Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Louçã dá prioridade às questões económicas

"Nesta eleição, o debate mais importante é acerca da economia: acerca dos números e sobretudo acerca das pessoas, portanto acerca das escolhas sociais que temos que fazer nos próximos cinco anos para começar a vencer o atraso e a injustiça".

Afirmou assumir "a responsabilidade de apresentar uma alternativa para o país, que mobilize as energias dos que estão em baixo, a imaginação de quem não desiste de pensar e de quem quer fazer a diferença".

"Um candidato que se apresenta a eleições e não diz o que pensa, é porque ou não pensa ou não quer submeter as suas convicções ao veredicto dos eleitores", argumentou.

Propôs um novo modelo para sustentabilidade da segurança social, argumentando que "a democracia económica é a alternativa necessária e mais urgente" para combater o atraso do país e o desemprego.

"Nos próximos cinco e dez anos, a prioridade nacional é a remodelação do sistema de protecção social para garantir a sua universalidade e o seu financiamento", defendeu, propondo como primeira transformação a convergência das pensões mínimas com o salário mínimo nacional.

Apresentou ainda um resumo das ideias que defenderá na campanha eleitoral para além das questões económicas: um sistema eleitoral proporcional contra "os que querem os círculos uninominais, a urgente alteração da lei sobre o aborto, a legalização dos imigrantes e uma nova lei da nacionalidade baseada no critério do país de nascimento, a paridade entre homens e mulheres e o fim das custas judiciárias".



3 comentários

Comentar post

Comentários recentes

  • Anónimo

    Porreiro, pá!

  • Anónimo

    Talvez seja possível num qualquer País mais civili...

  • Anónimo

    A boa notícia que todos gostaríamos que aqui apare...

  • Anónimo

    Esta malta da EMAS devia descansar um pouco!! Será...

  • Anónimo

    Sim, mas não tantos ….

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.