Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ULSBA diz que “não se colocou a questão” de encerrar Urgência de Cirurgia de Beja mas que “não pode garantir que no futuro seja igual”

Zé LG, 02.09.20

serviço-cirurgia-768x432.jpgO SIM Alentejo diz que, no Hospital de Beja, “as equipas de cirurgia estão a funcionar abaixo dos mínimos de segurança para os cidadãos e médicos” e pede ao Conselho de Administração da ULSBA “medidas urgentes” para travar o encerramento do “Serviço de Urgência de Cirurgia”.

Conceição Margalha afirma, ainda, que a ULSBA tem feito “todos os esforços para contratar médicos, exemplo disso são os vários concursos que têm sido abertos para trazer pessoas novas para as equipas”, no entanto “sem sucesso”, e “muitos dos internos não ficam no hospital de Beja depois de terminarem a formação de especialidade”.

Conceição Margalha, presidente do concelho de administração da ULSBA diz “não ser verdade” que as equipas estão a funcionar “abaixo dos mínimos de segurança”, o só “acontece pontualmente”. “Não tem havido problemas” e “até ao momento, não se colocou a questão” de encerrar aquele serviço, frisa, acrescentando “não poder garantir que no futuro seja igual”.

“Vamos chamar os bois pelos nomes e não prosseguir este caminho de desculpabilização perigosa”

Zé LG, 02.09.20

“Iniciativas há muitas e com qualidade. A maioria, no entanto, é sufocada à nascença pelo clima bafiento e persecutório que se vive neste concelho e na região, onde só é gente quem está ligado ao partido ou goza de ligações privilegiadas aos amigos do sistema. As restantes, principalmente as de carácter económico, enfrentam um mercado demasiado escasso, quase inexistente, que inviabiliza qualquer projecto, graças à galopante perda de população, o que, por sua vez, e como todos sabem, radica na falta de infraestruturas, de serviços, de oportunidades de emprego e de condições dignas de vida nesta região, mesmo num centro urbano de considerável dimensão, como é Beja.
Vamos chamar os bois pelos nomes e não prosseguir este caminho de desculpabilização perigosa de quem tem as efectivas responsabilidades e tem os meios e as condições para agir em favor do desenvolvimento da região! Tudo o resto é foguetório (área de especialização do PS) e palavreado barato.”

Anónimo 01.09.2020, aqui.

“Novo ano letivo cheio de “incertezas por parte de toda a comunidade educativa”

Zé LG, 02.09.20

202008211743173958 prof.jpg"A pouco mais de duas semanas do início de um novo ano letivo, os professores pouco sabem, na medida em que as medidas anunciadas são para resolver casos de contágio, caso existam, e não preventivas, como seria de esperar”, diz o SPZS, afirmando, também, que se avizinha um novo ano letivo cheio de “incertezas por parte de toda a comunidade educativa.”

“O governo tem decidido, mas sem auscultar a comunidade educativa e no caso concreto dos professores há muitas perguntas sem respostas: dimensão das turmas, horários flexíveis, garantia de existência de máscaras, o que vai acontecer aos docentes que fazem parte dos grupos de risco?”, frisa Manuel Nobre, do SPZS.

“querem saber quantas vezes é que algum investimento no distrito de Beja foi referenciado?”

Zé LG, 01.09.20

IMG_6994-1536x1024.jpg“Entretanto em Coimbra, António Costa avança com os grandes projectos para relançar Portugal. Deixo aqui, no âmbito das acessibilidades transfronteiriças, os destaques do Governo:
Bragança - Fronteira
IC31 Castelo Branco - Monfortinho
Ligação Niza - Cedillo
Ponte entre Alcoutim - Sanlucar
Deram pela falta de alguma coisa?
Em todo o discurso e nas várias áreas que abordou querem saber quantas vezes é que algum investimento no distrito de Beja foi referenciado?
Pois vão ouvir o discurso ou perguntem aos camaradas socialistas.”

Anónimo 31.08.2020, aqui.

“Festa do Avante” poderá “mostrar que é possível continuar com as nossas vidas”

Zé LG, 01.09.20

transferir FA.jpgA Festa do Avante, que se realiza no próximo fim-de-semana, tem este ano, gerado muita controvérsia, tendo em conta a atual situação do país, devido à Covid-19.
João Dias, deputado do PCP eleito por Beja defende que, “para além de estar a contaminar” a população, o vírus está a “matar os direitos” dos portugueses, pelo que a Festa do Avante “pode ser uma forma de mostrar que é possível “continuar com as nossas vidas e que a economia pode continuar a funcionar, perante as condições de segurança”, uma vez que está a ser preparada “em articulação com a Direção Geral da Saúde”, recordando que “nenhum evento está proibido de ser feito, apenas não foram realizados pelas organizações porque isso implica perdas”, tal como o PCP vai ter “prejuízo” com a iniciativa. Afirma ainda que a “ideia que se criou” de que a Festa do Avante é uma “excecionalidade e uma ilegalidade não é verdade”.

“o eleitorado está conscientemente insatisfeito e tem procurado na alternativa a solução”

Zé LG, 01.09.20

ramôa-1-768x432.jpg"Considero esta reflexão (O que (não) tem sido feito para evitar o atraso progressivo de Beja?) muito importante e creio que encontrada a resposta, a solução surgirá a montante. Beja, deve ser talvez o único Concelho do País, em que nas últimas 5 eleições, teve 5 Presidentes diferentes, embora em alguns casos até da mesma área política, mas diferentes. Significa que o eleitorado está conscientemente insatisfeito, e tem procurado na alternativa a solução. Porém, isto tem um custo que é o de, em ciclos de 4 anos, ser quase impossível apresentar e concretizar projectos estruturantes, além do óbvio e de pormenor. É claro que esta não será a tal razão, (essas são várias e que teimamos em não discutir), mas é certamente uma consequência."

João Paulo Ramôa (Anónimo 31.08.2020), aqui.

Alberto Matos, do BE, diz que eleições nas CCDR's são “mascarada do centralismo”

Zé LG, 01.09.20

202008281818593635 AM.jpgAlberto Matos, da Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda (BE), considera que o plano de recuperação económica e social de Portugal 2020-2030 “não tem força legal ou política” e que “o BE discute estes temas com o Governo, anualmente, orçamento a orçamento”.

Quanto às eleições para as CCDR's, programadas já para setembro, Alberto Matos deixou claro que o “BE votou contra”, que “esta não passa de uma reforma dourada de alguns autarcas, até porque mesmo eleitos podem ser demitidos pelo Governo, logo não passa de uma mascarada do centralismo”. Alberto Matos frisa que “é necessária sim a regionalização, novo referendo e até alterações à constituição”. Saudou, ainda, “o PCP por se colocar de fora deste processo, não apresentando candidato”.

Pág. 7/7