Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Centro de Eventos do Sul

A cidade de Beja tem vindo a ser dotada de equipamentos que lhe permitem ambicionar transformar-se no grande centro de eventos do Sul do país.

Dispõe, desde há alguns anos, do melhor parque de feiras e exposições do Sul, do cine-teatro Pax Júlia e de vários auditórios com dimensões e condições diversas.

Também o parque hoteleiro foi recentemente aumentado com um hotel de quatro estrelas e está outro em construção, o que, em conjunto com as unidades de alojamento existentes na Cidade e nos concelhos vizinhos, permite albergar os participantes de eventos de grandes dimensões.

As acessibilidades existentes facilitam-lhe a centralidade, apesar de algumas não estarem ainda nas melhores condições. A próxima criação do aeroporto civil na Base Aérea virá também facilitar a vinda a Beja de pessoas provenientes de zonas mais afastadas.

A situação geográfica e os seus equipamentos dão vantagens a Beja em comparação com outras cidades do Sul mas não lhe garantem, só por si, alcançar aquele objectivo.

Para isso é necessário uma visão estratégica e que o Município defina claramente a ambição de transformar Beja no grande centro de eventos do Sul como um objectivo estratégico da sua política e actue em função disso, de forma a mobilizar outras entidades e agentes para participarem activamente nesse processo.

É indispensável para que esse objectivo seja alcançado que as instituições públicas, as associações empresariais e demais entidades regionais assumam esse objectivo como seu e actuem em conformidade com ele.

Os empresários locais e regionais devem entender a sua participação em feiras e noutros eventos que se realizem na Cidade como oportunidades para promoverem os seus produtos e serviços e realizarem negócios, aproveitando as condições de que dispõem.

Se tal não acontecer, as feiras e os eventos serão realizados na Cidade por entidades e com expositores de outras zonas, que promoverão nela os seus produtos e serviços e farão os seus negócios com os visitantes da região e os que virão de outros sítios.

Neste caso e com excepção da hotelaria e da restauração, os empresários regionais não só não farão os seus negócios com os visitantes vindos de outras regiões como também deixarão de fazer com alguns da região, que poderão optar por outros fornecedores.

Se não soubermos aproveitar, enquanto é tempo, as melhores condições de que dispomos comparativamente com outras cidades, seremos mais uma vez ultrapassados por algumas delas que se estão a dotar de infra-estruturas e equipamentos de que Beja já dispõe.

Então, de pouco valerá tentar atribuir as responsabilidades, que são nossas, a outros…

É nossa obrigação, de todos, a começar no Poder Local, passando pelos diferentes actores regionais até aos cidadãos, valorizarmos as condições que temos e potenciá-las de forma a promovermos o desenvolvimento da nossa região. 

A situação económico-social que atravessamos não está fácil e isso reflecte-se na participação em feiras, exposições e outros eventos, quer a nível dos expositores quer dos visitantes. Mas, como se sabe, quem investe em períodos difíceis tem mais possibilidades de rentabilizar o investimento quando as dificuldades passam.

É neste enquadramento que deve ser realçado o papel dos que se dispõem a organizar feiras e outros eventos e as empresas regionais que neles participam, dando um exemplo do que deve ser feito para contrariar os fatalismos, assumir as suas responsabilidades, potenciar as condições de que dispomos e contribuir para a concretização daquele objectivo estratégico.

A EXPOBEJA é uma empresa criada pelo Município de Beja e pela ACOS, que tem como objectivo próprio e específico a gestão do Parque de Feiras e Exposições de Beja. Esta deve, no entanto, integrar-se numa ambição mais vasta que é a de contribuir para afirmar a centralidade de Beja no Sul do país, aproveitando a situação geográfica e as condições logísticas da Cidade bem como as condições do seu Parque de Feiras e Exposições para a realização de eventos que, a par da Ovibeja, tragam milhares de pessoas a Beja e à região e dinamizem a economia regional.

Para que Beja possa vir a ser o grande centro de feiras e outros eventos de todo o Sul, para que tem boas condições geográficas e logísticas, importa fazer convergir vontades, projectos e investimentos, aproveitando as sinergias disponíveis.

A EXPOBEJA poderá desenvolver um papel de catalisador desta ambição. Para isso é necessário que as entidades detentoras do seu capital, principalmente o Município de Beja, assentem nessa estratégia e invistam nela, quer através do envolvimento dos actores regionais quer na aposta de novos grandes eventos, que contem com a participação de empresas e outras entidades regionais e sejam mobilizadoras da visita de pessoas de outras regiões.

Alvito, 16 de Outubro de 2006

Publicado na revista Mais Alentejo, acabada de sair.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Comboio parado a 10 km de Beja. Continua a saga! Q...

  • Anónimo

    Uma leitura curiosa do J.Espinho.Algo incoerente e...

  • votante

    Pois eu vou votar, mas com a convicção que o meu v...

  • Anónimo

    Que os Baixo-Alentejanos votem CONTRA o Governo do...

  • Francisco Santos

    Para além de tudo isso a Maria Alice foi uma das p...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds