Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Unidade Local de Saúde versus HJJF?”

Zé LG, 30.09.20

“Não seria melhor colocar as coisas na versão centralizadora, ainda não estudada e avaliada superiormente, Unidade Local de Saúde versus HJJF?

Essa mudança significativa é que traça os novos destinos da saúde no Distrito. Não tenho qualquer dúvida disso! Pena que a decisão política estratégica não tenha já sido avaliada, porque tempo não falta.”

Anónimo 25.09.2020, aqui.

“temos de nos adaptar às circunstâncias em vez de uma vez mais parar literalmente o pais”

Zé LG, 30.09.20

Paixão.jpgTenho uma opinião muito pessoal sobre o que estamos a viver, pode parecer mais do mesmo mas não há, quanto a mim, volta a dar-lhe, pois entendo que temos de nos adaptar às circunstâncias em vez de uma vez mais parar literalmente o pais. Essa adaptação traduz-se na responsabilização, prevenção e cuidados que cada um deve ter, contudo sem deixarmos de fazer o mais importante da e na nossa vida, do nosso dia-a-dia e não me repugna incluir como (também) mais importante alguns momentos de lazer e até mesmo de convívio e algum divertimento.”
Vitor Paixão 28.09.2020, aqui.

O município de Moura assinou contrato de financiamento para a Estação Náutica

Zé LG, 30.09.20

O presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azedo, assinou, ontem, o contrato referente ao Plano de Desenvolvimento da Oferta Turística da Estação Náutica de Moura – Alqueva.

10181_big Moura.jpgO desenvolvimento de experiências turísticas, a produção e instalação do plano de sinalética, bem como a monitorização da criação e implementação da Estação Náutica de Moura são algumas das actividades inseridas no Plano".

Hangar para manutenção de aviões no Aeroporto de Beja começa a funcionar em outubro

Zé LG, 30.09.20

Aeroporto-de-Beja-768x432.jpgO hangar da empresa Mesa para manutenção de aviões no aeroporto de Beja vai começar a funcionar em outubro, com 40 postos de trabalho, “por fases”, aumentando “progressivamente” e “à medida que as várias oficinas de apoio forem sendo certificadas”, estando prevista a criação de 150 postos de trabalho “durante os próximos três anos”.
Paulo Mirpuri, o presidente do grupo proprietário, explicou que a Mesa decidiu construir o hangar em Beja porque, atualmente, é “o único” aeroporto português que “pode acomodar todos os tipos de aeronaves que constituem a frota da Hi Fly, incluindo o airbus A380”, e “tem espaço disponível” para estacionamento de aeronaves e instalação de hangares.
O funcionamento do hangar no aeroporto de Beja é “importante” tanto para a Hi Fly, que consegue ter “um aumento da capacidade de manutenção”, como para a Mesa, que vai poder “acompanhar” aquele aumento e também “captar novos clientes oriundos principalmente da Europa e de África”, frisou.

"Integração de Aeroportos na Rede Ferroviária - Caso de Estudo do Aeroporto de Beja"

Zé LG, 30.09.20

é o tema de tese de uma estudante de Engenharia do Ambiente na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

Sem nome.png

Ana Catarina Oliveira, a autora do estudo pretende conhecer as vantagens de uma ligação ferroviária de alta prestação a Beja, a possível funcionalidade do aeroporto de Beja e o que pensa a população de Beja acerca desta temática e elaborou para o efeito um formulário a que se pode aceder em https://forms.gle/T2hg2ENKeJRfXdkV7 .

CCDR do Alentejo é a única com dois candidatos à presidência

Zé LG, 30.09.20

CCDR-768x512.jpgA Direção-Geral das Autarquias Locais divulgou hoje que foram aceites seis candidaturas à presidência das cinco Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), três das quais de atuais presidentes, nas eleições marcadas para 13 de outubro.

No Alentejo, para além do actual presidente, o economista Roberto Grilo, há mais um candidato, o presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva. O ex-autarca de Ferreira do Alentejo Aníbal Reis da Costa é o único candidato a vice-presidente.

Os mandatos para os presidentes e vice-presidentes das CCDR serão de quatro anos e a respetiva eleição decorrerá nos 90 dias seguintes às eleições para os órgãos das autarquias locais.

No entanto, excecionalmente, este ano decorrerão em outubro e o mandato será de cinco anos, para que os novos eleitos possam acompanhar as negociações dos fundos estruturais que estão a decorrer com Bruxelas.

As CCDR são serviços desconcentrados da Administração Central, dotados de autonomia administrativa e financeira, incumbidos de executar medidas para o desenvolvimento das respetivas regiões, como a gestão de fundos comunitários.

Município de Alvito quer reduzir o “impacto da solidão e do isolamento”

Zé LG, 29.09.20

202009281237468894 alvito.jpg“Tendo em conta a realidade” do concelho de Alvito e considerar que “é importante que haja uma intervenção junto da população em situação de isolamento” o Município de Alvito decidiu avançar com um projeto que “passa pela criação de um serviço de proximidade, adaptado às necessidades de cada munícipe, diminuindo o impacto da solidão e do isolamento; promover o bem-estar físico, psicológico e emocional e promover a inclusão social.”

Câmara de Beja melhora acesso ao Bairro da Esperança

Zé LG, 29.09.20

120159145_1037288923370017_6805232001641201876_n-7As intervenções passaram por pavimentação da Rua do Carmo Velho (realizada em julho) no troço Rotunda de Serpa/Espanha, até à entrada do Bairro da Esperança, prevendo-se a marcação horizontal para o mês de outubro; arranjo exterior da frente ao edifício do Centro de Dia do Centro Social, Cultural e Recreativo do Bairro da Esperança e colocação de abrigo de passageiros das carreiras urbanas.

“Amigos das Fortes” pedem na AR para serem “salvos da poluição”

Zé LG, 29.09.20

O PCP convidou a Associação Ambiental Amigos das Fortes a caracterizar o problema que estão a viver perante a Comissão Parlamentar de Ambiente. E os Amigos das Fortes pediram para serem “salvos da poluição”, com a qual convivem “há anos”, provocada pela “fábrica de bagaço de azeitona da ZPO”. O PCP chamou, também, a esta Comissão as entidades responsáveis. São ouvidas na quarta-feira, com o objetivo” de “construir um quadro legal que permita o convívio equilibrado nos territórios da produção industrial e do ambiente, assim como chamar as entidades competentes a cumprirem o seu papel”, segundo João Dias, deputado do PCP eleito por Beja e responsável por esta iniciativa.

20180924174604245 Fortes.jpgFátima Mourão referiu que “foi a terceira vez que a Associação esteve na Assembleia da República (AR)” e que “voltou a pedir ajuda porque a população precisa de ser salva”. Recordou que “a fábrica labora 11 meses no ano quando não o devia fazer” e que “a vida nesta aldeia do concelho de Ferreira não é possível nos termos em que a fábrica continua a atuar”.

“Por um modelo de Desenvolvimento Rural Transversalmente Sustentável”

Zé LG, 29.09.20

20200925183634952 rural.jpgO GAIA Alentejo, o Movimento Alentejo Vivo e a Associação Ambiental Amigos das Fortes realizou, em Beja, uma ação pelo mundo rural no dia da Greve Global pelo Clima”. Neste evento foi aprovada uma “Carta Aberta- Por um modelo de Desenvolvimento Rural Transversalmente Sustentável”.
Esta carta aberta, em que solicitam “ações urgentes por parte de quem consideram ter responsabilidades neste processo”, refere, entre outros aspetos que “é essencial corrigir o curso no sentido de um modelo de desenvolvimento efetivamente sustentável, terminando com a poluição na aldeia das Fortes, revogando o perímetro de rega do Mira, criando corredores ecológicos e ilhas de biodiversidade em redor das povoações, habitações, espaços públicos e massas de água, assim como implementar zonas estratégicas para os próximos três anos.”

“Por favor não brinquem com coisas sérias, … Ou será que passamos de bestiais a bestas???”

Zé LG, 29.09.20

Paixão.jpg“Não só não há falta de cumprimento das boas práticas como também do plano de contingência traçado. É de facto triste tentar tirar proveito, sabe-se lá para o quê, de uma situação destas quando cada um de nós, em particular dos que lidam directamente com potenciais casos, fazem os possíveis e os impossíveis senão para os evitar, pelo menos para atenuar bem como tratar dos que infelizmente foram contaminados. … tristes dos que colocam em causa o inexcedível trabalho de todos quantos, de forma esforçada, abnegada e dedicada têm dado o melhor de si em prol dos outros e nessa dedicação incluem-se todos os que cumprem as regras e principalmente os que tratam e cuidam dos nossos utentes. Não vos passa sequer pela cabeça como tem sido o dia-a-dia de muitos profissionais da ULSBA, começando nos assistentes operacionais, passando por enfermeiros, médicos, TSDT e outros e acabando no Conselho de Administração. Por favor não brinquem com coisas sérias, têm legitimidade para criticar políticas de saúde, decisões superiores bem como o estado da saúde em Portugal e especificamente no Alentejo desde que o façam com respeito e elevação, mas numa altura destas não façam o que muitos tentaram fazer em Março... outra vez não, por favor! Ou será que passamos de bestiais a bestas???”
Vitor Paixão 28.09.2020, aqui.

Hospital de Beja "com normalidade", à exceção do bloco operatório e da urgência de ginecologia e obstetrícia

Zé LG, 28.09.20

imgLoader2.ashx.jpgO hospital de Beja está sem urgência de ginecologia e obstetrícia por falta de médicos para preencher as escalas do serviço devido ao surto de COVID-19 que já infetou 30 profissionais de saúde daquela unidade.

Entre os clínicos da especialidade de ginecologia e obstetrícia que prestam serviço no hospital de Beja, há dois médicos e uma interna infetados e dois em isolamento profilático, pelo que o hospital ficou "temporariamente" com "falta de médicos da especialidade para preencher as escalas" do Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia e teve de fechá-lo no domingo às 20:00.

Segundo Conceição Margalha, presidente da ULSBA, enquanto o Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia estiver fechado, no hospital de Beja não há atendimento da especialidade a utentes provenientes do exterior, as quais serão encaminhadas para os hospitais públicos mais próximos. No entanto, sublinhou, o internamento na especialidade de ginecologia e obstetrícia mantém-se a funcionar para as utentes já internadas no hospital de Beja.

No hospital de Beja, à exceção do bloco operatório, onde só há atividade cirúrgica de urgência, e do Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia, que está fechado, as consultas de especialidade e outros atos médicos e de enfermagem e exames decorrem "com normalidade".

"Mortalidade em Portugal aumentou entre 1 de março a 20 de setembro"

Zé LG, 28.09.20

Sem nome.pngDesde o início da pandemia por COVID-19, registaram-se mais 24% de mortes em investigação (cujas causas não são totalmente conhecidas), mais 18% de óbitos em casa e mais 5,6% de mortes nos hospitais.

Segundo uma análise da TSF com base no Sistema de Informação dos Certificados de Óbito da Direção-Geral de Saúde (DGS), desde o início da pandemia em Portugal, morreram mais 6.829 pessoas do que em 2019.

O total de óbitos (64.756) está acima de todos os anos anteriores desde 2009, anos em que não se ultrapassou a barreira dos 60.000. Só no mês de setembro, registaram-se mais 763 mortos do que em igual período de 2019.

No entanto, a COVID-19 é responsável por menos de 2 mil pessoas em Portugal desde o início da pandemia.

Foi para isto que se construiu Alqueva?

Zé LG, 28.09.20

IMG_5314.JPG

A gestão da água do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva é complexa porque, como o próprio nome indica, se destina a fins múltiplos e os interesses são também diversos e nem sempre comuns. Mas o seu objectivo primeiro é o de assegurar água - e de qualidade, acrescento eu -, ao consumo das populações abrangidas.

Posto isto, não consigo aceitar como boa a gestão que está a ser feita no que concerne ao abastecimento de água às populações de Beja e Aljustrel, deixando chegar a este (baixo) nível a água na Albufeira do Roxo. Certamente que o seu tratamento terá de ser muito mais exigente para assegurar a sua qualidade nas torneiras...

Qual a diferença na gestão da quantidade e da qualidade da água da Albufeira do Roxo de antes para agora com a ligação assegurada a Alqueva? Sem esta ligação haveria menos água na Albufeira do Roxo neste momento? Continua esta a servir apenas para armazenar a água da chuva?

Já são 26 os profissionais de saúde infetados no Hospital de Beja

Zé LG, 28.09.20

imgLoader2.ashx.jpgO número de profissionais de saúde infetados no surto de covid-19 identificado no bloco operatório do hospital de Beja subiu de 23 para 26, mais três em relação aos dados avançados no sábado, nomeadamente um assistente técnico, um enfermeiro e um médico. O surto foi identificado na quinta-feira, dia em que foram detetados os primeiros seis casos de enfermeiros infetados.
Segundo a ULSBA, foram reforçadas as medidas de segurança e higiene, assim como o rastreio mais alargado aos profissionais do hospital, estando prevista a realização de cerca de mais 300 testes até hoje.
A ULSBA informa ainda que "estão a decorrer, com normalidade, as consultas de especialidade e outros atos médicos e de enfermagem e exames" e os utentes devem dirigir-se ao hospital de Beja "com toda a confiança, mas respeitando e cumprindo as indicações dadas".

“Semana difícil esta última em Beja.”

Zé LG, 27.09.20

P1100242.JPG

“Desde a passagem de um tornado de reduzida intensidade (Categoria F1 na escala de Fujita), mas absolutamente incomum por estas "bandas", causando danos em 74 viaturas, em vários telhados, portas e portões, e destruído ainda cerca de 140 árvores, na Sexta-Feira dia 18, passando por acidentes de viação graves às porta da cidade, por um incêndio habitacional que desalojou várias pessoas e que termina com o surto de COVID-19 diagnosticado no nosso Hospital.”

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, aqui.

“Os utentes do SNS nem chegam a perceber o que está acontecer”

Zé LG, 27.09.20

“O Hospital não está em crise, está moribundo há longos anos, numa espécie de letargia prolongada, que atingiu nos últimos anos contornos vergonhosos, caricatos e pouco dignificantes para o sector!… Os utentes do SNS nem chegam a perceber o que está acontecer, tal é a incompreensão das circunstâncias!… Esta politização do sector da Saúde, que já tresanda a bafio, é consequência de políticas sucessivas erráticas, de incompetência e de desinvestimento na área, com consequências sérias para os profissionais que têm a custo mantido a "máquina" a funcionar, com dificuldades e constrangimentos de toda a espécie!… A culpa aqui não é de ninguém em particular, mas transversal a todas as Administrações responsáveis!… As nomeações administrativas que sucederam às diversas governações não estão isentas de culpas, pelas razões que os profissionais do sector conhecem!… Desmotiva os agentes da Saúde? Sim, claramente!”

Anónimo 24.09.2020, aqui.

“com o PS no governo, o Hospital de Beja está sempre a bombar”

Zé LG, 27.09.20

“É uma das características principais do atual PS e dos seus militantes, é uma enorme capacidade de sacudir a água do capote nunca vista até agora.

Ou seja antes do governo do Passos Coelho e da Troika que curiosamente foi chamada pelo governo socialista que o antecedeu. O Hospital de Beja estava na maior e tudo corria às mil maravilhas, mesmo com a contínua perda de serviços e competências para o Hospital de Évora e o abandono continuo de profissionais aí formados.

Ou seja com o PS no governo, o Hospital de Beja está sempre a bombar, a região recebe as visitas acaloradas dos seus governantes que trazem na maleta propostas e propostas de desenvolvimento da região, o aproveitamento do regadio do Alqueva tem sido feito com um respeito total pela natureza e pelo bem estar das populações, o centro histórico de Beja tem recebido apoios e apoios com vista a evitar a sua continua degradação em curso, etc, etc, etc,....

Não sei se me terei esquecido de mais alguma grande obra feita.”

Anónimo 23.09.2020, aqui.

Pág. 1/7