 e T1”… para distribuir depois por pessoas que estejam em situações de pobreza de fundo ou pontual”; “levar a bom porto candidaturas para requalificação da Igreja e do Museu da Farmácia, assim como algumas parcerias que foram iniciadas e que precisam de ser prosseguidas”.

João Carlos Goes eleito presidente da Assembleia Municipal de Vidigueira

Zé LG, 08.01.20

202001071202018437.jpgJoão Carlos Goes tem 50 anos e é docente do Ensino Superior há mais de 20 anos, sendo atualmente Professor Catedrático na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade NOVA de Lisboa.

Nas últimas Eleições Autárquicas foi eleito nas listas da CDU pelo sexto mandato consecutivo, sendo membro deste órgão desde 1997.

João Carlos Goes expressa “a sua gratidão pela confiança depositada para presidir aos trabalhos da Assembleia Municipal, cargo que espera desempenhar de forma independente, rigorosa e justa, garantindo que as decisões democraticamente tomadas sejam aquelas que mais se ajustam às expectativas e necessidades da população e no sentido do progresso e do desenvolvimento sustentado do concelho de Vidigueira”.

Assembleia Municipal da Vidigueira elege novo presidente

Zé LG, 27.12.19

vidigueira-768x432.jpgA Assembleia Municipal da Vidigueira elege hoje o presidente da Assembleia Municipal, na reunião agendada para 21h30 na Sala de Sessões do Edifício dos Paços do Concelho.
Os eleitos vão ainda votar os Documentos Previsionais para 2020 e o Mapa de Pessoal do próximo ano, tal como a versão final do Projecto de Estratégia de Reabilitação Urbana da Vidigueira.

Recordamos que o anterior presidente da Assembleia Municipal de Vidigueira anunciou a sua demissão, na reunião de Setembro.

Rui Marreiros substitui Claudino de Matos na presidência da Direção do CEBAL

Zé LG, 06.12.19

Tomaram posse hoje, dia 6, os órgãos sociais do CEBAL, eleitos para o triénio 2019-2022. Até 2022, Claudino de Matos, da ACOS, preside a Mesa da Assembleia-geral; Rui Marreiros, da EMAS de Beja, à Direção do CEBAL e Filipe Pombeiro, do NERBE/AEBAL, ao Conselho Fiscal.

170220162230-650-CEBAL.jpgAs eleições ditaram que integram, também, a Direção do CEBAL seis vice-presidentes, nomeadamente João Margalha, da Câmara de Beja; João Paulo Trindade, do IPBeja; Miguel Elias, da Universidade de Évora; José Filipe Santos, da EDIA; Fernando Romba, da CIMBAL e Fátima Duarte, sócia individual. Na Mesa da Assembleia-geral são vogais Eduardo Castro, da Universidade de Aveiro e o sócio individual João Lopes Baptista. Os vogais do Conselho Fiscal são o sócio individual Jorge Nunes e Sérgio Vaz, da Águas Públicas do Alentejo.

Abstenção

Zé LG, 09.10.19

A democracia é, em meu entender, um regime imperfeito, que exige permanente aperfeiçoamento. Desde há muito que acho que, se a democracia representativa não for complementada com a democracia participativa, tende a tornar-se desmobilizadora. Esta tendência tende a acentuar-se com as sondagens que, indicando projecções dos resultados, desmobilizam tanto mais os eleitores quanto menos parece o voto decidir.

Resultados Eleitorais Globais (faltam os votos da emigração)

Zé LG, 07.10.19

Resultados Globais.JPG

Para além da abstenção ter subido de 43% para 45,5%, os votos nos pequenos partidos (>1,5%) subiram de 6,88% para 7,50% e os brancos e nulos de 3,70% para 4,28%.

Actualização: O apuramento dos votos dos círculos da emigração atribuiu dois deputados para o PSD, e dois também para o PS, vencedor das eleições de 6 de outubro. Assim, o PS reforça a presença no Parlamento para 108 deputados, enquanto o PSD passa a ter 79 mandatos.