Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Arguido

Esta manhã fui interrogado no Posto da GNR de Alvito, na qualidade de arguido num processo da Câmara Municipal de Alvito, por ter autorizado o pagamento de trabalho extraordinário, para além do limite fixado na lei.

O que se passou de tão grave para ser constituído arguido e nem sequer poder ausentar-me de casa por mais de cinco dias?! - Autorizei o pagamento de trabalho extraordinário, para além do limite fixado na lei, sempre que esse trabalho foi efectivamente feito por conveniência e eficácia de serviço, por entender que qualquer trabalhador tem o direito constitucional a ser remunerado pelo tabalho que faz.

Fazem legislação praticamente impossível de ser cumprida e depois acusam de gestão danosa quem procura reduzir despesas públicas e respeita os direitos dos trabalhadores.

Serão estas as situações graves que se registam do Poder Local? Então não há casos de corrupção, de aproveitamento pessoal dos cargos e meios autárquicos? - Enfim, tudo isto é triste, tudo isto é fado... ou, é a vida!, como dizia o outro.






14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Comentários recentes

  • Anónimo

    Esta malta da EMAS devia descansar um pouco!! Será...

  • Anónimo

    Sim, mas não tantos ….

  • Anónimo

  • Anónimo

    São tantas as campanhas, ações e divulgações da EM...

  • Anónimo

    Os presentes sobre as viaturas são feitos por pard...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.