Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

João Aiveca Caseiro candidato do LIVRE à AR, pelo Círculo Eleitoral de Beja

Zé LG, 30.11.21

20211129150255904.PNGJoão Aiveca Caseiro, tem 23 anos, nasceu e cresceu em Beja mas foi estudar para Lisboa, onde trabalha e reside atualmente. É membro do LIVRE desde novembro de 2019.

O candidato do LIVRE promete combater a assimetrias que existem entre o litoral e o interior, onde do seu ponto de vista há falta de investimentos em infraestruturas, a vários níveis.

RIR retira poderes a mandatário e cabeça de lista à AR por Beja, por ser militante do Chega

Zé LG, 30.11.21

20211129151503262.PNGO RIR expressou “muita surpresa” por ter tomado conhecimento, “esta manhã”, que Luís Miguel Serra Godinho é “afinal é militante n.º 5.595 do Partido Chega”, para cujo Conselho Nacional foi “eleito no último congresso”.

Luís Godinho tinha sido “nomeado mandatário” do RIR, no passado dia 23 deste mês, “para a elaboração da lista pelo círculo eleitoral de Beja às próximas eleições legislativas, sendo ele próprio o cabeça de lista”, pode ler-se no comunicado.

“Na política não pode valer tudo e as pessoas que integram partidos políticos devem ter consciência da responsabilidade que lhes cabe”, afirma o RIR, concluindo que são situações como estas “que afastam cada vez mais as pessoas da política e contribuem para o aumento da abstenção”.

Governo vai leiloar 100 MW de energia do “maior projecto de solar flutuante do mundo” em Alqueva

Zé LG, 29.11.21

alqueva_solar_flutuadores_1-690x450.jpgO secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, informou que o Governo pretende leiloar a exploração de 262 megawatts (MW) de energia solar em sete barragens portuguesas, entre elas, a de Alqueva com 100 MW, considerado “o maior projecto de solar flutuante do mundo”.

A destacar ainda que o projecto Fotovoltaico Flutuante do Alqueva, em parceria com a EDP, é um dos mais inovadores projectos de energia solar de sempre, composto um parque flutuante com mais de 11 mil painéis fotovoltaicos na albufeira da barragem do Alqueva.

“O poder está em nós, nos cidadãos: Proteste!”

Zé LG, 29.11.21

22201079_Rc3l3.jpeg«Viver em democracia, permite-nos decidir. Não somos peões comandados por outros. Vivemos numa democracia representativa, elegemos pessoas para decidirem por nós, mas precisamos de inverter as coisas e ter uma cultura de democracia participativa.

Todos exigem mudança, mas a mudança só acontece quando pessoas comuns protestam e se envolvem na comunidade e na política. Exigem a si e aos outros. Apenas com participação e escolhas que fazemos diariamente, construímos uma comunidade, cidade ou país melhores.» Daqui.

País de salário mínimo, sobretudo no Alentejo, mulheres, jovens e precários

Zé LG, 28.11.21

Estufas-1-int-990x556.jpgCerca de um quarto dos trabalhadores em Portugal recebe o salário mínimo nacional (SMN), que é sobretudo auferido pelos trabalhadores precários, pelas mulheres, pelos jovens e por pessoas com menos habilitações, que trabalham maioritariamente em pequenas empresas, de acordo com o relatório 'Retribuição Mínima Mensal Garantida 2021', do Gabinete de Estatística e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho

O Alentejo é a região que apresenta atualmente a incidência mais elevada do salário mínimo (31,7%), seguido pelo Algarve (30,8%). Ou seja os mais desfavorecidos são duplamente penalizados.

João Oliveira, líder parlamentar do PCP, volta a encabeçar a lista de candidatos da CDU pelo círculo de Évora

Zé LG, 28.11.21

260499632_4758054704252856_5673976575393892215_n.jJoão Oliveira tem 42 anos e é Advogado. Foi membro do Senado da Universidade de Coimbra, da Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra (AAC), da Direcção do Núcleo de Estudantes de Direito da AAC, da Direcção da Associação de Estudantes da Escola Secundária Severim de Faria e do seu Conselho de Escola.

É membro da Comissão Política do Comité Central do PCP, Deputado do PCP à Assembleia da República desde a X Legislatura e presidente do Grupo Parlamentar do PCP. Foi membro da Assembleia de Freguesia da Horta das Figueiras (Évora).

A vitória de Rui Rio

Zé LG, 28.11.21

RR.pngRui Rio, contrariando a generalidade dos comentadores de serviço, dos dirigentes das estruturas locais e dos "Barões" do PSD, venceu ontem, mais uma vez, as eleições directas para presidente do partido. O mérito maior na sua vitória foi mais uma derrota da opinião publicada e dos que se jugam "donos dos votos" dos militantes.

Ao contrário do que ouvi algumas pessoas defenderem, acho que para uma nova solução governativa à esquerda, teria sido preferível a vitória de Paulo Rangel, porque tenderia a empurrar mais o PS para a esquerda. Rui Rio, pelo que tem mostrado e repetido, tudo fará para evitar essa solução à esquerda e tentar uma solução de bloco central, formal ou informal.

Opinião publicada derrotada mais uma vez

Zé LG, 28.11.21

211124_visao1499-678x960.jpgEstamos a viver tempos interressantes, em que parce que as pessoas estão melhor informadas e mais conscientes do que devem fazer. Por mais que os chamados "líderes de opinião" ou "comentadores de serviço" façam na tentativa de convencer a opinião pública da bondade das posições que defendem (e lhes pagam para defender) nem sempre o conseguem. Ontem, com a vitória de Rui Rio nas eleições directas para presidente do PSD, mais uma vez a opinião publicada, que dava como certa a vitória de Paulo Rangel, saiu derrotada. Veja-se aqui o que o mais apaparicado (e pago) comentador de serviço Marques Mendes defendia, "analiticamente falando" como disse, e a resposta que os militantes de base do PSD deram. E atente-se também no conturcionismo que muitos desses comentadores fazem na vã tentativa de mostrar que não se enganaram, que foram as circunstâncias que se alteraram, como se nas suas análises não devessem perceber essas alterações...

A "coerência" de Marques Mendes

Zé LG, 27.11.21

211124_visao1499-678x960.jpg«Essa é a parte (se Rangel é o homem para sair desse impasse) que os militantes decidirão. Não quero nem me vou envolver nesta eleição. Desde que saí da vida política ativa e assumi o papel de comentador, não tomei mais posição pública nas eleições internas do PSD. Vou manter essa coerência. Porém, analiticamente falando, Paulo Rangel tem grandes condições para vencer. Acho que está em melhores condições que qualquer outro hoje para unir o partido. E tem um pensamento político de grande qualidade. Isto são mais-valias que os militantes normalmente valorizam.» - disse Luís Marques Mendes, em entrevista à VISÃO desta semana.

“Os baixo alentejanos têm de saber reivindicar, sob pena de se isolarem cada vez mais”

Zé LG, 27.11.21

«Estamos num território sui generis! Por um lado, por razões de comodismo ou de falta de operância cívica, tendemos a ficar calados, num gesto de assunção do estado da coisa; quando alguém intervém publicamente, expressando opinião com legítima posição (como será o caso) logo é rotulado como demagogo, oportunista ou hipócrita, defendendo-se o silêncio como metodologia de actuação! Uma porra de manifestação, que não abona em favor da região ou das suas gentes! A região tem problemas sérios para resolver, que estão mais ou menos identificados, e que têm essencialmente que ver com a falta de investimento público dos sucessivos governos centrais, e por inerência, da necessidade de criação de emprego e da fixação de quadros para estancar o abandono da população jovem, capaz e melhor preparada nas mais distintas áreas!...Os baixo alentejanos têm de saber reivindicar os seus direitos, anseios e preocupações, sob pena de se isolarem cada vez mais na sua existência quotidiana!...Política ou civicamente, é agora mais do que nunca, urgente arregaçar as mangas em prol desta vasta região que tem tanto para oferecer ao resto do território nacional nas suas potencialidades próprias! Assim saibamos pugnar por isso, congregando esforços e vontades em todas as frentes possíveis! Nós todos enquanto usufrutuários deste território, temos a nossa quota parte de responsabilidade, que deverá ser exercida a título político, cívico e social, sob pena de ficarmos eternamente num limbo de inoperância que não é benéfico para ninguém! É, para isso, preciso remarmos na mesma direcção, pondo de lado as diferenças e sermos dialogantes em benefício do interesse colectivo! Sem isso, não me parece que cheguemos a algum lado palpável!» Anónimo 26.11.2021, aqui.

Médica da ULSBA publica livro sobre “saúde mental para todos”

Zé LG, 27.11.21

Livro-Não-Há-Mal-que-sempre-dure-1-768x576.jpg“Não há mal que sempre dure” é o título do livro, recentemente, publicado da autoria de Mariana Duarte Mangas, médica interna da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), e recém especialista em Psiquiatria, com o apoio do Programa Nacional para a Saúde Mental.
O livro “dirigido a pequenos e graúdos”, aborda a saúde mental de forma simples, “numa linguagem acessível a todas e a todos, ancorada num trabalho artístico de excelente qualidade estética” tal como destaca Ana Matos Pires, Diretora do Serviço de Psiquiatria da ULSBA, no prefácio do livro. O posfácio é de Júlio Machado Vaz, médico psiquiatra e sexólogo

Beja, Castro Verde e Cuba celebram hoje o 7.º aniversário da elevação do Cante Alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade

Zé LG, 27.11.21

20211126185537250.jpg

Um desfile com atuação de oito grupos corais do concelho de Beja vai decorrer, a partir das 10:00 horas, incluindo dois percursos diferentes pela cidade com a participação de quatro grupos corais em cada um, com início no Largo de Santo Amaro, perto do castelo, e no Largo de D. Nuno Álvares Pereira, junto à Pousada de São Francisco, e terminando no Jardim do Bacalhau, para um momento final.

202111241136166145.PNGA Câmara de Castro Verde celebra a efeméride com a abertura de uma exposição e um encontro sobre aquela expressão cultural no concelho.

202111261012209251.pngA Câmara de Cuba faz o lançamento, com a participação de grupos corais do concelho, do CD “Catedral do Cante”.

“É preciso haver um investimento sério do poder central para inverter o desequilíbrio em Portugal”, defende Santiago Macias

Zé LG, 26.11.21

SM.png«Portugal não tem propriamente interior, o que tem é um país que está desequilibrado em termos demográficos, desequilibrado em termos de desenvolvimento e que está concentrado e torno de duas grandes áreas metropolitanas, Lisboa e Porto, além do Algarve. E é isso que é preciso inverter. Tem de haver uma intenção firme do nosso poder central. Os incentivos têm de partir do governo, porque as câmaras municipais, sobretudo as de pequena dimensão, com os orçamentos e a capacidade de decisão que têm não conseguem reverter a situação. E não é, manifestamente, com a criação de medidas fictícias, como a descida da taxa do IMI ou a devolução de uma parte do IRS aos munícipes - uma espécie de Robin dos Bosques ao contrário, que é dar dinheiro aos mais ricos - que se vai fixar a população. Não é por uma pessoa receber mais 100 ou 200 euros por ano que vai deixar de viver no Seixal e ir morar para Barrancos ou Moura. É preciso haver um investimento sério do poder central. Não vale a pena continuar a criar observatórios, autoridades ou unidades de missão se depois não há recursos financeiros ou intervenção política.»

“ULSBA saúda e apoia os movimentos sociais e de cidadania que procuram dar força à instituição e à região”

Zé LG, 26.11.21

259122632_5280967921930423_3138682635935549414_n.jO Conselho de Administração (CA) da ULSBA responde às denúncias públicas da “crónica falta de especialistas” no Hospital de Beja e outras matérias relacionadas com o funcionamento dos serviços, esclarecendo:

“Desde há vários anos que a ULSBA e o Hospital José Joaquim Fernandes como instituição integrante, se debate com grandes dificuldades na captação e fixação de médicos especialistas para os seus quadros, tendo várias especialidades hospitalares com um só especialista, como é o caso da pneumologia, neurologia, hematologia, entre outras.” E dá conta das diligências que tem feito para as colmatar.

Garante depois que, “Nos últimos anos, a ULSBA tem, ..., investido em equipamentos nas mais diversas áreas, ... “ e “Sempre temos defendido, em sede própria e junto da tutela, a construção da 2ª fase do hospital, algo que, infelizmente, até ao presente momento ainda não foi possível concretizar, mas da qual não desistiremos nunca.”

E termina afirmando: “A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo saúda e apoia os movimentos sociais e de cidadania que procuram dar força à instituição e à região e que têm como foco a melhoria dos cuidados de saúde e das condições oferecidas aos utentes, alertando todavia para o facto de que situações avulsas e descontextualizadas, no meio de outras verdadeiramente importantes, não contribuirão para esse propósito e são geradoras de ruído mais prejudicial para a instituição do que construtivas.”

Medidas anti-COVID-19 para tratar da ressaca das comemorações do Natal

Zé LG, 26.11.21

ac.pngO primeiro-ministro anunciou as medidas decididas pelo governo para travar a subida da pandemia. A que mais ressalta é a “seca” decretada para a primeira semana do novo ano, para tratar a ressaca dos “descuidos” das comemorações do Natal. Porque não prevenir em vez de remediar, evitando a repetição do que aconteceu no ano passado?

Exige-se a apresentação do resultado do teste, em diversas circunstâncias, mesmo para quem tenha sido vacinado. Mas que importância atribui o governo à vacina, que tanto promoveu e continua a promover, agora até paras as crianças dos 5 aos 12 anos, se o certificado de vacina não serve para nada?

Mais uma vez, vão ser os mesmos os mais penalizados com as “novas” medidas. É preciso teste (negativo?) para entrar num hotel mas não para nele permanecer, como se as pessoas ficassem “isoladas”, como se dele não saíssem e não contactassem com outras pessoas, eventualmente, infectadas...

A matéria é complexa e geradora de dúvidas. Ainda há bem pouco tempo nos prometiam ficarmos “a salvo” se atingíssemos a imunidade de grupo, de que se deixou de falar uma vez “alcançada”…

Vejam aqui as medidas anunciadas, entre recomendações e obrigações.

“Não podemos levar o tempo todo a descurar aquilo que são as infraestruturas de cada local”, afirma Santiago Macias

Zé LG, 25.11.21

SM.png«A descentralização implica capacidade operativa, não é afogar as câmaras em matérias cada vez mais burocráticas, com o presidente a desempenhar uma função que não chega ao ponto de ser decorativa, mas que tem uma capacidade de atuação cada vez mais diminuída. ... entre as despesas anuais, que eram substanciais, e os compromissos que tinham de ser assumidos, a margem para inovar ou para fazer qualquer coisa de mais ousado era curta. E há uma coisa que temos de pensar de forma muito firme, que é a infraestruturação. ... Não podemos levar o tempo todo a descurar aquilo que são as infraestruturas de cada local - e não pode ser só maquiagem, é preciso ir ao fundo. Nem sempre o que é visível é o mais importante. Tivemos como marco a reabilitação urbana, pegar em edifícios abandonados ou sem função definida e dar-lhes uma nova vida. Polvilhar as localidade de novos equipamentos sem ter decidido o que fazer com os antigos tem um interesse muito relativo, porque estamos a multiplicar despesa e custos futuros. Isto vai ser um problema.»

João Dias volta a encabeçar a lista de candidatos da CDU à AR, pelo círculo de Beja

Zé LG, 25.11.21

260182160_4758054287586231_2108960994755826333_n.jJoão Dias tem 47 Anos, é Enfermeiro, Especialista em Enfermagem de Reabilitação, Professor convidado na Universidade de Évora, na Universidade de Coimbra e na Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny, no Funchal, e co-fundador da ELCOS.

É membro da Direcção da Organização Regional de Beja do PCP, Deputado do PCP à Assembleia da República na XIII e XIV Legislaturas e eleito da CDU na Assembleia Municipal de Beja.

Pág. 1/6