Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Beja nos 121 concelhos em risco elevado de COVID-19, sujeitos a recolhimento domiciliário e a outros condiconamentos

Zé LG, 31.10.20

transferir.jpgO primeiro-ministro António Costa anunciou que 121 concelhos considerados em risco elevado - mais de 240 casos por 100 mil habitantes -, onde vão ser impostas medidas como o dever de recolhimento domiciliário, a proibição da realização de celebrações e de outros eventos com mais de cinco pessoas e a obrigatoriedade do teletrabalho a partir de 4 de Novembro.

Com este novo critério, passam a ser 121 concelhos do país a estar abrangidos pelas medidas que foram implementadas em Lousada, Paços de Ferreira e Felgueiras. Na lista incluem-se os municípios de Lisboa, Porto, Guarda, Braga, Castelo Branco e Beja, entre outros.

Veja aqui ou aqui as medidas que vão ser impostas.

Guia prático para leigos, gente com tosse ou "panicosa"

Zé LG, 31.10.20

mitos-coronavirus.jpgPor achar muito interessante, pertinente e oportuno, publico aqui, com a devida vénia,  o parecer do Dr. Diogo Cabrita, médico do CHUC - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, que me fizeram chegar:

"Surpreso com a inutilidade e a farronca de um político a falar de covid-19, estupefacto por nunca me questionarem como se conduz um avião, ou como montaria os componentes da cambota do motor para eu dizer – escolha quem sabe! - vejo-me dilacerado pela inutilidade e resolvo fazer um guia prático para os doentes emocionais nestes dias de virologia acéfala. Isto é para adultos:

“a nossa Segurança Social é bastante sólida”

Zé LG, 31.10.20

seguranca_social.jpg“Há alguns estudos sérios sobre esta temática, que demonstram que a nossa Segurança Social é bastante sólida. Precisamente por serem sérios e demonstrarem, por exemplo que os nossos fundos de pensões são extremamente robustos (dos mais sólidos do mundo ocidental), é que a dita imprensa de referência faz passar a ideia de que é tudo uma desgraça, sempre acompanhada pelo inigualável Correio da Manhã, que sempre que uma seguradora ou um banco fazem mais uma tentativa para abocanhar os ditos fundos de pensões, lá surge um título em letras garrafais a exclamar que só há dinheiro para mais um ano ou dois. Nada como analisar os números:

 

“O Instituto da Segurança Social não fica nada bem no meio desta triste realidade que tem obrigação de conhecer profundamente”

Zé LG, 31.10.20

Idosos.jpg"Na área social em que os lares operam, há efectivamente muitos problemas que são conhecidos de longa data!... São do conhecimento de todas estas instituições, que agora esboçam uma mobilização oportuna por força da situação pandémica que o sector atravessa!... Não há nada de novo aqui a não ser a actual circunstância em que tem morrido mais gente em consequência do surto viral recente!... Não se morre só de Covid nos lares, dirão alguns, mas o actual momento veio por a descoberto uma realidade débil, com imensos problemas de sobrelotação, de má gestão das instituições sociais, de falta de recursos técnicos e logísticos, etc... O Instituto da Segurança Social não fica nada bem no meio desta triste realidade que tem obrigação de conhecer profundamente, basta aferir as condições deficitárias em que muitos Lares funcionam por esse País, legal ou ilegalmente (sim, porque ainda há lares que funcionam irregularmente), pelo que esta crise que estamos a viver só veio por a nú (à conta de vidas humanas) as vicissitudes da prestação de cuidados no País!... Falta fazer muita coisa na área, a começar pela intensificação da actividade fiscalizadora, pelo licenciamento de equipamentos sociais, pela supervisão e pela disponibilização de recursos e apoios ao sector!... Impõe-se uma reflexão séria porque os idosos merecem se tratados com dignidade!”

Anónimo 28.10.2020, aqui.

“porque é que não nos contam toda a verdade sobre a Segurança Social?”

Zé LG, 30.10.20

seguranca_social.jpg“Está por fazer um grande debate nacional sobre o envelhecimento e as suas consequências sociais e económicas.

Os governos, os partidos políticos e a sociedade em geral, evitam falar sobre o tema. A começar pela sustentabilidade da Segurança Social, principal pilar e cerne de toda a questão.

Esta semana o governo informou que devido a toda a problemática relacionada com a COVID19, o orçamento da Segurança Social tinha sofrido mais um rombo. Somado aos péssimos investimentos feitos em fundos no governo do engenheiro Sócrates.

Será caso para dizer, porque é que não nos contam toda a verdade sobre o assunto?”

Anónimo 29.10.2020, aqui.

Orçamento de Estado: tanta dramatização para quê?

Zé LG, 29.10.20

O Orçamento de Estado para 2021 foi aprovado na generalidade, com os votos favoráveis do PS, os votos contra de toda a direita e do BE e a abstenção do PCP, PAN, PEV e de duas deputadas, que entretando abandonaram os partidos por que foram eleitas. Depois do Orçamento limiano, esta é a proposta de OE que passou mais "à rasca". E quem se absteve não garantiu a mesma posição na votação global final...

Entretanto, o BE levou-as "a torto e a direito" da direita - imagine-se!, quando toda ela votou contra -, e do PS, cujos dirigentes e deputados fizeram afirmações, pelo menos precipitadas, porque "ainda a procissão vai no adro" e, não me parece, ter sido a postura mais correcta de quem continua a afirmar que pretende continuar a governar à esquerda.

Apenas mais duas notas que me parecem oportunas e pertinentes.

Este OE, mais do que um verdadeiro Orçamento, é um plano de intenções - e nem todas boas -, porque, tal como admitiu o ministro das Finanças, terá de haver, quase de certeza, um orçamento rectificativo, tal é o grau de incerteza com que ele foi elaborado. Por isso, não é fácil de entender nem de aceitar a dramatização feita, nem, ainda menos, o extremar de posições, que pode vir a dificultar convergências quando elas forem mais necessárias.

O PS está a assumir tiques autoritários, de falta de respeito e de entendimento demasiado largo (restito, talvez seja mais correcto) dos direitos, liberdades e garantias constitucionais. Não me parece ser o caminho mais adequado à situação crítica que vivemos a auto-satisfação, a auto-suficiência, as restrições de duvidosa legalidade constitucional que tem evidenciado. Nem tudo pode valer em nome do combate à pandemia...

“não fora agora o COVID19, tudo estaria tudo muito bem, e nas graças de Deus”

Zé LG, 29.10.20

Idosos.jpg“É o que se chama por o dedo na ferida e em toda a sua extensão.

Como é que foi possível construírem-se lares e lares, e alguns bem recentes, com as particularidades que relatas?

A única e provável explicação, é que, quem para lá vai já não tem capacidade de reivindicação alguma, quem os lá põe regra geral quer-se ver livre deles, os proprietários dos lares de um modo geral apenas os pretendem rentabilizar o melhor possível e o Estado nomeadamente a Segurança Social estão-se borrifando para o que lá se passa.

Pois não fora agora o COVID19, tudo estaria tudo muito bem, e nas graças de Deus.”

Anónimo 28.10.2020, aqui.

Quantas mortes são necessárias para que se façam inquéritos aos lares?

Zé LG, 28.10.20

Idosos.jpgDepois da Ordem dos Médicos ter feito uma auditoria ao que se passou no lar de Reguengos de Monsaraz, da ARS e do Ministério Público terem instaurado inquéritos sobre o surto de covid-19 no mesmo lar, do presidente da Assembleia da República ter afirmado que "não entende como não se retiraram lições quanto aos lares" e de terem morrido mais oito utentes em dois lares de Beja, depois de terem morrido dois (?) noutro lar, ninguém fala na necessidade de inspecionar a situação neles existente, designadamente no lar da Mansão de São José em que praticamente todos os utentes e trabalhadores foram infectados pelo novo coronavirus. Fala-se em sobreocupação, em utilização das mesmas máscaras por diferentes utentes, em falta de acompanhamento na toma de medicamentos e em outras situações e muito mais e nada disto justifica uma auditoria ou inquérito da Segurança Social, da ARS, das Ordens dos Médicos, do Ministério Público? Quantas mortes são necessárias para que tal aconteça? Ou não se passou nada de grave ou são todos coniventes com o que lá se passou?

Os lares não podem ser encarados como antecâmaras da morte, onde as famílias depositam os seus velhos, nem como negócios chorudos de instiuições que de solidariedade pouco mais têm que o nome (felizmente que isto não se aplica a todos). Não podemos esquecer que os velhos são - ou, pelo menos, deviam assim ser considerados - o nosso mais rico património. Em mais um Dia Internacional do Idoso, que se assinala a 1 de Outubro, é importante que se faça uma reflexão sobre o tema e sejam tomadas medidas de travem descuidos, desleixos, irresponsabilidades e exploração no tratamento dos idosos, que, nestes tempos de pandemia, são as principais vítimas. 

Parabéns Bernardo Silva!

Zé LG, 27.10.20

k1Qrqvgs_400x400 bs.jpgBernardo Silva mostrou ser, para além de um dos melhores futebolistas da actualidade, um cidadão activo e empenhado no futuro do Benfica, ao divulgar a sua posição (em baixo) sobre o que está em jogo nas eleições dos novos corpos sociais do Clube. Pode-se concordar ou não com a sua posição e as suas opiniões, mas devemos enaltecer a sua frontalidade e clareza.

É de lamentar que, a críticas pertinentes, LFV e JJ tenham optado pela tentativa de amesquinhamento - "ainda no fim de semana me deu um abraço e agradeceu o que fiz por ele", "certamente que não foi ele que escreveu aquilo", "pediu-me para sair para ir ganhar mais dinheiro"... No jogo das palavras fica clara quem ganhou. Apesar de não ser sócio e, por isso, sem ter voto na matéria, manifesto a minha concordância com a posição de Bernardo Silva e manifesto-lhe a minha solidariedade.

ElQ0x3MXEAYXcmM BS.jpg

Apresentação pública do Observatório do Baixo Alentejo, com a presença de António Costa Silva

Zé LG, 27.10.20

122274752_141804574314158_2837776753115758405_o.jpAmanhã, a partir das 16h acompanhe aqui a sessão de apresentação pública do Observatório do Baixo Alentejo, com a presença do professor António Costa Silva - autor e coordenador do Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020 / 2030. A simbologia do dia 28 de Outubro reverte-se de enorme significado, sendo a data de constituição há 250 anos da diocese de Beja, definindo o espaço territorial do Baixo Alentejo e que o OBA pretende enaltecer.

PCP debate “Saúde, educação e as questões das culturas intensivas”, PS preocupado com “impactos da pandemia na fileira do Porco Alentejano”

Zé LG, 27.10.20

João Dias com atenções centradas nas questões da saúde

202010262020448384 pcp.jpgA Direção da Organização de Beja (DORBE) do PCP promoveu contactos com entidades e com a população nos concelhos de Beja e Aljustrel sobre problemas locais, que contaram com a participação do deputado, eleita pelo distrito, João Dias. Saúde, educação e as questões das culturas intensivas foram os temas em que as atenções estiveram centradas.

Pedro do Carmo preocupado com impactos da pandemia na fileira do Porco Alentejano

202003061132066849 ps.jpgA pandemia está a provocar “relevantes impactos negativos no escoamento da produção da fileira do Porco Alentejano, em especial, nas vendas para o mercado espanhol tradicionalmente comprometido com a aquisição dos produtos de excelência da produção regional em regime de montanheira”, refere o deputado do PS, eleito por Beja. Pedro do Carmo está preocupado com o futuro da fileira do Porco Alentejano.

CTT reabriram loja em Cuba

Zé LG, 26.10.20

201901232245428626 ctt.jpgA Loja CTT de Cuba reabriu, hoje, no mesmo local onde funcionava anteriormente, na Rua Álvaro Castelões, nº41. O espaço estará aberto nos dias úteis das 9 horas às 12h30 e das 14 horas às 17h30.

“Esta é a 20ª Loja em sede de concelho a ser reaberta, no âmbito do compromisso público dos CTT de reabrir Lojas únicas em sede de concelho, tendo em vista o reforço da elevada proximidade às populações e da capilaridade da rede, não procedendo, como já foi tornado público, a novos encerramentos”.

Presidente e vice-presidentes da CCDR do Alentejo já foram designados pelo Governo

Zé LG, 26.10.20

O Governo aprovou a resolução que designa o presidente e os vice-presidentes da CCDRA:

António José Ceia da Silva, presidente, eleito;

Aníbal Sousa Reis Coelho da Costa, vice-presidente, eleito;

Vereadora Carmen Carvalheira (12).jpg

Carmen de Jesus Geraldo Carvalheira, vice-presidente, por proposta da ministra da coesão territorial, após consulta ao presidente e ao vice-presidente designados por processo eleitoral.

Carmen Carvalheira, vereadora do PS da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, já tinha sido, em 1 de Fevereiro de 2017, nomeada para exercer o cargo de vice-presidente, em regime de substituição, da CCDR do Alentejo.

Vale do Guadiana é onde os linces mais se reproduzem na Península Ibérica

Zé LG, 25.10.20

240120161613-175-Lince001.jpgSegundo os dados dos censos 2019 anunciados, recentemente, pelo Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), a taxa de nascimentos (taxa de produtividade) no Vale do Guadiana é a mais elevada na Península Ibérica. Em 2019, das 13 ninhadas referenciadas, três geraram cinco crias cada uma, quando anteriormente o máximo registado foi de quatro crias por ninhada.
De acordo com o ICNF, esta taxa de nascimentos é “reveladora de abundância de alimento, de disponibilidade e adequabilidade de habitat e de tranquilidade proporcionada pelos proprietários e gestores do território, além de aceitação pela população residente”.
A população do lince ibérico foi reintroduzida no Vale do Guadiana a partir de 2015, no âmbito do projeto ibérico LIFE+Iberlince.

“Existem muitos interesses instalados que fazem com que Beja se mantenha exatamente como está”?

Zé LG, 25.10.20

P1100247.JPG“Existem muitos interesses instalados que fazem com que Beja se mantenha exatamente como está. Muita gentinha acomodada e medíocre vive (bem!) desse marasmo em que Beja se encontra. Sempre foi e sempre será assim, não tenham ilusões.

Não interessa a "certas" pessoas que Beja se desenvolva e seja atrativa para novas pessoas, gente "de fora" como "eles" dizem ...

Os mais jovens não se reveem nesta estranha forma de vida e, à primeira oportunidade, saem da cidade para não mais voltar!

O IPB é, infelizmente, pouco ou nada atrativo e os poucos alunos que se formam vão para outras paragens para não mais voltar!

Há medo de dizer abertamente aquilo que se pensa, de criticar os poderes instalados que sobrevivem à custa disso!

Valia a pena pensar nisto!!!!” Anónimo 23.10.2020, aqui.

Aqui está uma questão pertinente, que recorrententemente é colocada e que, a traduzir de facto a realidade, deve ser debatida, de forma a tirar-se desse debate a melhor forma de a combater, pelas graves e nefastas consequências que terá para o nosso futuro colectivo. Mas, parece-me, que, para que esse debate se possa fazer e dele se tirarem as devidas consequências, é necessário identificar que "interesses instalados" são esses, que "gentinha acomodada e medíocre vive (bem!) desse marasmo", a que "pessoas não interessa que Beja se desenvolva e seja atrativa para novas pessoas, gente "de fora" ". Ficarmos pela generalização parece-me insuficiente e injusto para a maioria das pessoas que certamente não são incluídas nesses grupos. Vamos a isso?

Pág. 1/6