Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Os telejornais tornaram-se em puras, obsessivas e enfadonhas máquinas de propaganda

Zé LG, 31.05.22

Telejornais: Saudades do jornalismo e de noticiários informativos

antonio.cluny.jpg

O problema da forma como, nas televisões, é noticiada a atual guerra não reside, contudo, e apenas, na indisfarçável simpatia dos comunicadores pelas posições de uma das partes – isso, dadas as circunstâncias, até pode ser compreensível – o problema consiste em várias outras ordens de razões de cariz mais profissional.
Na verdade, ninguém gosta de ser tratado como estúpido, mesmo que alguns se prestem demasiado a isso.
Não deixo, porém, de ter pena de - primeiro por causa da pandemia, agora por causa do tédio que a guerra, tal como relatada, acaba por provocar - me ir desinteressando de tantas coisas que sempre me motivaram.
Talvez seja esse, afinal, o objetivo.
António Cluny

Afinal, que fenómeno meteorológico aconteceu em Beja?

Zé LG, 31.05.22

Heatbutst_Beja_mini.png

Na madrugada de 21 de maio em Beja, aconteceu um fenómeno meteorológico estranho chamado heatburst: entre as 5h45 e as 5h50 desse sábado, a estação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) detetou rajadas de vento repentinas de 53 km/h, a temperatura aumentou de 22,9°C para 33,4°C e a humidade relativa no ar desceu de 49% para 13%. A informação foi avançada hoje pelo IPMA.

“Não há qualquer problema no abastecimento” de cereais, afirmou a ministra da Agricultura diz em Beja

Zé LG, 31.05.22

202205301636598167.png“Temos reservas de cereais para cerca de um mês em ‘stock’”, mas os importadores “garantem-nos que não há qualquer problema no abastecimento” apesar da guerra na Ucrânia, afirmou Maria do Céu Antunes em Beja. A ministra da Agricultura e da Alimentação observou ainda que “a única coisa de diferente que, infelizmente, está a acontecer tem a ver com o preço” dos cereais. “Ainda assim, acompanhamos este setor semanalmente junto dos importadores, para a todo o tempo podermos intervir e ajudar a minimizar qualquer impacto que possa acontecer”.

A ministra da Agricultura e da Alimentação esteve numa visita de campo, organizada pela Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches e pelo Clube Português dos Cereais de Qualidade, que contou também com a presença da ministra adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes. Daqui e daqui.

Trabalhar menos dias e receber o mesmo, produzindo o mesmo ou mais

Zé LG, 30.05.22

Sem nome.pngE se as semanas só tivessem quatro dias de trabalho? Um projeto britânico está a testar as semanas de quatro dias. Em Portugal, o parlamento aprovou estudar o impacto de medidas semelhantes. "Dinamarca, Suécia e Holanda trabalham menos que o Reino Unido e têm altos níveis de produtividade", destaca. Já a Grécia é um dos países da Europa com mais horas de trabalho, porém com baixa produtividade, explica Jonathan Boys, do Institute for Personal Development, uma associação de recursos humanos . Testes semelhantes foram realizados em Espanha, Islândia, Estados Unidos e Canadá, e estão programados para começar em agosto na Austrália e Nova Zelândia.

“É crucial que tudo isso seja desenvolvido em parceria, numa lógica de coerência, objectividade e economia de recursos!”

Zé LG, 30.05.22

maias.jpg«Há uma forma objectiva de evitar aquilo que PA expõe e que na sua opinião torna "impossivel dar resposta"! Basta que nos protocolos com as associações, como aliás é feito noutros municípios vizinhos, esteja claro um plano de actividades e uma orçamentação séria! Será aliás, esta uma das condições que legitimam o próprio financiamento ou subsidiação (não descurando os objectivos sociais e culturais das actividades que promovem)! O resto pois, caberá à autarquia, que possui orçamento próprio para as áreas cultural, social e desportiva, tendo ainda possibilidade de financiamento externo que não estará ao alcance de todas as associações! É crucial que tudo isso seja desenvolvido em parceria, numa lógica de coerência, objectividade e economia de recursos!» Anónimo 30.05.2022, aqui.

Museu do Cante em Serpa recebe Prémio APOM 2022

Zé LG, 29.05.22

202205281902409743.jpgO Prémio da Associação Portuguesa de Museologia (APOM), na categoria de Trabalho de Museografia, relativo a 2022, foi atribuído ao Centro Interpretativo do Cante Alentejano, do Museu do Cante Alentejano, em Serpa. O prémio, entregue na Academia Militar, em Lisboa, na passada sexta-feira, foi recebido pelo vereador Carlos Alves, da Câmara Municipal de Serpa.

CDU e PS trocam acusações sobre o apoio da Câmara de Beja ao movimento associativo

Zé LG, 28.05.22

maias.jpgDe acordo com os vereadores da CDU “o executivo do PS em permanência na Câmara Municipal de Beja continua a recusar-se apoiar condignamente o movimento associativo para a realização de atividades que são o garante de elevada participação cívica e, em muitos casos, oportunidades de acesso da população a eventos gratuitos ou a custos reduzidos.”
“A autarquia não pode aspirar a querer organizar ou ser a autora/criadora de todos os eventos. Não é esta a sua vocação. É preferível deixar que sejam outros que já deram mostras de organização ao fazê-lo. Mas para isso, é preciso apoiar. Financeiramente e logisticamente.” dizem os vereadores da CDU, porque “se não se contrariar esta tendência, vamos continuar a assistir ao definhamento cultural, artístico, económico e populacional da cidade e do concelho.”

O presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, diz, por sua vez, que os vereadores da CDU “têm uma visão distorcida da realidade”, que “os apoios atuais são superiores aos dados às associações no mandato de 2013-2017” e que “há pedidos que chegam em cima das realizações e aos quais é impossível dar resposta pois não é o orçamento da Câmara que tem de se adaptar às solicitações, mas o contrário”.

Leia e oiça aqui e aqui.

União Freguesias de Santiago Maior e São João Baptista homenageia os presidentes das Comissões Administrativas

Zé LG, 28.05.22

h_202205260051031182.jpgAssinalando os 48 anos da Revolução de Abril, a União de Freguesias de Santiago Maior e São João Baptista aprovou, por unanimidade, um voto de louvor aos presidentes das Comissões Administrativas eleitas em 1974 para as duas Freguesias que hoje constituem a União de Freguesias.

Bento Nunes d’Almeida foi eleito para presidir à Comissão Administrativa da Freguesia de Santiago Maior e viria a integrar o executivo da Junta de Freguesia saído das primeiras eleições autárquicas realizadas a 12 de dezembro de 1976. José Inácio Gonçalves tomou posse como presidente da Comissão Administrativa da Junta de Freguesia de São João Baptista. e viria a ser eleito presidente da Junta de Freguesia naquelas mesmas eleições.

Pensando em Beja e em tanto que há para fazer

Zé LG, 26.05.22

Neste Feriado Municipal, deu-me para pensar em Beja. Há muito que a autarquia e o governo têm de fazer em Beja. Aqui deixo uma lista (não exaustiva) de apenas intervenções físicas, de cujas necessidade e urgência julgo que ninguém tem dúvidas. Algumas prometidas vezes sem conta, outras esquecidas, outras ainda começadas mas sem fim à vista. O PS continua na autarquia e no governo, como sempre disse que era conveniente para tratar dos problemas com mais celeridade. Há dinheiro - ou promessa dele -, a rodos para tudo e mais alguma coisa. O que vai impedir de termos estas necessidades satisfeitas?

- Arruamentos

- Centro Histórico

- Centro de Artes e Arqueologia- /Fórum Romano

- Circular externa nascente e ligação da rotunda do Cemitério ao Bairro dos Moinhos

- Estádio Municipal Dr. Flávio dos Santos

- Habitação Social e a preços controlados

- Mercado Municipal

- Moinhos de Stª Iria

- Parque de Campismo / Caravanismo

- Parque Industrial - 2ª fase do Acolhimento Empresarial Norte

- Percursos acessíveis - 2ª fase

- Piscina Municipal descoberta

- Recuperação / reutilização de grandes edifícios (Banco de Portugal, Casa Pia, Governo Civil)

- Rede Viária Municipal

- Zona de Acolhimento Empresarial Norte

 

- Aeroporto

- Autoestrada / IP8

- Hospital Distrital - 2ª fase, meios de diagnóstico, pessoal

- Ligação Ferroviária Casa Branca/Beja/Funcheira - eletrificação/modernização

- Museu Regional

- Palácio da Justiça 

- Pisões

Hélder Guerreiro diz que será “o fim da ideia do Baixo Alentejo constituído pelos 18 concelhos”

Zé LG, 25.05.22

182131243_4140054922713742_2588091656553156507_n.jpg«Aquele que deveria ser um processo de construção estratégica para uma região onde as principais reflexões deveriam assentar nas ligações de profundidade desde o oceano atlântico (costa sudoeste) à zona raiana com Espanha e nas relações verticais com a área metropolitana de lisboa e/ou com a Região do Algarve. Em vez de tudo isso estamos a construir de forma separada, Alentejo Litoral para um lado e Baixo Alentejo para outro, a resposta que se nos impõe ao próximo período de programação de fundos comunitários.

Em vez de pensamento estratégico para e sobre uma região estamos entretidos, de forma cada vez mais separada e distante, a arrumar somatórios de projetos e de intenções de projetos que se encaixem nas grandes opções de política definidas pela comissão europeia.»

Hélder Guerreiro, Presidente da CM Odemira, aqui.

Pág. 1/4