Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"O 1º de Maio abriu o caminho. A Festa do Avante vai abrir ainda mais.”

Zé LG, 12.08.20

“Apercebo-me que quem critica a realização da festa quase sempre não sabe a capacidade organizativa do PCP. Não foi aberta nenhuma excepção pela DGS à realização da Festa do Avante. Simplesmente o PCP consegue cumprir regras que os promotores de eventos não conseguem cumprir porque isso afetaria a sua margem de lucro. No capitalismo as coisas para darem lucro têm que ter má qualidade. Quando são feitas por amor, consegue-se aquele extra.

117146982_10158641793141382_4871830583358692347_o Esta capacidade organizava foi ilustrada pelas manifestações da CGTP no no 1º de Maio de 2020. Tanta gente criticou. E afinal... ninguém ficou doente. E já toda a gente se esqueceu ... mas houve algo que ficou:

O que se ganhou com a realização da manifestação do 1º de Maio? Foi a primeira manifestação da era Covid-19 em Portugal. A partir daí começaram todas as manifestações (inclusive a belíssima grande manifestação anti-racismo que foi da Alameda ao Terreiro do Paço). Foi o 1º de Maio que permitiu isso. Ganhou-se que as pessoas perderam o medo de vir para a rua manifestar-se pelos seus direitos e contra os erros de quem nos governa. Ganhou-se que aqueles que querem reprimir quem tem a ousadia de fazer coisas ficaram sem argumentos. O 1º de Maio abriu o caminho. A Festa do Avante vai abrir ainda mais.”

Leia este texto na íntegra, com uma visão diferente de Pedro Duarte

em:

Câmara de Castro Verde tem de devolver quase 500 mil euros de derrama

Zé LG, 12.08.20

201912091156213010 CV.jpgA Câmara Municipal de Castro Verde vai ter que devolver mais de 486 mil euros de Derrama referente ao ano de 2008. Em três anos, o município já devolveu à Autoridade Tributária mais de 2 milhões de euros. O presidente da autarquia castrense fala em “momento mau para Castro Verde” e em “situação de grande constrangimento financeiro”.

O autarca esclarece que a autarquia não sabe, ao certo, “as razões deste acerto” e frisa que o que está em causa, é o facto de o “concelho voltar a ser penalizado” e “voltar a ter uma situação de grande constrangimento e de consequências financeiras”, para já, incalculáveis.

"Encontre no nosso concelho" de Beja online

Zé LG, 12.08.20

117443891_1002593240172919_903837765289327943_o.jp

"Em funcionamento desde hoje.
Segue-se o carregamento de operadores até Quinta-Feira, dia da apresentação pública da nova plataforma de vendas online da responsabilidade da CM Beja.

www.bejacare.pt

Registo de utentes e operadores necessário.
Registo de operadores sujeito a validação da CM Beja."

Escreveu, ontem, o presidente da CMB, Paulo Arsénio,

na sua página do Facebook.

Ministério Público abre inquérito a mortes em Lar de Reguengos de Monsaraz

Zé LG, 11.08.20

imgLoader2.ashx.jpgO Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz, que já provocou 18 mortos, revelou a Procuradoria-Geral da República (PGR), revelando que o processo corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora.

Afinal quem tem razão: A Ordem dos Médicos ou a FMIVPS de Reguengos de Monsaraz?

Zé LG, 11.08.20

Lar.jpgO conselho de administração da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS), órgão presidido por José Calixto, igualmente presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz e Autoridade Municipal de Proteção Civil, emitiu hoje um comunicado em que garante que fez “tudo o que estava ao seu alcance e dentro das suas competências, com a ajuda de várias dezenas de instituições e pessoas que, ao nosso lado, lutaram para salvar vidas humanas, numa crise de saúde pública que assumiu contornos absolutamente dramáticos”.

A questão que importa esclarecer é exactamente essa: Ou foi feito tudo o que tinha de ser feito, como diz a Fundação, e a Ordem dos Médicos (OM) tem de ser responsabilizada pelas acusações que fez nas conclusões do seu Inquérito; ou houve problemas vários, incluindo a desidratação de algumas pessoas, como diz a OM, e a FMIVPS tem de ser responsabilizada por tudo o que não fez e devia ter feito.

Grande entrevista com Paulo Arsénio, na Rádio Pax

Zé LG, 11.08.20

paulo-arsénio-768x432.jpgNuma altura em que estamos a pouco mais de um ano das próximas eleições autárquicas, a Rádio Pax vai entrevistar todos os presidentes de Câmara.

É importante explicar, essencial conhecer e sobretudo, esclarecer a população sobre o futuro político da região.

O primeiro convidado, é Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja.

A entrevista vai para o ar, esta tarde, às 17 horas.

«Como se pode assumir que "não passa nada"»?

Zé LG, 11.08.20

69936687_2589021291121294_5218388949721939968_n.jp«Sou militante activo do PCP. Estou profundamente pasmado com as posições defendidas pelo Partido. Sabemos todos em Portugal que esta festa para além de uma grande iniciativa nacional reveladora da organização colectiva do Partido, trata se de um evento único multicultural, que é exemplo europeu e com uma forte componente internacional da afirmação do PCP.

Mas sempre vi no partido, uma consciência, uma ponderação na decisão, por vezes tardia por dever ser colectiva, que sempre revelou assertividade, responsabilidade mas também revolucionária e diferente porque defendemos princípios fundamentais indiscutíveis.

Fico pasmado com a irresponsabilidade deste desafio com a DGS. Não estamos a falar da pide/DGS estamos em 2020 a falar da Direcção Geral de Saúde. Não entendo se o partido está a desafiar a estrutura de saúde pública nacional ou o próprio SNS.

 

 

O que se passa nos Centros de Saúde de Beja?

Zé LG, 11.08.20

«Nunca pensei de ter que esperar à porta do Centro de Saúde de Beja (junto ao Hospital), na rua, para pedir receitas. Também me espantou o facto de haverem doentes cá fora à espera de ordem para entrarem a fim de serem atendidos ao balcão. Alguns queixando-se com dores. A surpresa maior foi ao ver que quem fazia o primeiro contato com os doentes era o segurança de serviço e fazia também a ligação entre quem estava cá fora e quem estava no atendimento administrativo, dizia que na sala de espera do atendimento não poderiam estar mais de oito pessoas. Ora essa, e não havia um enfermeiro para receber os doentes? E se algum doente precisasse de assistência urgente e surgisse alguma tragédia, de quem era a culpa? Do segurança? Do próprio doente?

Precisar de ajuda do Centro de Saúde e ter que esperar ao sol, de pé e sem condições é inadmissível e os responsáveis devem ser chamados a contas por quem de direito.

Depois se acontecer algum acto menos digno não se queixem das consequências.»

Antonio Casaca

«Hoje foi um dia para esquecer, passado no Centro de Saúde de Beja, desloquei-me ao mesmo com a minha esposa, na esperança do poder mostrar exames à minha médica de família, a qual gentilmente vou esconder o nome, cheguei ao CSB pelas 7, 45 quando tinha a informação que a mesma, (MF) estaria presente pelas 9 h, esperei até perto das 12 h, sem notícias da mesma, mas sabendo que estava no CSB, com notificação que estavam utentes para falar com ela, pois...nada ! agora vai de férias e os utentes que se virem ou paguem para ir a particular. Senti-mos revolta, vontade de dizer algumas coisas que no nosso perfeito juízo, não dizemos e nestes casos os utentes são quase sempre mal educados quando, o seu direito à saúde é defraudado, o Covid 19 não pode ser desculpa para tudo!! Tenho que louvar o médico que estava em consulta de recurso, já pelas 15,40, foi excecional!! basta seguir o dia e hora , para saber quem foi, o meu muito obrigado!! O nosso dia atribulado, terminou pelas 18,15 h.»

Carlos Santos

UDIPSS de Évora elogia “a elevada capacidade de gestão” que as IPSS “revelaram deter

Zé LG, 10.08.20

mw-860.jpg

A União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de (UDIPSS) de Évora mostrou-se satisfeita com a total resolução do surto de covid-19, declarada no sábado pela Autoridade de Saúde Pública, que eclodiu no lar da sua associada Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, em Reguengos de Monsaraz, enche todos de satisfação.

Até aqui, tudo bem. Ficamos todos satisdeitos.

A UDIPSS de Évora valoriza também “a elevada capacidade de gestão” que as IPSS “revelaram deter, tanto na organização e na mobilização dos recursos internos como na transmissão aos utentes, aos seus familiares e às comunidades da coesão, resiliência e aptidão para reagir à crise que tão bem caracterizam o Setor Social e Solidário em Portugal”.

Mas aqui e neste caso concreto, não estará a exagerar? É que os resultados do inquérito da Ordem dos Médicos e o número e as causas das mortes registadas não parecem confirmar “a elevada capacidade de gestão”…

Bispo de Beja mantém guerra aberta a José António Falcão

Zé LG, 10.08.20

“Grande parte” das peças de arte sacra da Diocese de Beja que estavam desaparecidas foram encontradas na Igreja de Santiago do Cacém.

Bispo-768x432.jpgD. João Marcos, Bispo de Beja disse que as paróquias e o seminário “pediam a devolução das peças”, mas que isso “raramente acontecia”, considerando que ainda existem mais peças que “não se sabe onde estão” e que este assunto não está “todo esmiuçado”.

Em declarações, à Rádio Pax, a 13 de julho, José António Falcão, garantiu que “quando terminavam as exposições temporárias, as peças eram devolvidas à sua proveniência” com exceção de alguns casos em que “os responsáveis das paróquias ou da Diocese consideravam que não havia condições de segurança ou de conservação para regressar logo aos locais de origem”. Nessas situações, as peças “ficavam nos museus da Diocese, no Seminário ou na Casa Episcopal”.

Falcão disse ter entregue um “relatório e lista de peças inventariadas, que foram confirmadas pela Diocese”. D. João Marcos confirmou esse documento, entregue “depois da extinção do DPHA” e alertou também para o facto de esse inventário ter sido “assinado por um padre idoso, que confiava em José António Falcão”, garantindo que esse documento “é falso” e que “foi assinado inadvertidamente”

Entretanto, a pergunta que se impõe continua sem resposta: onde estão as restantes peças de Arte Sacra da Diocese de Beja?

Fazer ou não a Festa do Avante em tempos de pandemia?

Zé LG, 09.08.20

Há 45 anos que o PCP faz a Festa do Avante.

Há 45 anos que o Povo tem a sua festa. Nela junta-se Povo de todos os lados.

Há 45 anos que as regiões têm um espaço para se apresentarem e mostrarem. Na Festa do Avante cada região apresenta a sua música, a sua gastronomia, o seu artesanato, os seus produtos... e o PCP apresenta as suas propostas para essas mesmas regiões.

Não há festa como esta!, diz-se e é verdade. A forma como é organizada, as pessoas que mobiliza, a forma como as pessoas nela se comportam, o que mostra e o que deixa antever.

Este texto foi recuperado de um que escrevi aqui, há 15 anos. Continuo a achar isso mesmo.

Durante mais de 30 anos participei da Festa do Avante, nalguns desempenhando tarefas, contribuindo para erguer ou assegurar o funcionamento da Festa. Sempre com espírito militante. Não gosto de festas, nem de grandes ajuntamentos. Fui à Festa por militância. Quando saí do PCP deixei de ir à Festa. Isso não me fez mudar o que pensava sobre ela.

69936687_2589021291121294_5218388949721939968_n.jp

Este ano, o PCP vai realizar a Festa do Avante, apesar da pandemia, mas tendo-a em conta e criando condições para fazer cumprir as normas sanitárias mais adequadas. Muito tem sido criticado por isso, principalmente pela direita, que tenta cavalgar o medo generalizado para atacar a realização.

Compreendo o PCP. Esta é a sua grande manifestação, em que se esforça por mostrar a sua força, a sua capacidade de atrair mais e novas gentes, uma forma diferente de organização e de relacionamento entre as pessoas.

Compreendo igualmente a dificuldade de muita gente – mesmo sem ter nada contra ou até simpatizantes do PCP – aceitar a realização de uma iniciativa que reúne dezenas de milhares de pessoas, quando essa hipótese está interdita a outras realizações, como encontros culturais, desportivos ou religiosos.

Admito que, com a realização da Festa do Avante nestas condições, o PCP possa estar a contribuir para a sua “guetização”. Mas essa avaliação cabe à sua Direcção Política, que certamente a fez…

Não tenho uma posição definitiva sobre a realização da Festa do Avante, neste enquadramento, quer pelo que escrevi, quer pela necessidade de combater o medo que nos está a tolher excessivamente. Inclino-me, no entanto, para a sua não realização este ano, se persistir a inibição da realização de outros grandes eventos. Evitaria acusações de aproveitamento do regime político e da conjuntura político-partidária...

EMAS reforça abastecimento de água ao Parque de Feiras e Exposições de Beja

Zé LG, 08.08.20

EMAS-768x478.jpgA EMAS- Empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja está a realizar uma empreitada de remodelação do abastecimento de água no Parque de Feiras e Exposições Manuel de Castro e Brito, em Beja, com prazo de execução de 60 dias e investimento na ordem dos 30 mil euros.

Complementarmente serão, ainda “substituídas condutas e ramais domiciliários na zona de intervenção da obra”, de forma a maximizar, “os benefícios resultantes da intervenção”.

A articulação com a ACOS e com a Câmara Municipal de Beja permitirá ainda intervenções complementares dentro das respetivas áreas do Parque de Feiras, em complemento da presente intervenção. Daqui e daqui.

Câmara de Vidigueira avança com Orçamento Participativo

Zé LG, 08.08.20

202008041637439354 vid.jpgA Câmara Municipal de Vidigueira está a promover o Orçamento Participativo (OP), com o objetivo de aprofundar a recolha de contributos das instituições e dos cidadãos na discussão e elaboração do orçamento público municipal para 2021. A apresentação de propostas decorre até 30 de setembro.

Para esta primeira edição, está contemplada uma verba global de 50 mil euros destinada a financiar as propostas mais votadas, sendo que o valor máximo de cada proposta não poderá exceder os 25 mil euros, sendo “permitida a participação em nome individual e de entidades coletivas”. 

Para mais informações, os interessados poderão aceder à plataforma do OP Vidigueira em http://op.cm-vidigueira.pt  .

CDU acusa Executivo da Câmara de Beja de abandonar projeto do Museu de BD

Zé LG, 07.08.20

190120151743-561-BDemBejaCasadaCultura.jpg“Abandonar o projeto do Museu de Banda Desenhada é (mais) um erro do executivo PS”, afirmam os vereadores da CDU na Câmara Municipal de Beja, frisando que existe falta de uma “política de desenvolvimento na área da cultura”.
Consideram que “o sucesso, nacional e além-fronteiras, do Festival Internacional de Banda Desenhada devia motivar a criação de mais um polo de atração ao território, não apenas em termos turísticos, mas também como fator catalisador do progresso económico e social de Beja”.
Sónia Calvário, vereadora da CDU, recorda que na apresentação pública do Festival de Banda Desenhada, em 2018, no primeiro ano de mandato do atual Executivo foi assegurado que haveria continuidade deste projeto. Leia também aqui.

ACTUALIZAÇÃO

Entretanto, a Câmara Municipal de Beja mostrou-se “surpreendida com a posição pública dos vereadores da CDU neste órgão, face ao Museu de Banda Desenhada em Beja”, assegurando que “nunca houve qualquer volte-face do executivo nesta matéria desde a tomada de posse”, porque “o responsável da Bedeteca de Beja foi informado ainda, em 2017, pelo Presidente da Câmara, que o Museu não seria realizado no mandato 2017-2021, por serem outras as prioridades imediatas do Município, em termos de aproveitamento de fundos comunitários, ainda, disponíveis para recuperação de espaços urbanos”.