Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Cepticismo quanto à capacidade do PCP se regenerar/renovar”

Zé LG, 18.03.12

Há uns meses, um camarada pediu-me para dar a minha opinião sobre um abaixo-assinado de militantes do PCP, instando “o Comité Central, o seu Secretariado e a Comissão Política do PCP, a promover uma nova eleição da Direcção da Organização Regional de Beja, por forma a eleger, de uma forma democrática, baseada numa ampla discussão séria e honesta acerca do Partido e do seu futuro no Alentejo, um órgão no qual os militantes de base se revejam, e que não se limite à sucessão, pelos próprios, dos mesmos funcionários de sempre à frente dos destinos do PCP no Alentejo, e de que resulte algo mais que a continuada perda de influência, ano após ano, mandato após mandato, a que conduziram e habituaram os militantes do Partido Comunista Português”.


A minha resposta foi:

Agradeço-lhe que me tenha dado conhecimento do documento (de cuja existência não tinha ouvido falar) e que me tenha pedido a minha opinião (coisa rara há muito tempo) sobre ele.
O documento enferma de alguns erros de base:
- pede a intervenção de quem é responsável pela situação do Partido, não só em Beja mas no país (a Direcção Nacional);
- admite que seja possível alterar a situação no Partido mantendo as mesmas regras de funcionamento, sem possibilidade de apresentação de listas alternativas aos vários órgãos, por exemplo;
- acredita na mobilização dos militantes da região para eleger, entre si, uma nova direcção, quando elegeu esta há pouco tempo.
Muito mais poderia acrescentar mas julgo que bastam estes três exemplos para mostrar o meu cepticismo quanto à capacidade do PCP se regenerar/renovar. Acho que o grupo que tomou conta da Direcção, aquando da saída de Carlos Carvalhas, é suficientemente competente para não permitir que ponham em causa o seu poder, usando a velhinha fórmula de fazer algumas mudanças para que tudo continue na mesma.
Gostava bastante de ser capaz de ainda acreditar que estou errado e que "eles" é que têm razão, mas o tempo vai passando e nada acontece que evidencie isso...
Para quem ainda acredita que é possível mudar as coisas com as mesmas regras e esta Direcção, talvez este documento e a acção que lhe está associada ajudem a alimentar a crença.

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Manuel António Domingos 20.03.2012

    No mundo em vivemos a vida de muitos militantes /funcionários do PCP não é nada fácil. Imagine vc. que era funcionário do PCP desde há mais de três décadas, e que agora está naquela idade, em que é novo para se reformar, e velho para se integrar neste mercado de trabalho. O que é que vc. fazia de diferente, daquilo que estão a fazer aqueles militantes dirigentes?
    As pessoas que abdicaram das suas vidas pessoais, ( alguns por verdadeira convicção, merecedora do meu respeito ) numa altura em que se acreditou na revolução, e em que muita gente erradamente pensava que havia políticos genuinamente altruistas, não serão também merecedoras da nossa compreensão por se irem agarrando à única boia de salvação que vai estando por alii mais à mão ?
    Deus queira que a TROIKA, não se lembre prái de impedir as autarquias, de poder dispor a seu belo prazer de uns lugarzinhos para a rapaziada. E refiro aqui as autarquias , porque neste PCP em concreto, tão cedo estarão acessíveis outros níveis de governação. Como os mais beneficiados vão continuar a ser os do Bloco Central da Governação, e também os do Bloco Central de Incumprimentos ás leis que fazem para iludir a grande maioria do povo, mas que depois não são para cumprir, e se anulam antes de produzir efeitos, com as tais Portarias das Excepções. É provável que as vávulas de escape dos secretários disto, adjuntos daquilo, chefes de gabinetes do outro, e mais uns lugarzinhos com ajustes directos para isto e para aquilo, continuem a dar muito jeito...
    Secalhar com este comentário vou ser alvo de julgamentos, que consideram que estou a disparar ao lado mais uma vez...
    Parece um comentário à Medina Carreira não parece?
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.