Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PCP diz que “OE para 2019 deixa de fora investimentos estruturantes” para o Distrito de Beja

201803081133306317.jpgA proposta de Orçamento de Estado para 2019 deixa de fora “um conjunto significativo de investimentos indispensáveis ao desenvolvimento regional”, segundo a Dorbe do PCP, que destaca a “ausência de investimentos na rede rodoviária e ferroviária regional bem como o desinvestimento previsto para a área da saúde no distrito com a diminuição da verba a atribuir à Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo superior a meio milhão de euros”. O OE “ignora”ainda a construção da 2ª fase do Hospital Distrital de Beja.

Leia e oiça mais aqui e aqui.

“Jornadas FENAREG – Encontro Regadio 2018” decorrem em Montes Velhos

201811061721187533.jpgA 11ª edição das “Jornadas FENAREG – Encontro Regadio 2018”, vai realizar-se nos próximos dias 15 e 16 de novembro, em Montes Velhos, no concelho de Aljustrel.

Organizadas pela Federação Nacional de Regantes de Portugal e pela Associação de Beneficiários do Roxo, com o apoio da Junta de Freguesia de S. João de Negrilhos e da Câmara Municipal de Aljustrel, as Jornadas FENAREG associam-se às comemorações dos 50 anos do aproveitamento hidroagrícola do Roxo.

A iniciativa reúne os principais interessados envolvidos com o regadio e vai incidir sobre questões relacionadas com a gestão da água e as políticas públicas que vão delinear o futuro do sector.

E se deixassem de gozar com a gente...

Abertura da A26 “não ata, nem desata”

201811131805162457.jpg

O ministro do Planeamento e Infraestruturas afirma que o troço concluído da A26 não abre por falta de praça de portagem. A Infraestruturas de Portugal (IP) assegura que a concessionária responsável é a Brisa. E a Brisa revela que “a reformulação da praça de portagem” é da responsabilidade da IP, “com as alterações solicitadas pelo concedente Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).”

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não podes estar mais longe. O eterno e sempre à mã...

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds