Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

FACECO solidária com pescadores que perderam embarcações no incêndio de Maio

67239257_369368550441520_7567279471250636800_n-768Metade do valor recolhido com a receita das entradas na FACECO - Feira das Actividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira vai reverter a favor dos pescadores da Azenha do Mar, que viram as suas embarcações atingidas pelo incêndio no passado dia 6 de Maio, no portinho de pesca daquela localidade. Das onze embarcações, duas foram totalmente consumidas pelas chamas e outras quatro sofreram danos de diferentes graus, sendo o prejuízo total calculado em cerca de 100 mil euros.

A Câmara de Odemira, entidade promotora da FACECO quis aliar-se à Campanha de Solidariedade que está a ser desenvolvida junto da comunidade e empresários locais, lançada no dia 31 de Maio, Dia Nacional do Pescador, (…), que “inclui um conjunto de iniciativas para angariação de fundos que reverterão para a aquisição e/ou reparação das embarcações afectadas (…)”, explica a autarquia.

Câmara de Almodôvar requalifica Bairro da Misericórdia

bairro-768x432.jpgA empreitada de renovação das infraestruturas, pavimento e modernização do espaço global teve início esta semana e o presidente da Câmara refere que “face à geografia do bairro será uma empreitada que cria alguns constrangimentos”.
Está previsto um investimento superior a 310 mil euros.

Porque não são criados Centros de Responsabilidade Integrada na ULSBA?

Sobre o anúncio da criação de Centros de Responsabilidade Integrada (CRI's) no Hospital de Évora (Cardiologia, Oncologia e Obesidade), afigura-se-me oportuno e pertinente dizer:
1. Como cidadão e potencial utente, saúdo a capacidade inovadora do Serviço Nacional de Saúde, que neste caso concreto aviva a esperança de que o interior do País seja meritoriamente desenvolvido.
2. Como profissional do Hospital de Beja (na vertente de Gestor), recordo aos meus concidadãos baixo-alentejanos que já há cerca de 20 (vinte!) anos tínhamos essa visão desenvolvimentista e pioneira, expressa documentalmente pelo Conselho de Administração da altura, em proposta de criação de CRI's.
3. Mais recentemente, de forma pública e também documentalmente dirigido a quem de direito, esse projeto foi reiterado, não tendo merecido da tutela outra atitude que a penalização dos seus autores.
4. Entendo reafirmar que no contexto atual, apesar das conhecidas carências de recursos, a ULSBA retém potencialidades para singrar nessa via de diferenciação, em benefício dos seus utentes e da sustentabilidade enquanto Empresa Pública.

Munhoz Frade 17.07.2019 16:24, aqui.

 

Aqui está um tema que, insistentemente, Munhoz Frade traz para debate mas parece que não há quem tenha vontade de o debater, a começar pelo CA da ULSBA. Podem ou não esses CRI’s ajudar a resolver alguns dos problemas da Saúde no Distrito de Beja? Se podem, porque não são criados?

Alentejo teve o maior crescimento turístico do país em Maio

Em Maio passado, o número de dormidas nos alojamentos turísticos registou aumentos em todas as regiões do país, à excepção da Madeira, segundo o INE – Instituto Nacional de Estatística, que destaca o crescimento contabilizado no Alentejo, onde as dormidas aumentaram 10,5%, comparativamente com período homólogo.

P1020869.JPGNa região, os proveitos totais cresceram 13,5% e os de aposento 14,7%, face a período homólogo, tendo o rendimento médio por quarto disponível nos estabelecimentos de alojamento turístico aumentado 8,1%, comparativamente a Maio de 2018.

APPACDM de Moura iniciou a construção do “Montinho da Autonomia”

moradia.jpgA APPACDM de Moura iniciou a obra de construção de uma moradia autónoma para cinco clientes da instituição. É uma solução defendida pela actual direcção para a sustentabilidade da APPCDM de Moura.

O Presidente da Instituição, António Ildefonso, sublinhou que: “Estimamos o prazo de execução da obra de cerca de 8 meses, ou seja no inicio de 2020 temos a obra concluída.”

A implementação de uma Residência autónoma para pessoas portadoras de deficiência é uma necessidade identificada pelo Concelho Local de Acção Social. 

A residência autónoma vai chamar-se “Montinho da Autonomia” tendo em conta que a sua localização será no laranjal, terá capacidade total para 5 clientes, será na tipologia T5. Todos os quartos serão individuais com casa-de-banho privativa, para potencializar a privacidade e autonomia dos clientes. 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não podes estar mais longe. O eterno e sempre à mã...

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds