Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Enfermeiros denunciam “graves problemas” no Hospital de Beja

Hospital-de-Beja-1-768x512.jpgOs enfermeiros da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP) da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) enviaram ao Conselho de Administração uma exposição onde identificam “graves problemas” na prestação de cuidados aos doentes internados na UCIP. 

Edgar Santos, coordenador do SEP – Sindicado dos Enfermeiros Portugueses no Alentejo, avança que, para além deste serviço há outros onde a carência de enfermeiros se reflete no cansaço, excessivo, destes profissionais e na qualidade dos serviços prestados aos utentes, deixando exemplos, acrescentando que a ULSBA precisaria de contratar mais 40 a 50 enfermeiros para fazerem face às necessidades dos serviços.

O Conselho de Administração da ULSBA revelou que “está em curso a contratação por substituição de profissionais de enfermagem para a Unidade o que irá colmatar as faltas existentes, neste momento”, frisando que “com total confiança no trabalho e empenho dos profissionais da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente, ... confirma a qualidade e a segurança dos cuidados prestados aos doentes internados, e o apoio às suas famílias, em todos os momentos e a todas as horas.”

Leia e oiça também aqui.

“... mas ninguém nos ouve, ninguém nos escuta”

«… é também por estas e por outras que cada vez estou mais farto de politicos e de outras elites que à conta do estatuto são detentores da sabedoria suprema quando na maior parte das vezes mais não fazem se não andarem a patinar, ainda assim nunca têm culpa de nada e sabem sempre tudo! E depois há os outros, os que tudo podem, os inatacáveis, que não sendo da cupula, condicionam a cupula, que põem e dispõem a seu bel prazer sem que alguém lhes faça frente e mesmo que haja alguém que o tente fazer sairá irremediavelmente a perder pois o medo de quem pode decidir tolda-lhes o discernimento, tornando-os incapazes de destrinçar o bem do mal, o errado do correcto, tornando-os dependentes "desses outros". É este o mundo em que vivemos, tanto que haveria para dizer, tanto que haveria para reivindicar, tanto que há para gritar, mas ninguém nos ouve, ninguém nos escuta, principalmente se formos do Baixo Alentejo. Sinto-me doente, cansado e farto... apenas um desabafo, fiquem bem.

Assim termina o desabafo de Vitor Paixão 22.05.2019 00:21», aqui.

 

Mas quantos outros já não se dão ao trabalho ou não se atrevem a “desabafar” o que sentem e pensam perante as (faltas de) respostas que se obtêm quando se reclama, reivindica, protesta, critica ou simplesmente se opina?

“PCP luta por um sociedade nova, profundamente democrática, sem exploradores e explorados”

"1-Não mais há propriedade individual, a terra não pertence a ninguém e os seu frutos pertencem a todos. Desaparecei de vez, insultantes distinções entre ricos e pobres, entre grandes e pequenos, entre senhores e servos. In Manifesto dos Iguais, Babeuf, 1795.
2-Eu pergunto aos economistas-políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho deproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico. in Viagens na Minha Terra, Almeida Garrett 1840.
3-Para responder a estas questões, com os ensinamentos de Marx e o exemplo de Lenine, foram criados partidos de novo tipo como o PCP que fará cem anos em 2021 e que com altos e baixos, com alguns erros mas com grande independência e assertividade, luta por um sociedade nova, profundamente democrática, sem exploradores e explorados.
Francisco da Cruz dos Santos, 20.05.2019 19:50", aqui.

 

Apresentação da programação do Festival B

201903131629168158.pngA Câmara Municipal de Beja apresenta, esta noite, a partir das 21.30 horas, no terraço do Museu Regional a programação por dias, palcos e iniciativas do Festival B.

Nesta apresentação vai ser divulgado o filme 3D da autoria de António Paisana, o vinho com a marca Mariana Alcoforado da Herdade do Rocim e o chocolate criado por Mestre Cacau.
Na sessão desta noite marcam presença o grupo “Cantadores do Desassossego” e Valter Rolo, tendo em vista a divulgação de um dos temas, que está a ser preparado, para o concerto 100 passos de Paulo Abreu de Lima.

Secretária de Estado do Desenvolvimento visita Alentejo

Sec-Estado-Desenvolvimento-Regional-768x432.jpgEm Beja, Maria do Céu albuquerque, passa durante a tarde. A primeira visita é efetuada ao Instituto Politécnico de Beja (IPBeja), às 16.30 horas e tem como objetivo conhecer os cursos Técnicos Superiores Profissionais desta instituição de ensino superior da cidade. Depois, às 17.30 horas, a secretária de Estado do Desenvolvimento Regional visita o Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL).

As primeiras visitas, as da manhã, são feitas em Estremoz e Évora e a seguir ao almoço, e antes de chegar a Beja, Maria do Céu Albuquerque passa por Viana do Alentejo e Alvito. Em Alvito está programada uma visita às obras de construção da Creche deste concelho.

Foto daqui, onde pode ler também sobre a visita.

Sondagem da UC dá 50% das intenções de voto à Geringonça e 26% a PSD+CDS

PS lidera as sondagens para as eleições europeias, em todas as faixas etárias e graus de escolaridade. Conquistaria 33% dos votos válidos, o que compara com 23% para o PSD, 9% para o Bloco, 8% para a CDU e CDS-PP e 3% para o PAN e Aliança, na estimativa do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP).

É preciso acreditar na mudança e mudar mesmo!

Muita gente (eu incluído) reclama a necessidade de uma nova forma de fazer política e de novos agente políticos. Mas depois, não raras vezes, para não dizer (quase) sempre, quando alguém mete as mãos à obra, acaba, invariavelmente, por repetir as fórmulas antigas, usadas pelos partidos tradicionais. Já para não referir que sempre que alguém mostra essa intenção é recebido com desconfiança até por aqueles que reclamam essas mudanças.

 

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Tristeza de comentário!

  • Anónimo

    Vamos lá ver como é que os nossos políticos e afin...

  • Anónimo

    Fartura de partidos! Tudo quanto é demais não pres...

  • Anónimo

    Tem razão! No entanto é necessário não perder voz,...

  • Anónimo

    Foram buscar o antigo imperador JR .....dizem que ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds