Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Como no tempo do fascismo

Zé LG, 08.03.08

o dirigente do PS e ministro dos Assuntos Parlamentares Santos Silva acusou o PCP de estar por detrás de uma manifestação de 200 professores, que o recebeu à entrada para uma reunião do PS, em Chaves, protestando contra o governo.

Tal como no tempo do fascismo, há governantes, que perante uma qualquer manifestação popular, logo acusam o PCP de instrumentalizar as pessoas para intimar outras e condicionar a liberdade.

Tal como no tempo do fascismo, não percebem que essa é uma atitude pouco inteligente, para além de reveladora do seu anti-comunismo primário, porque, dessa forma, estão a atribuir ao PCP uma força e uma capacidade mobilizadora que nem sempre tem e a chamar "carneiros" aos manifestantes, o que não é propriamente simpático...

Mas atitudes como estas mostram que o governo está a perder o pé, a perder o auto-controlo e o controlo da situação e que já não sabe lidar com as situações mais inesperadas.

E esta não foi uma situação isolada. Basta lembrar a ida de agentes das forças de segurança às escolas para saber quantos e, nalguns casos, que professores vão hoje participar na maior manifestação de sempre contra a política educativa do governo...