Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
30
Jan 09

Parece ser claro para toda a gente que o Ministério do Ambiente de José Sócrates teve intenção de deixar o processo do Freeport aprovado antes das eleições de 2005, usando todos os expedientes para o conseguir, obtendo pareceres em prazos nunca vistos.

Nada disso significa, obrigatoriamente, que tenham sido cometidas ilegalidades ou irregularidades insanáveis no processo nem que este tenha andado tão depressa e só tenha sido aprovado porque houve pagamento de luvas.

Mas foram levantadas essas suspeitas, agora intensificadas pelo pedido da Justiça da Grã-Bretanha de consulta às contas bancárias de um grupo de pessoas, incluindo José Sócrates. Importa, por isso, esclarecer até ao fim essas suspeitas, ainda por cima porque elas atingem o bom-nome de um antigo ministro, agora primeiro-ministro, e, por isso, também o bom-nome de Portugal.

Quando seria de esperar que deixasse que a Justiça faça e conclua o seu trabalho, sem interferências, José Sócrates optou por se multiplicar em declarações, mais ou menos, formais, reafirmando a sua inocência e a correcção de todo o processo e atacando uma pretensa campanha negra de difamação contra si orquestrada, visando atingi-lo pessoal e politicamente.

Ou seja, José Sócrates, com as suas declarações tem procurado vitimizar-se, condicionar os processos judiciais em curso e fazer aquilo de que critica outros, lançando suspeitas sem concretizar contra quem.

Em vez deste seu comportamento não seria mais correcto fazer o que disse inicialmente – colocar-se à disposição da Justiça para ajudar a esclarecer a situação –, mostrando que quem não deve não teme, e autorizar o acesso das autoridades judiciais às suas contas bancárias? Melhor ainda seria torná-las públicas uma vez que o processo tem grande impacto mediático.

publicado por Zé LG às 12:42
e quem cala consente.
Anónimo a 30 de Janeiro de 2009 às 16:02
Acho que por mais que quisesse, o Primeiro Ministro mostrou saber mais do que aquilo que qualquer cidadão comum deveria saber sobre um processo em segredo de justiça! Parece-me óbvio que não há tratamentos iguais pela Justiça ou pelos seus agentes, a todos os cidadãos! Isso é que é pena... de resto ela que funcione depressa e com imparcialidade, é o que se pede!
joroca a 30 de Janeiro de 2009 às 17:12
Sr. Lopes Guerreiro: que eu saiba (e sei pouco destas coisas) qualquer pessoa é inocente até prova em contrário, ou seja, é esta a presunção do direito português. Assim, não sei o que é que o Sr. Primeiro-Ministro tem que provar, se nem sequer existe uma acusação que prove, materialmente, pratica contra a lei. Porque é que terá o Sr. Primeiro-Ministro, só por ser Primeiro-Ministro ter que expor a sua vida pessoal (por exemplo, contas bancárias, como diz). Será que agora o PM e outras pessoas de cargos políticos e / ou mediáticos são menos que qualquer cidadão comum (lei-se, menos conhecido, ou, não mediático). Se de facto essa fosse a regra (levantamento de sígilo bancário para todos os cidadãos, sem excepção, desde o vereador da Câmara menos conhecida do país até ao PM) para todos os cidadãos eu concordaria consigo, mas, assim, não posso concordar consigo. O Sr. PM não deve ser alvo de discriminação negativa só porque os MEDIA querem definir e inventar a agenda dos acontecimentos para venderem mais. Não devemos ir atrás dessas falácias típicas de uma sociedade capitalista, com a qual o Sr. Lopes Guerreiro não concordará, presumo.
Portanto, só me resta concluir, respondendo-lhe como me respondeu a mim, quando acusei a CMBeja e instituições / empresas derivadas / controladas de favorecer largamente os seus alinhados e aliados político-partidários. Foi assim que o Sr. me respondeu:

- "(...) o Senhor faz afirmações graves mas que nã (...)" prova (...) "Se tem indícios que sejam daquilo que afirma porque não denuncia essas pretensas ilegalidades ou irregularidades a quem de direito (...)" à Polícia Judiciária por exemplo.

Anónimo a 30 de Janeiro de 2009 às 23:05
Concordo com o levantamento do sígilo bancário para todos e todas as empresas e instituições. Claro que isso não interessa fazer, não existe coragem política para isso, nem na oposição, pois a CDU, por exemplo, foi o partido mais multado por irregularidades nas suas contas (perante o Tribunal de Contas). Depois como é que a CDU explicava a origem das avultas verbas do seu financiamento da actividade partidária ..... e como é que os Srs. do dinheiro, ditos empresários de 1.ª explicavam os seus movimentos ... eu imagino ... não havia lugares nas cadeias que chegassem .... se isto fosse para cumprir a tudo o custo .... mas, como quem não deve não teme, eu concordo ...
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 00:22
José Sócrates não tem de provar nada perante a justiça, porque, como diz, não é suspeito, arguido nem acusado.
Por isso e porque, como também diz, até prova em contrário qualquer suspeito, arguido ou acusado se presume inocente, José Sócrates não tem de fazer nada perante a justiça.
Mas não é nesse plano (o judicial) que coloquei a questão mas no plano político. Foi neste que José Sócrates entendeu defender-se, vitimizar-se e lançar suspeitas sobre quem estará por detrás da tal "campanha negra". É nesse plano que acho que a melhor forma de pôr fim à "campanha negra" seria mostrar que não nem nada a esconder, autorizando o acesso às suas contas. Não por ser sua obrigação mas por sua iniciativa.
Espero ter ficado mais claro o sentido do meu alvitre.
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 00:28
Sim, entendo-o. Acha que ele tem que ser mais "papista" que o "papa". Até concordo consigo. Levante-se o sígilo bancário para toda a gente .... concorda?
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:32
Absolutamente!
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 17:13
Estamos de acordo ... quem não deve não teme ...
Anónimo a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:10
Não me diga que não concorda com o levantamento do sígilo bancário para toda a gente e todas as empresas e / ou instituições ? Não me desiluda .... tinha-o como defensor de uma sociedade mais justa ... Aguardo a sua confirmação .....
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:54
Que azar ... o homem tem quase sempre os olhos abertos, mas a fotografia que publica é uma que representa um raro momento - existe uma pequena intenção de manipulação de ideias pela imagem ... se precisar eu envio-lhe uma em que ele tem os "olhos bem abertos" (à minha semenlhança ....)
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:40
Não acha que seja normal que esteja cansado? É essa a intenção - mostrar que está cansado.
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 17:16
Se é essa a intenção - "mostrar" que o PM está cansado ... não o contrario. Mostar é diferente de estar ... nem tudo o que parece, é ..... Chegámos a um consenso. Um à parte: parabéns pelo seu BLOG. Contrariamente a outros, admite a opinião de quem quer que seja. Mais democrático é impossível ...
Anónimo a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:09
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Papel higiénico nas casas de banho para profission...
Assim se demonstra como um contraditório bem funda...
Subsídio de aspeto agradável, para quem precise.
Batas mais decotadas e de bainha curta...
Fluoxetina ao pequeno-almoço, antidepressivos em s...
No balcão do refeitório vai haver pratinhos com “p...
Em três palavras: pressão, desgaste e desmotivação...
O meu colega Pedro Moura, responsável pelo projto,...
A situação nacional nas instituições de Saúde está...
Então divulgue o diagnóstico da situação atual. Su...
Falar do que se não sabe e antes de nos informarmo...
Quem conheceu o que era o Hospital e em que se tra...
basta falar com os colaboradores e pedir opinião a...
Ao contrário das outras reivindicações, que são be...
Afinal, estamos dentro da média!
blogs SAPO