Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Um "fato" à medida e sem quaisquer pruridos, num "concurso" sem pés nem cabeça

11041228_613933785404996_7157424845400348491_n.jpgUm "fato" à medida e sem quaisquer pruridos, num "concurso" sem pés nem cabeça, que já devia ter sido anulado para bem da credibilidade do "serviço público", neste caso, da CIMBAL e dos autarcas do Baixo-Alentejo, proprietários do "Diário do Alentejo".

49898593_2073579952734140_713375084110151680_n.jpg

 

“O concurso é (foi) publicado no dia 17 de Dezembro, tendo os interessados nove dias consecutivos para formalizar a candidatura. Contando a partir de 17, o período abrange o fim de semana antes de Natal (com tolerância de ponto e os serviços públicos fechados) e o feriado de 25. O júri era formado por três vereadores socialistas das autarquias de Barrancos, Beja e Castro Verde (…) A candidatura exigia documentos comprovativos legais de não condenação judicial por crimes que comprometessem a honorabilidade profissional, de não existência de dividas à segurança social e ao fisco e de que não tivesse sido objecto de sanção administrativa ou judicial por utilização de mão de obra não declarada. E o acesso à plataforma online para formalizar (a) candidatura exigia assinatura digital reconhecida e leitor de cartão de cidadão. Os critérios de valorização eram 50% para o preço, 30% para a experiência e 20% para a realização de “vídeos ou documentários”. O que criou estranheza considerando que o DA é um órgão de imprensa escrita e nem sequer tem um site”, pode ler-se neste artigo da revista “Sábado”.

Cf Júlio

Xylella Fastidiosa pode arrasar olivais alentejanos

IMG_5745.JPG

Chama-se Xylella Fastidiosa, é uma bactéria identificada há cerca de um ano e meio em Alicante e que deixou em pânico os agricultores espanhóis. O impacto desta bactéria repercute-se em quebras drásticas de produção e é visível por causar necroses nas folhas das árvores, sejam amendoeiras, oliveiras e citrinos e mesmo a vinha.

No Alentejo, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) está a fazer o controlo das oliveiras para sinalizar eventuais contágios mas os produtores reclamam por apoio governamental para controlar e prevenir a doença.

As consequências mais dramáticas da Xylella Fastidiosa em Portugal podem concentrar-se sobretudo no Alentejo, "onde estão concentradas dezenas de milhões de oliveiras, amendoeiras e outras árvores de fruto que são o habitat ideal para a propagação de uma praga que já preocupa os olivicultores alentejanos, sobretudo os que exploram grandes áreas de olival intensivo e superintensivo".

Lendias d’Encantar vai finalmente ter casa própria

49138015_10155755226406856_1882285845721907200_n.jO novo espaço da companhia bejense, situado na Rua do Sembrano, junto à antiga sede do Clube Desportivo de Beja, permitirá à Lendias d’Encantar, “pela primeira vez, desde a sua constituição (em 1998), desenvolver, de forma digna, o seu trabalho de criação, promoção, formação e programação”.
As obras de requalificação, que terão inicio nos próximos meses, têm como principal objectivo dotar a região de um equipamento cultural com vista à disponibilização de “uma sala de espectáculos, salas de ensaio para dança e teatro, residências para artistas e ainda escritórios, não só para a Lendias d’Encantar, mas para outras estruturas criativas do concelho e da região”.
A Lendias d’Encantar afirma que vê assim “realizado um sonho e uma necessidade com 20 anos” e revela que em 2020, a Companhia prevê já tornar o edifício na sede de operações do FITA – Festival Internacional de Teatro do Alentejo.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não podes estar mais longe. O eterno e sempre à mã...

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds