Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Agricultores garantem que “intensificação da cultura do olival não descura processos ecológicos”

Olival-ABORO-660x330.jpgA Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo e a Olivum — Associação de Olivicultores do Sul rebatem, em conjunto, declarações veiculadas junto da opinião pública por parte de “organizações ambientalistas, partidos políticos e jornalistas, que, por falta de conhecimento ou por razões ocultas, estão a promover a desinformação e a colocar em causa o trabalho e o contributo positivo dos agricultores para a dinamização da agricultura, para o desenvolvimento da região e para o combate às alterações climáticas”.

Explicam aqueles agricultores que “sem água não há biodiversidade, nem condições de deter o avanço da desertificação. Entre outras variáveis, o aumento da temperatura e a perda de humidade no solo são contrariados através da arborização, onde se integra a oliveira”.

Leia tudo aqui.

FENAREG propõe medidas de mitigação dos efeitos da seca na agricultura

50639427_543182732861767_299012161403879424_n.jpgA FENAREG – Federação Nacional de Regantes propôs medidas de mitigação dos efeitos da seca na agricultura, na audição da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar. A Federação quer que as mesmas tenham “efeito imediato” e que “compensem os agricultores regantes pelos efeitos da seca prolongada”, recordando que este é o quinto ano consecutivo em que os agricultores se confrontam com as questões da seca, nomeadamente com restrições de disponibilidade hídrica, em várias bacias hidrográficas.

A FENAREG avança, ainda, que algumas das medidas de fundo apresentadas no Parlamento integram o “Contributo para uma Estratégia Nacional para o Regadio”, que será apresentado no dia 14 de Junho, na Feira Nacional de Agricultura de Santarém.



“Alentejo VIVO” é um novo Movimento criado para defender...

... “a promoção duma agricultura sustentável que respeite o ambiente, o património, a saúde pública e a qualidade de vida dos cidadãos”, segundo José Paulo Martins, membro da sua comissão coordenadora.

a.jpeg

O Movimento quer “lançar o  debate em torno de diversas questões associadas à instalação de mais de 200.000 hectares de culturas intensivas, onde sobressai neste momento o olival intensivo e superintensivo, de modo a se acautelarem os impactes que começam já a ser manifestos, na conservação do solo, na qualidade da água superficial e subterrânea, na saúde humana, na perda de biodiversidade, na afectação de património arqueológico e histórico, e de algum modo também na perda de uma certa identidade regional”.

O Movimento Alentejo VIVO pretende “desenvolver um conjunto de acções... com o objectivo de alertar as consciências e obrigar o poder político a agir com o objectivo último de defender o ambiente, defender a saúde das populações e garantir a qualidade de vida das comunidades locais”.

Ler também aqui.

"A Agricultura e o Ambiente no Mediterrâneo"

CEBAL-768x512.jpg… é o tema central das primeiras Jornadas MED, que se vão realizar no Polo da Mitra da Universidade de Évora, nos dias 27 e 28 de junho, para dar visibilidade à investigação que já é desenvolvida nos quatro centros de investigação do Sul, que pretendem criar o MED - (que em português pode ser traduzido como Instituto para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento no Mediterrâneo), já candidatado à Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que, a ser aprovado, irá permitir aos quatro centros envolvidos "aumentarem a sua massa crítica e o tipo de sistemas acerca dos quais podem dar resposta em termos de investigação".

Do Alentejo, a iniciativa tem a participação do ICAAM e do Polo de Évora do Cibio - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, ambos da UÉ, assim como do Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL), localizado em Beja. O MeditBio - Centro para os Recursos Biológicos e Alimentos Mediterrânicos da Universidade do Algarve é a outra unidade de investigação participante no projeto.

Estes quatro centros atuam em áreas complementares e, como somos todos focados sobre sistemas do Mediterrâneo, achámos que faria sentido juntarmos esforços", destacou Teresa Pinto Correia, diretora do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (ICAAM) da Universidade de Évora (UÉ).

PSD apresentou e aprovou recomendação ao Governo para valorização de ZPE na Margem Esquerda do Guadiana

Nilza-de-Sena-768x432.jpgO grupo parlamentar do PSD apresentou e aprovou uma recomendação ao Governo para que este elabore o plano de gestão da Zona de Protecção Especial (ZPE) dos concelhos de Moura, Mourão, Barrancos e Serpa, na estratégia do Turismo 2027, no prazo de um ano, que estabeleça as medidas e acções de conservação, visando a compatibilização da conservação dos valores naturais com as actividades praticadas no Sítio e na ZPE”.

Recomenda aiunda que “a estratégia do Turismo 2027, que consagra a natureza como activo estratégico, contenha mecanismos de combate à sazonalidade” e que sejam criadas “medidas especiais de apoio aos agricultores e às agroindústrias existentes e às que futuramente se venham a instalar neste território, para aproveitar e incrementar o potencial do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva e a sua importância estratégica para o País”.

Castro Verde integra projecto de Desenvolvimento das Reservas da Biosfera

Castro-Verde-768x432.jpgA Câmara de Castro Verde assinou o protocolo de colaboração no projecto “Promover o desenvolvimento dos Territórios das Reservas da Biosfera portuguesas enquanto laboratórios de sustentabilidade”.
O acordo foi rubricado entre o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a Secretaria-geral do Ambiente e os gestores das 11 Reservas da Biosfera.

FENAREG defende que uso eficiente da água deve ser prioridade

Num momento em que se discute o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) e se aproximam as eleições para o Parlamento Europeu, a FENAREG – Federação Nacional de Regantes de Portugal defende que “os países do Sul da Europa devem concertar posições para defender o futuro da agricultura de regadio na União Europeia, essencial à produção de alimentos a preços competitivos, à fixação das populações no território e à protecção do Ambiente”.

A Federação sublinha que “as futuras políticas europeias de apoio ao investimento em regadio devem incentivar os agricultores a atingir metas ainda mais ambiciosas de eficiência do uso da água e não centrar os esforços no “corte cego” do uso da água em agricultura”.

A FENAREG defende que a PAC, para o período 2021-2027, deve “apoiar investimentos com base no aumento da produtividade económica da água (ou seja produzir mais kg de determinada cultura agrícola com o mesmo volume de água) e não com base na poupança de água obtida”.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Por falar em Grândola... foi esta semana notícia u...

  • Anónimo

    Sobretudo porque os eleitos locais não defendem qu...

  • Munhoz Frade

    O que repetidamente entre nós se assiste é sintoma...

  • Anónimo

    Mas é que não tenhas a minima dúvida.Está tudo pre...

  • Anónimo

    Isso ainda também se esfuma...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.