Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Olival no Alentejo: a revolução agrária 4.0 à volta do Alqueva”

Zé LG, 25.02.19

thumbs.web.sapo.io.jpgHá uma mudança na paisagem do Alentejo. A reboque do olival intensivo e superintensivo a planície dourada está a dar lugar a um manto verde. Associações ambientalistas e investigadores (Universidade de Évora) alertam para os perigos dos pesticidas e pedem boa gestão da água. Agricultores (Olivum) e Câmara Municipal de Beja defendem que promove investimento, dinamiza a economia, cria emprego e fixa populações. O Ministério da Agricultura e entidades públicas (EDIA e INIAV) reforçam que não provoca danos ao ambiente.

Veja aqui a reportagem de Miguel Morgado, para o SAPO 24.

EMAS promove “Mini Orçamento Participativo”

Zé LG, 24.02.19

EMAS-768x512.jpgA EMAS- Empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja está a desenvolver o “Mini Orçamento Participativo” junto da comunidade escolar, que pretende “dar voz e oportunidade aos alunos, para apresentarem propostas benéficas à qualidade de vida das comunidades onde estão inseridos”.

Os “alunos podem apresentar projectos em diversas áreas, entre as quais ambiente, sustentabilidade e recursos hídricos” e terão como prémio um valor monetário de 1.500 euros a aplicar exclusivamente no desenvolvimento e aplicação da proposta.

Falcão-peregrino vindo da Finlândia foi atingido a tiro e encontrado em Beja

Zé LG, 24.02.19

copy_of_cronistas_ta_-_2019-02-20t151748.208.jpgO RIAS - Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens, em Olhão, está a tratar um falcão-peregrino que foi atingido a tiro em Portugal, tendo sido capturado muito debilitado com ferimentos, em Beja. A ave de rapina foi entregue à guarda daquele centro de recuperação animal, tendo sido identificados por raios X's ferimentos de chumbo junto à cauda e uma inflamação na asa, "provavelmente em consequência do disparo". O abate destas aves é considerado crime.

Imagem de capa de Cláudia Brasileiro

Ana Matos Pires acusa os “cimbaleiros” de cobardia política

Zé LG, 24.02.19

Dos ratos não reza a história

hosp.jpgJuntamente com o SNS, o poder local foi, seguramente, uma das grandes conquistas de Abril.
A maturidade democrática de um povo demonstra-se, também, pela importância e robustez do exercício de cidadania e o poder local é – ou deve ser e tem obrigação ética de ser – o maior representante e o garante desse exercício.
...
Deixemo-nos de tretas, não é por falta de solução “técnico-política” que não existe este representante, é, isso sim, por cobardia política. Fazer parte de um conselho de administração de uma ULS em graves dificuldades, com recursos precários, sem apoio central não é, aos olhos de “politiqueiros”, eleitoralmente vantajoso e esta é a verdadeira razão. Que tristeza, que desgraça. Fazer parte da luta e de uma tentativa de solução só pode ser sempre eleitoralmente vantajoso – Abril provou-nos isso. Não perceber isto é, além de profundamente ruim, passar um atestado de estupidez aos eleitores locais.
Que vergonha, senhores “cimbaleiros”, tenham maneiras.

Texto de Ana Matos Pires, com foto de José Ferrolho, publicado no Diário do Alentejo, que poder ler na íntegra aqui.

Espero que Santiago Macias não tenha de mudar novamente de opinião em relação ao Museu Regional de Beja

Zé LG, 22.02.19

Museu.jpgSantiago Macias, num artigo que publicou no Diário do Alentejo de hoje e no seu “avenida da salúquia 34”, explica porque mudou de opinião e entende agora que a “solução mais adequada” para o Museu Regional de Beja é a sua passagem para a tutela do Ministério da Cultura.

Gostaria de concordar com o meu amigo Santiago Macias, como em tantas outras coisas e situações. Mas não consigo. Não porque defenda o “orgulhosamente sós” ou “nós, os irredutíveis gauleses, contra os usurpadores eborenses”. Continuo a defender “a passagem gradual do museu para a tutela da autarquia, num horizonte alargado..., por ser uma marca importante da cidade, por ter um enorme potencial e por dever ser colocado ao serviço de uma estratégia de promoção da região” e também porque tenho muitas dúvidas que o Ministério da Cultura vá dar prioridade a este Museu, quando já tem tantos com tantos problemas. Na tutela do MC este Museu vai ser apenas mais um e dificilmente constituirá uma prioridade. Na Câmara Municipal seria “o Museu” e teria de ser tratado com a importância que tem. E, ainda por uma razão ideológica: continuo a acreditar que há mais hipóteses dos problemas serem melhor resolvidos quando o poder de decisão está mais próximos.

Mas espero, desejo sinceramente estar enganado e que o meu amigo Santiago Macias não tenha de mudar novamente de opinião daqui a uns anitos. Todos ficaríamos a ganhar.

“Autonomia e Descoberta” promove projeto de empreendedorismo jovem

Zé LG, 22.02.19

201902201716371011.jpgPromover a mobilidade de jovens empreendedores em meio rural, tendo em conta o turismo rural é o grande objetivo do projeto My Earth, que tem como entidade dinamizadora, em Portugal, a Cooperativa Autonomia e Descoberta, sediada em Beja.

O projeto arrancou no passado dia 19, em Paris, com uma ação de apresentação, que se prolonga até ao próximo domingo, dia 24 e que conta com a representação de um participante por país. A próxima ação, que acontece já a partir da próxima segunda-feira, dia 25, será uma visita de estudo à Hungria.