Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PCP EXIGE URGENTE REMODELAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL DE BEJA

PCP.jpg

O PCP propõe medidas concretas para as obras de remodelação e ampliação do hospital de Beja. O projeto de resolução já foi entregue na Assembleia da República e, com o mesmo, o PCP espera uma posição definitiva do Governo sobre esta matéria, tendo em conta que a situação se agudizou e, atualmente, verifica-se “a continuada falta de profissionais e de meios para a prestação do serviço público, assim como uma a fragilização dos cuidados primários de saúde”.

João Dias, deputado eleito por Beja esclareceu que o PCP “vê o Alentejo como um todo” e afirmou que o Hospital Central, em Évora, é uma mais-valia, não entrando em conflito com a necessidade da ampliação do hospital de Beja, esperando que os outros grupos parlamentares acompanhem o PCP, votando favoravelmente neste projeto de resolução.

João Dias disse ainda que existem problemas ao nível das Urgências, das Consultas Externas que funcionam em contentores e do Bloco Operatório e que o Hospital de Beja não tem espaço disponível para a instalação de um equipamento de ressonância magnética, recordando que o distrito de Beja é o único do país onde não existe nenhum aparelho de ressonância magnética.

AMALENTEJO DEFENDE UTILIZAÇÃO DO AEROPORTO DE BEJA COMO ALTERNATIVA À CONSTRUÇÃO DE UM NOVO AEROPORTO

Aeroporto-Beja-13-768x432.jpgA utilização do Aeroporto de Beja como alternativa à construção de um novo aeroporto no Montijo, é um “imperativo nacional”, considera o Movimento AMAlentejo, lembrando que “por essa Europa fora o que não faltam são aeroportos a mais de uma hora de viagem da capital que servem” e que “Um país endividado como o nosso não pode continuar a desbaratar recursos como se vivesse na abundância”. “Os milhões que se pretendem gastar na construção de um novo aeroporto no Montijo devem ser canalizados para electrificar a linha ferroviária Portalegre-Évora-Beja-Funcheira (ligação a Faro) com prioridade imediata para o troço Beja-Casa Branca”.

O AMAlentejo sublinha que o Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT), cuja proposta de revisão está em discussão pública até ao próximo dia 15, prevê a construção do novo aeroporto do Montijo, sem considerar o aeroporto de Beja, que “reúne todas as condições que um novo aeroporto na grande Área Metropolitana de Lisboa não tem, nem nunca terá. Não tem problemas ambientais, situa-se numa das zonas de mais baixa densidade demográfica do País, não precisa de milhões de investimentos para funcionar, irá criar novas oportunidades de emprego e contribuir para o desenvolvimento de uma zona do interior até ao presente esquecida pelo centralismo cego e asfixiante de S. Bento”. 

Leia e oiça também AQUI as opiniões sobre o assunto de José Soeiro, da Comissão dinamizadora do movimento AMAlentejo. 

CONSELHO ESTRATÉGICO DO ALENTEJO LITORAL RECEBE MINISTRO DA ECONOMIA

ME.jpg

O Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal, órgão consultivo dos restantes órgãos da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral, composto por cerca de meia centena de entidades, reúne-se, hoje, em Grândola.

Os membros do Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal pretendem discutir as dinâmicas de desenvolvimento registadas nesta sub-região e vão assistir à apresentação de dois projectos que, neste momento, se encontram já em concretização no concelho de Grândola: o projecto da Lauak Portuguesa, que inicia a instalação de uma unidade industrial de produção de componentes de aeronáutica, num investimento superior a 32 milhões de euros e que, na primeira fase, vai criar mais de uma centena de postos de trabalho, e o projecto Muda Reserve, promovido pela Vanguard Properties, que consiste num inovador conceito turístico através da criação de uma nova aldeia rodeada por quintas, num investimento superior a 200 milhões de euros.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não podes estar mais longe. O eterno e sempre à mã...

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds