Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Termina o estado de emergência, começa o estado de calamidade e avança o desconfinamento

Zé LG, 30.04.21

Sem nome.pngA partir das 00h00 do dia 1 de maio, a generalidade do país, à exceção de oito municípios – Odemira (freguesias de São Teotónio e Longueira/Almograve), Aljezur, Resende, Carregal do Sal, Portimão, Paredes, Miranda do Douro e Valongo – prossegue para a próxima fase de desconfinamento.

Para além de um conjunto de medidas, designadamente relativas ao dever cívico de recolhimento domiciliário, à obrigatoriedade de uso de máscaras ou viseiras, ao controlo da temperatura corporal, à realização de testes de diagnóstico, bem como regras de segurança e de distanciamento nos estabelecimentos ou locais abertos ao público, aplicam-se as seguintes regras:
- Restaurantes e espetáculos até às 22h30;
- Comércio em geral até às 21h00 nos dias de semana e até às 19h00 nos fins de semana e feriados.
- os restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar com a limitação condicionada a um máximo de seis pessoas por mesa no interior e dez pessoas por mesa nas esplanadas;
- a prática de todas as modalidades desportivas passa a estar permitida, bem como e para todas a atividade física ao ar livre;
- os ginásios podem funcionar com aulas de grupo, observando as regras de segurança e higiene;
- a lotação para casamentos e batizados passa a estar limitada a 50% do espaço.
Haverá ainda uma avaliação intercalar semanal para averiguar se os concelhos cuja situação epidemiológica melhore podem avançar no desconfinamento. 

Alto Comissariado para as Migrações vai "descentralizar os seus serviços" para Beja

Zé LG, 30.04.21

i045232.jpg"O Alto Comissariado para as Migrações irá descentralizar os seus serviços para Beja e assim ter uma abordagem ainda mais eficaz com os imigrantes", afirmou a secretária de Estado para a Integração e as Migrações.
Cláudia Pereira salientou que está a ser trabalhada uma "abordagem de proximidade com os municípios" e as empresas com vista a um "maior envolvimento" para a "melhoria das condições" de vida dos imigrantes, e que o Governo tem articulado com as autoridades locais a estratégia local de habitação, destacando ainda que os centros locais de apoio ao imigrante têm "feito um trabalho muito significativo a nível local".

"Basta seguir o rasto do dinheiro"

Zé LG, 29.04.21

Sem nome.png«... E não vale o argumento de que legislar agora sobre a ocultação de riqueza é legislar a quente. Como se tivéssemos descoberto a falta de criminalização do enriquecimento ilícito só com as curvas do processo Marquês. Não foi agora, foi há muito tempo, há tempo demais, que tomámos consciência de que uma lei que permita ir no encalço do dinheiro da corruipção é imprescindível. Não é, pois, por precipitação, mas sim, por responsabilidade que se deve criminalizar a ocultação de incrementos de riqueza.

A democracia não pode ficar refém dos que a querem frágil para dela se servirem ou para a liquidarem. A ambos a democracia tem de tirar o chão. e, Para isso, não precisa de inventar a roda. Basta seguir o rasto do dinheiro.»

José Manuel Pureza, in VISÃO, de 22/04.

PCP diz que “é caso para dizer, faz o que eu digo, não faças o que eu faço” na eleição dos órgãos sociais da Águas Públicas do Alentejo

Zé LG, 29.04.21

202104281104258818.jpgA Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP acusa a Federação do Baixo Alentejo (FBA) do PS de ter “motivações partidárias” no que se refere à eleição dos órgãos sociais da empresa Águas Públicas do Alentejo (AgdA), uma situação que remonta ao passado mês de março.

“O PS como é seu apanágio dá uma pirueta completa na sua opinião sobre este assunto, tendo, apenas, como móbil o facto de, agora, o administrador executivo em causa ser um eleito do Partido Socialista. Agora percebe-se bem quem é que tem motivações partidárias”, acusam os comunistas.

A DRA do PCP reafirma “o empenho dos comunistas em desenvolver todos os esforços para assegurar a gestão pública da água, continuando a lutar, contra as investidas do Partido Socialista que a nível da baixa aposta na transformação da água num negócio”.

Francisco Santos falou de Beja, pela primeira vez, desde que saiu da Câmara

Zé LG, 29.04.21

202104280019038775.jpgFrancisco Santos, médico, natural da freguesia de Santa Clara do Louredo (Boavista), liderou durante um mandato (2005/2009) a Câmara Municipal de Beja. A derrota nas autárquicas de 2009, apesar de ter subido a votação com que foi eleito, fê-lo regressar à medicina e à sua residência em Almada.

Pela primeira vez, desde a noite eleitoral de 19 de outubro de 2009 que ditou o seu afastamento da Câmara de Beja, Francisco Santos, aceitou dar uma entrevista onde revisita o seu mandato, os projetos que mais gosto lhe deram implementar, como o CEBAL ou a Academia Sénior, e os projetos estruturantes da região como o Aeroporto de Beja e as acessibilidades rodo/ferroviárias.

PS recandidata António José Brito à Câmara de Castro Verde

Zé LG, 28.04.21

Antonio-Jose-Brito-Autarquicas-2021-1024x576.jpgAntónio José Brito vai ser o candidato do PS à presidência da Câmara de Castro Verde nas eleições Autárquicas deste ano, anunciou a Concelhia de Castro Verde do PS, que assume a ambição de, nos próximos quatro anos, “continuar a desenvolver o concelho”.
Natural de Entradas, António José Brito tem 50 anos e foi jornalista durante quase 25 anos, tendo sido diretor do “CA, da Rádio Castrense e do “Diário do Alentejo” e “Correio Alentejo”, além de colaborador do “Diário de Notícias” e da Rádio Renascença.
Nas Autárquicas de 2017 liderou a “vitória histórica” do PS em Castro Verde, abrindo no concelho, segundo o PS, “um ciclo de diálogo, cooperação, transparência e ambição”, que “pretende continuar até 2025”.

Manuel Descalço morreu

Zé LG, 28.04.21

2021042610580863.nb.pngManuel António Pereira Descalço, com 60 anos, solteiro, natural de Trigaches, morreu no Hospital de Beja, no dia 24, tendo-se o funeral realizado no dia 27, da Casa Mortuária para o Cemitério daquela Aldeia.

Conheci-o há mais de 30 anos, na Câmara Municipal de Beja, onde era calceteiro e de onde se aposentou há uns anos. Abriu depois um café na sua Aldeia, onde estive para ir há uns dois anos a um jantar de antigos trabalhadores da Autarquia, mas não pude.

Guardo do Descalço a imagem de um homem bom, calmo e bem disposto.

À família apresento os meus sentidos pêsames.

"Cabo Delgado somos nós"

Zé LG, 27.04.21

LJ 001.jpg«... o que se está a passar é uma tragédia. Há uma personagem do meu livro Estuário, um jovem, que diz que, se não se tomar cuidado, a terra será destruída por um vento de irracionalidade. O que está em Cabo Delgado a acontecer é justamente um vento de irracionalidade, que pode alastrar para outros campos. Devámos escrever em todas as paredes: "Cabo Delgado somos nós". Cabo Delgado está abandonado, aquelas pessoas estão cheias de fome. Neste momento, estou muito desiludida com a ONU. Acho fraca, acho frouxa, acho lenta, acho muito lírica, não acho ativa. A ONU não está adaptada aos dias de hoje. E António Guterres, que nos diz tanto, ou abre os olhos para a situação de Cabo Delgado ou, de facto, não fica à altura do momento. Ele lá saberá as linhas com que se cose e as dificuldades que terá, mas Ban Ki-moon (antecessor de António Guterres no cargo de secretário-geral das Nações Unidas) gritava mais alto. Guterres não está a gritar suficientemente alto. E eu, como portuguesa, precisava de que a sua voz fosse mais firme. É mais fácil falar das mudanças ambientais: hoje já toda a gente fala, até as crianças falam... É preciso rebentar as convivências internacionais, com as insensibilidades, com as indiferenças.» Lídia jorge, in VISÃO, de 22/4.

Desde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha que a “Dança de Cadeiras” na Delegação de Beja não para

Zé LG, 27.04.21

George-e-Equipa_800x800.jpgDesde que Francisco George assumiu a presidência da Cruz Vermelha em novembro de 2017, a Delegação de Beja já conheceu vários responsáveis. A última presidente da Comissão Administrativa, antes do atual Delegado Especial, durou seis dias. Lar/Residência de Beja: um que não abre ou que pode fechar.

A “Dança de Cadeiras” começou na noite de 1 de dezembro de 2017, na primeira visita de Francisco George enquanto presidente da Direção Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), cargo que tinha assumido sete dias antes e desde essa data já houve um presidente, cinco presidentes de Comissões Administrativas (CA) e agora um Delegado Especial.

Veja, aqui, todas as mudanças registadas desde aquela data.

CDU de Beja quer um “futuro de progresso e um Alentejo mais desenvolvido”

Zé LG, 27.04.21

20210425170652712.jpgNo âmbito das comemorações do 47º Aniversário da Revolução de Abril, a CDU celebrou a Revolução nas Arcadas da Casa da Cultura da cidade de Beja, frisando que quer “um futuro de progresso e um Alentejo mais desenvolvido”, garantindo “a luta pelos direitos e liberdades conquistados pelos trabalhadores e pelo povo português com a Revolução de Abril” e que “as respostas mais urgentes aos problemas económicos e sociais que os trabalhadores e o povo enfrentam encontrarão soluções com a concretização de uma política que coloque de novo os valores de Abril no futuro de Portugal”.

Figueira Mendes diz que "Já superámos largamente os objetivos a que nos tínhamos proposto para este mandato autárquico" em Grândola

Zé LG, 26.04.21

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes, faz o balanço do atual mandato, referindo a concretização de “dezenas de investimentos estruturantes, em todo o concelho”.

O que se modificou no concelho de Grândola, desde 2017: o reforço dos serviços operacionais da câmara, passando a ter mais capacidade de resposta; a forte aposta na dinamização da Zona Industrial Ligeira e na captação de empresas; a aposta na educação e formação; o reforço do trabalho na área da proteção civil, defesa do ambiente, proteção animal, cultura e património, desporto, juventude, desenvolvimento social, turismo…

As “obras” mais emblemáticas deste mandato: a requalificação da Escola EB1 de Grândola e de diversas escolas rurais, do Jardim 1.º de Maio, da antiga Igreja de São Pedro – que é agora um núcleo museológico, da Biblioteca e Arquivo, da Olaria de Melides, das estradas de acesso ao Lousal e às Sobreiras Altas, a construção da estrada de ligação da Zona Industrial Ligeira (ZIL) ao IC1, da Casa Mostra de Produtos Endógenos, dos Centros Comunitários da Aldeia do Pico e de Água Derramada, entre outras.

A principal prioridade nesta “reta final” de mandato: o combate à pandemia, em estreita articulação com as autoridades de saúde, e a concretização do plano e orçamento que aprovámos para este ano, incluindo um conjunto alargado de obras, em curso que queremos que avancem o mais possível.

Os principais problemas com que o concelho de Grândola se debate: a fraca resposta ao nível dos serviços de saúde e as muito más condições da escola secundária e da escola profissional, da responsabilidade direta do Governo, que persistem há vários anos.

Os principais desafios para o quadriénio 2021/2025: dar continuidade ao grande desenvolvimento que o concelho tem assistido nos últimos anos, continuando a melhorar a qualidade de vida da população.

Candidatura de Vítor Picado à Câmara de Beja coloca o Alvitrando no Top 10 dos blogues do SAPO

Zé LG, 26.04.21

201810231930136092.jpg

Os posts mais comentados no SAPO, no fim-de-semana,

incluiram CDU candidata Vítor Picado à Câmara de Beja (29), em 7º lugar, para além das centenas de visitas e visualizações, o que revela o interesse que as eleições autárquicas estão a despertar, designadamente em Beja.

Pág. 1/7