Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Francesas manifestam-se pelo Sim junto à embaixada portuguesa

Zé LG Zé LG, 18.01.07

Várias associações francesas de defesa dos direitos das mulheres manifestam-se, hoje, junto à embaixada de Portugal em Paris, pelo Sim no referendo de 11 de Fevereiro sobre a despenalização da interrupção voluntária da gravidez.

«As mulheres têm o direito ao aborto. Como é possível um país democrático não reconhecer os direitos das mulheres?», questionou Maya Surduts, da Coordenação das Associações pelo Direito ao Aborto e à Concepção (CADAC), para quem a não legalização do aborto em Portugal é um «problema político» que pode resolver-se com o referendo.

Em declarações à agência Lusa, a activista disse que «não permitir o aborto é não respeitar a escolha e a liberdade das mulheres». «É sabido que, se não houver aborto legal, as mulheres que não querem ou não podem ter o filho vão abortar de qualquer maneira e em quaisquer condições. E é ridículo continuar assim», sublinhou.

«Em solidariedade feminina, europeia e internacional, vamos ajudar as mulheres portuguesas a defender os seus direitos e a fazer avançar a democracia na Europa, porque não há verdade democrática sem liberdade pelas mulheres», afirma a CADAC em comunicado.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.