Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Santiago Macias propõe reflexões sobre o Fórum de Beja

Zé LG Zé LG, 05.07.19

imgLoader2.ashx.jpgO conflito de pouco nos serve… Sem entrar na polémica em torno do projeto de arquitetura e do futuro das estruturas arqueológicas, gostaria de deixar aqui alguns tópicos para reflexão:

1. A leitura de espaços como o dos templos de Beja só consegue ser feito através da sua “verticalização”. Muitos teatros romanos, muitos arcos do triunfo foram refeitos e reerguidos. O processo é conhecido pelo nome de anastilose, um “palavrão” que se refere à (re)construção a partir de elementos previamente existentes.

2. Não me parece disparatado que, nesse processo, se incorporem no fórum elementos arquitetónicos de grandes dimensões – designadamente, capitéis – que hoje se encontram na galeria do Museu Regional.

3. Ou seja, que estabeleça uma ligação próxima entre estes vestígios, absolutamente notáveis, o Museu, que dispõe também de outros materiais de grande qualidade, o sítio arqueológico de Pisões e o núcleo da Rua do Sembrano.

4. É crucial criar condições para que as escavações arqueológicas se concluam, prevendo-se um programa de edições destinado a uma ampla divulgação dos resultados e das conclusões a que se chegou. Incluo aqui a Casa da Moeda, peça crucial no processo de investigação que Maria da Conceição Lopes tem em curso.5. Não creio que seja possível pôr em funcionamento todo este complexo de sítios – por vezes a razoável distância, como Pisões –, com o habitual e rígido programa: cada sítio com o seu núcleo de exposições, com horário fixo e quadro de pessoal próprio. Ou há um plano em rede, com partilha de recursos, e com intervenções concretas e realistas ou daqui a 10 anos estaremos na mesma. Ou pior, discutindo a privatização ou a alienação de sítios.

A tomada de decisões sobre o património, na perspetiva da sua reabilitação, nem sempre é “simpática”. Nem imediata. É mais fácil “feirizar” a História, criar “eventos” e complementá-los com iniciativas folclóricas. Dá muito menos trabalho e rende mais, no curto prazo. Ora, como bem sabemos, e tendo em conta o que nos resta do fórum, o Património é matéria para o longo prazo.

Leia aqui todo o texto, publicado na edição da semana passada do Diário do Alentejo.

Rui Rio escolhe Henrique Silvestre Ferreira para cabeça de lista do PSD

Zé LG Zé LG, 05.07.19

silvestre.jpgHenrique Silvestre Ferreira vai ser o cabeça-de-lista do PSD pelo círculo eleitoral de Beja às próximas eleições legislativas. Trata-se de uma escolha pessoal do presidente do partido, Rui Rio, que optou por não aceitar a proposta que havia sido avançada pela distrital de Beja, que havia proposto esta semana o nome de Maria Inês Guerreiro, antiga candidata à Câmara Municipal de Ourique.
Vencedor do prémio de melhor jovem agricultor em 2014, Henrique Silvestre Ferreira é filho do comendador António Silvestre Ferreira, proprietário de Vale da Rosa, a maior produtora nacional de uva de mesa.

Assembleia da Replública discute Petição do Beja Merece+

Zé LG Zé LG, 05.07.19

65313488_402529323689962_3139894575418572800_n.jpgEsta sexta-feira estará em discussão, análise e votação, a partir das 09:30 horas, na Assembleia da República (AR), a petição do Movimento Beja Merece+, que reivindica “que sejam retomadas e concluídas as obras do IP8/A26, a eletrificação do troço ferroviário Casa Branca-Beja-Funcheira, o total aproveitamento do aeroporto de Beja e melhores serviços de saúde para a região”. O documento, que foi entregue com 26 101 assinaturas, em maio do ano passado, no Palácio de S. Bento, estará agora à consideração dos vários grupos parlamentares que integram a “Casa da Democracia”. O “Diário do Alentejo” falou com os deputados eleitos por Beja, tentando antecipar o sentido de voto dos seus partidos, e com Florival Baiôa, sobre as expetativas que tem para esta votação. Ler aqui.