Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Figuras dos anos 40 ocupam centro de Beja

Zé LG, 18.05.07

Ao abrigo de um projecto de recriação histórica, promovido pela Câmara Municipal de Beja e desenvolvido pela equipa da escultora alentejana Teresa Martins, 14 esculturas foram instaladas na Praça da República e no Largo do Museu durante as Festas de Beja, após o que as esculturas serão expostas em algumas aldeias do Concelho, para, no próximo ano, acompanhadas de outras que serão criadas, voltarem a estar em exposição na Cidade.

Através das 14 figuras, de tamanho real e produzidas em esqueleto metálico, forradas a rede de capoeira e pano-cru e trajadas "ao rigor" da época, "pretende-se recriar as personagens e os ofícios alentejanos típicos das tradicionais feiras da década de 40 do século XX", explicou Teresa Martins, também autora do presépio que todos os anos "invade" Monsaraz, à agência Lusa.

Um amolador de tesouras é uma das recuperações das personagens típicas da época e a "escultura favorita" da escultora. Um homem com um burro carregado de alforges de espiga, um pastor com ovelhas, um casal de lavradores, uma senhora do campo e um aguadeiro são outras das esculturas em exposição. A estas personagens tipicamente alentejanas juntam-se ainda crianças que jogam ao pião e um rapaz encostado ao balcão de uma taberna.