Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Ideologia determina opção da gestão da água em baixa

Zé LG, 22.07.19

Jorge Rosa, presidente da Câmara Municipal de Mértola e da Cimbal, acusou quem votou contra a proposta de criação da Águas do Baixo Alentejo – uma empresa que envolveria nove municípios (PS) da Cimbal e as Águas de Portugal, para gerir a distribuição de água em baixa -, de o ter feito “por pura ideologia partidária”. Outros camaradas seus, designadamente António José Brito e Paulo Arsénio, presidentes das Câmaras Municipais de Castro Verde e de Beja fizeram afirmações semelhantes.

Ora, se eleitos de outras forças políticas (CDU e BE) votaram contra (PSD e Por São Matias com Todos abstiveram-se, em Beja) aquela proposta “por pura ideologia partidária” o que dizer dos eleitos do PS dos oito dos nove municípios da Cimbal? Vejamos apenas algumas notas:

1 – Porque avançaram os eleitos do PS daqueles oito Municípios do PS sem os os quatro municípios da CDU e o de Ferreira do Alentejo (PS)?

2 – Porque “esqueceram” ou subestimaram os eleitos do PS das Câmaras de Castro Verde e de Beja que o PS não tem maioria nas respectivas Assembleias Municipais e que, conhecidas as posições da CDU e do BE, aquela proposta podia não passar, como se veio a verificar?

Em vez de acusarem outros de terem chumbado uma proposta sem os necessários estudos que a fundamentassem como a melhor, como referiu e bem Pita Ameixa, presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo (PS), os eleitos do PS deviam acusar-se a si próprios de não terem feito “o trabalho de casa” como deviam, de se terem “esquecido” de, pelo menos em duas Assembleias Municipais, precisarem dos votos de quem, à partida, era contra este caminho, de pouco ou nada terem feito para esclarecer todos os eleitos, os trabalhadores do sector e as populações das implicações da mudança proposta para a gestão da distribuição da água em baixa, como reconhece o próprio Jorge Rosa.

É claro que as posições de todos – e não apenas da CDU e do BE, como o PS afirma -, é determinada pela ideologia que cada um, o que é perfeitamente normal. Os eleitos do PS nos municípios em causa, ao escolherem e tentarem impor a sua proposta também o fizeram “por ideologia”. Se a sua é “pura” ou não é o que se pode questionar...

CIMBAL propõe Manuel Soares para o CA da ULSBA

Zé LG, 12.06.19

201906111803379618.jpgO Conselho Intermunicipal da CIMBAL na sua reunião de junho, deliberou, por maioria, propor para vogal do Conselho de Administração da ULSBA, Manuel Soares.

Manuel Soares é licenciado em Ciências Farmacêuticas, com especialização em Administração Hospitalar e em Gestão de Unidades de Saúde. Manuel Soares foi vogal Executivo do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Baixo Alentejo, de 2005 a 2008 e da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, de 2008 a 2012.

Recorde-se que Manuel Soares foi candidato do PS à Câmara Municipal de Serpa nas últimas eleições autárquicas. Foi antes membro da Assembleia Municipal de Serpa e da Assembleia Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo.

CIMBAL escolhe vogal no CA da ULSBA em junho

Zé LG, 15.05.19

20190514163049762.jpg

Jorge Rosa, presidente do Conselho Intermunicipal da CIMBAL, explicou que agora que já está constituído, de novo, o CA da ULSBA este seria o momento oportuno para indicar o vogal dos municípios. Acrescentou que pediu aos 13 municípios para indicarem pessoas com perfil técnico/político adequado para o cargo e que a escolha será feita em junho, mês em que se realiza a próxima reunião do Conselho Intermunicipal da CIMBAL.

CIMBAL tem concluído Plano de Adaptação às Alterações Climáticas

Zé LG, 22.04.19

Seca-768x512.jpgA CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo tem fechado o Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas do Baixo Alentejo (PIAACBA), que define um conjunto de medidas de sensibilização e prevenção, pretendendo assim mitigar o impacto das alterações climáticas no território.

O Plano vai ser apresentado, quarta-feira, pelas 9 horas, no auditório do Nerbe/Aebal no decorrer da Ovibeja, que tem como tema central as alterações climáticas.

CIMBAL exige substancial reforço da verba para melhoria dos transportes públicos

Zé LG, 19.04.19

autocarros_beja.jpgA Assembleia Intermunicipal da CIMBAL-Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo aprovou uma moção a exigir um PART- Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos que reforce a coesão territorial. O documento, apresentado pelo Grupo do Partido Socialista, foi aprovado por unanimidade.

A Moção, apela ao Governo que seja coerente no discurso e na acção, relativamente ao interior do País, e exige um substancial reforço da verba do PART atribuída ao Baixo Alentejo de modo a obter uma clara melhoria dos transportes públicos, com reforço da oferta e extensão de percursos, conseguir uma maior redução dos tarifários e aliviar as famílias de parte desse encargo, que é pesado, melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, reforçar a coesão e a competitividade territorial, promover a sustentabilidade ambiental, contribuindo para a redução da utilização de transportes individuais e tratar com equidade esta região em relação ao resto do país.

CIMBAL recebeu Ministro da Administração Interna para ponto de situação sobre áreas de actuação do governo

Zé LG, 09.04.19

CIMBAL-768x432.jpgA CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo recebeu na passada sexta-feira, uma reunião dos autarcas do Baixo Alentejo com o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanhado da Secretária Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, do Secretário de Estado da Protecção Civil, José Artur Neves e do Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel.

Esta foi uma sessão de trabalho, promovida no âmbito do roteiro do MAI- Ministério da Administração Interna e “serviu para efectuar o ponto de situação sobre as áreas de actuação destes membros do governo, no território do Baixo Alentejo”, anuncia a CIMBAL.

Novo modelo de gestão garante a permanência de todo o espólio do Museu em Beja

Zé LG, 04.04.19

museu.jpgA secretária de Estado da Cultura, Ângela Ferreira, esteve, ontem, no Museu Regional Rainha Dona Leonor, em Beja, e assegurou que o modelo de transferência previsto para a tutela do Ministério da Cultura assegura a manutenção do seu espólio e dos funcionários do quadro. O processo de negociações está a ser ultimado e a CIMBAL espera que o protocolo seja assinado no início de maio.

Ângela Ferreira entende que “esta passagem para um verdadeiro Museu Regional é muito importante não só para o distrito de Beja, mas para todo o Alentejo (…) de forma a proporcionar e aumentar a visibilidade do Museu ao nível do território nacional”.

“Feira das Bibliotecas” promovida pela CIMBAL arranca em Beja

Zé LG, 27.03.19

Feira-Bibliotecas.jpgA iniciativa decorre até final do ano, de forma itinerante, nas Bibliotecas Públicas dos 13 Municípios da CIMBAL.
O projecto pretende “promover o trabalho desenvolvido pelas bibliotecas junto das pessoas das suas comunidades, sublinhando assim a importância estratégica das bibliotecas no território e no exercício de uma cidadania mais informada e consciente, através do contributo dos serviços prestados para o desenvolvimento pessoal e social”, revela a CIMBAL em nota de imprensa.

Daqui e daqui.

Projecto (Des)construir para a economia circular reuniu na CIMBAL

Zé LG, 21.03.19

amcal.jpgEstiveram presentes técnicos do LNEG – Laboratório Nacional de Energia e Geologia e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, com preciosos contributos para o desenho de um sistema integrado de gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD’s) para o Baixo Alentejo, candidatável a fundos comunitários.

(Des)construir para a economia circular tem como principais objectivos eliminar a deposição ilegal de RCD, reduzir a deposição em aterro de RCD, reduzir o consumo de recursos naturais e recuperar, reutilizar e reciclar os resíduos.

CIMBAL abre concurso público internacional para Fornecimento de Gás

Zé LG, 09.03.19

201903052217026078.JPGA Central de Compras da CIMBAL- Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo tem aberto, até dia 29 deste mês, o concurso público internacional para o Acordo-Quadro para fornecimento de Gás, composto por cinco lotes e contempla o fornecimento de gás natural (canalizado e granel); gás propano (garrafas e granel) e gás butano (garrafas).

 

Ana Matos Pires acusa os “cimbaleiros” de cobardia política

Zé LG, 24.02.19

Dos ratos não reza a história

hosp.jpgJuntamente com o SNS, o poder local foi, seguramente, uma das grandes conquistas de Abril.
A maturidade democrática de um povo demonstra-se, também, pela importância e robustez do exercício de cidadania e o poder local é – ou deve ser e tem obrigação ética de ser – o maior representante e o garante desse exercício.
...
Deixemo-nos de tretas, não é por falta de solução “técnico-política” que não existe este representante, é, isso sim, por cobardia política. Fazer parte de um conselho de administração de uma ULS em graves dificuldades, com recursos precários, sem apoio central não é, aos olhos de “politiqueiros”, eleitoralmente vantajoso e esta é a verdadeira razão. Que tristeza, que desgraça. Fazer parte da luta e de uma tentativa de solução só pode ser sempre eleitoralmente vantajoso – Abril provou-nos isso. Não perceber isto é, além de profundamente ruim, passar um atestado de estupidez aos eleitores locais.
Que vergonha, senhores “cimbaleiros”, tenham maneiras.

Texto de Ana Matos Pires, com foto de José Ferrolho, publicado no Diário do Alentejo, que poder ler na íntegra aqui.

“Não acredito nem quero acreditar. Não gozem com quem vos elegeu.”

Zé LG, 14.02.19

A CIMBAL assume não existir na NUTS III "Baixo Alentejo" ninguém com o perfil, e cito, "técnico-político" para assumir o cargo de vogal executivo do CA da ULSBA. Não fosse grave e seria só risível. Ana Matos Pires 13.02.2019 00:54

(Coitadas das gentes desta terra que merecem tanto, mas tanto mais. Que irresponsabilidade política e social, que vergonha senhores autarcas. E depois disto têm o topete de se dizerem "preocupados com a prestação de cuidados de saúde no Baixo Alentejo"? Não gozem com quem vos elegeu.) Ana Matos Pires 13.02.2019 01:01

É aterradora a falta de capacidade da CIMBAL para exercer as funções que legalmente lhe estão consignadas. Os Srs Presidentes das Câmaras estão sempre disponíveis para uns almoços, viagens ao estrangeiro, festas e festinhas, agora para molharem o "rabinho " e assumirem responsabilidades na defesa das suas populações fazem um "manguito". De facto é preciso manter o status quo. Estranho é o total alinhamento dos autarcas do PCP com os seus Camaradas do PS, a geringonça no no seio da CIMBAL. Anónimo 13.02.2019 19:02

Aqui.

 

Isto depois do “processo de contratação do Director do Diário do Alentejo” e da entrega do Museu Regional ao Ministério da Cultura.

Paulo-Arsénio-Ministro-768x432.jpg

E, como se não bastasse já, recebeu o agora candidato do PS ao PE ainda com vestes de ministro das infra-estruturas e dos fundos comunitários, que tudo recusou à nossa região, para anunciar para futuros incertos e longínquos projectos, concursos, .. (aqui e aqui).

Pedro Marques, Ministro do Planeamento e candidato do PS ao PE, reuniu com a CIMBAL para prometer o que não fez

Zé LG, 14.02.19

CIMBAL recebe sessão sobre economia circular

Zé LG, 25.01.19

Um "fato" à medida e sem quaisquer pruridos, num "concurso" sem pés nem cabeça

Zé LG, 17.01.19

11041228_613933785404996_7157424845400348491_n.jpgUm "fato" à medida e sem quaisquer pruridos, num "concurso" sem pés nem cabeça, que já devia ter sido anulado para bem da credibilidade do "serviço público", neste caso, da CIMBAL e dos autarcas do Baixo-Alentejo, proprietários do "Diário do Alentejo".

49898593_2073579952734140_713375084110151680_n.jpg

 

“O concurso é (foi) publicado no dia 17 de Dezembro, tendo os interessados nove dias consecutivos para formalizar a candidatura. Contando a partir de 17, o período abrange o fim de semana antes de Natal (com tolerância de ponto e os serviços públicos fechados) e o feriado de 25. O júri era formado por três vereadores socialistas das autarquias de Barrancos, Beja e Castro Verde (…) A candidatura exigia documentos comprovativos legais de não condenação judicial por crimes que comprometessem a honorabilidade profissional, de não existência de dividas à segurança social e ao fisco e de que não tivesse sido objecto de sanção administrativa ou judicial por utilização de mão de obra não declarada. E o acesso à plataforma online para formalizar (a) candidatura exigia assinatura digital reconhecida e leitor de cartão de cidadão. Os critérios de valorização eram 50% para o preço, 30% para a experiência e 20% para a realização de “vídeos ou documentários”. O que criou estranheza considerando que o DA é um órgão de imprensa escrita e nem sequer tem um site”, pode ler-se neste artigo da revista “Sábado”.

Cf Júlio

CIMBAL já escolheu o novo director do Diário do Alentejo

Zé LG, 15.01.19

 

Luis-Maneta-768x432.jpgLuís Maneta é o novo director do Diário do Alentejo (DA), a partir de 1 de Fevereiro.
Na reunião ordinária do Conselho Intermunicipal da CIMBAL, realizada hoje, foi aprovado o projecto de decisão final e a respectiva minuta do contracto, pelo período de 12 meses, com possibilidade de mais duas renovações.

 

A CIMBAL fez assim "orelhas moucas" ao coro de críticas à forma como o concurso de selecção do novo director do DA foi  aberto e aos critérios usados, que levou a que apenas se tivesse candidatado um jornalista. Considerando que dificilmente voltará atrás e abra um novo concurso que afaste as dúvidas levantadas e que não está em causa o jornalista escolhido - mas sim o concurso através do qual foi escolhido -, espera-se agora que Luís Maneta torne o DA mais moderno, com edição on-line e um site apelativo e atractivo”, como foi anunciado ser a pretenção da CIMBAL.   

Pela minha parte, desejo-lhe bom trabalho com isenção, dando continuidade ao que vinha sendo feito.

A CIMBAL não esclarece e o PCP cala-se?! Isto está a ficar bonito...

Zé LG, 27.12.18

Cada vez mais, tenho mais dificuldade em aceitar esta forma de fazer política e cada vez reconheço menos o PCP,  pelo menos aqui por Beja.

Como escrevi no anterior alvitre, a Cimbal tem legitimidade institucional para nomear o director do Diário do Alentejo. Mas devia fazê-lo de forma transparente, tal como o próprio Paulo Barriga disse, ao defender a realização de um concurso público que fosse verdadeiro, livre e aberto ou então que a CIMBAL assumisse pública e politicamente que quer “esta” ou “aquela” pessoa à frente do jornal e avançasse com a sua nomeação.

Assim, com este procedimento, ficou na opinião pública a certeza de que a Cimbal quis afastar Paulo Barriga da Direcção do Diário do Alentejo. A Cimbal, instada a fazê-lo, não disse se Paulo Barriga podia continuar a dirigir o Jornal e em que condições. Antes pelo contrário, o seu presidente disse que, neste momento, o jornal está “meio apático”... Ou seja, que precisa de ser "dinamizado" por alguém que não que o deixou ficar assim... 

Que os eleitos do PS assim actuem, ainda compreendo, embora não concordando, porque querem um jornal mais "dinâmico" num ano de eleições. Agora que os eleitos da CDU votem favoravelmente a abertura de um concurso naquelas condições, que permite a "escolha" de um novo director à medida dos interesses do PS e se calem perante a indignação geral da opinião pública já me parece mais difícil de entender... Será que vão continuar calados? E a DORBE também? E os outros partidos também não têm nada a dizer? Que raio de unanimidade é esta?

Que unanimidade é essa que quer “modernizar” o Diário do Alentejo?

Zé LG, 27.12.18

201812261723343913.jpgPaulo Barriga defende a realização de um concurso público para a direcção do Diário do Alentejo que seja verdadeiro, livre e aberto mas como, na sua opinião, não é isso que está acontecer considera que a CIMBAL devia assumir publica e politicamente que quer “esta” ou “aquela” pessoa à frente do jornal e avançava com uma nomeação.
Jorge Rosa, presidente do Conselho Intermunicipal da CIMBAL, diz que o que se pretende é que o Diário do Alentejo passe a ser moderno, com uma edição on-line e com um site apelativo e atractivo porque, na sua opinião, neste momento o jornal está “meio apático” e recorda que o concurso foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Intermunicipal.

 

O Diário do Alentejo, embora sendo propriedade da CIMBAL, é património da região. Tendo a sua proprietária legitimidade institucional para nomear o seu director, não deve utilizar essa prerrogativa para pôr em causa a estabilidade e o nível editorial alcançados nos últimos anos. O concurso aberto, pela excentricidade dos crítérios definidos, é tudo menos transparente e, em consequência, susceptível das piores conjecturas. Como tal, a Cimbal deverá esclarecer totalmente as dúvidas que têm sido levantadas sobre as suas reais intenções com a abertura deste concurso.