Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

VOTAÇÕES ALCANÇADAS PELOS PRESIDENTES DAS CÂMARAS ELEITOS NO DISTRITO DE BEJA

1 - Luís Pita Ameixa (Ferreira do Alentejo/ PS) – 67,96%

2 - António Bota (Almodôvar/ PS) – 66,02%

3 - Marcelo Guerreiro (Ourique/ PS) – 62,31%

4 - Nelson Brito (Aljustrel/ PS) – 58,93%

5 - José Alberto Guerreiro (Odemira/ PS) – 55,69%

6 - Jorge Rosa (Mértola/ PS) – 53,65%

7 - João Português (Cuba/ CDU) – 51,06%

8 - António José Brito (Castro Verde/ PS) – 50,86%

9 - António Valério (Alvito/ CDU) – 49,05%

10 - Tomé Pires (Serpa/ CDU) – 49,04%

11 - Álvaro Azedo (Moura/ PS) – 48,34%

12 - Paulo Arsénio (Beja/ PS) – 46,25%

13 - Rui Raposo (Vidigueira/ CDU) – 44,66%

14 - João Serranito Nunes (Barrancos/ PS) – 44,62%.

 

A maior diferença de votação (47,44) para o segundo foi alcançada em Ferreira do Alentejo e a menor em Barrancos (2,44).

 

Metade dos presidentes das câmaras foram eleitos pela primeira vez:  Barrancos, Beja, Castro Verde, Ferreira do Alentejo, Moura, Ourique e Vidigueira, tendo Barrancos, Beja, Castro Verde (pela primeira vez), e Moura mudado da CDU para o PS. A Câmara de Serpa é a única que ainda não mudor de cor (CDU).

 

Importa, no entanto, referir que Luís Pita Ameixa voltou a ser eleito em Ferreira do Alentejo três mandatos depois e que Marcelo Guerreiro já era presidente da Câmara de Ourique, tendo substituído Pedro do Carmo quando este foi eleito deputado à Assembleia da República.

PCP CONCLUIU QUE FALHOU OBJECTIVOS EM BEJA

PCP.jpg

A Concelhia de Beja do PCP analisou os resultados das autárquicas e concluiu que “não confirmaram os objectivos”.

Numa nota enviada às redacções, o PCP refere que não renovou “a maioria na Câmara e Assembleia Municipal, nem se reforçaram posições e mandatos, mantendo a presidência de seis das nove freguesias que eram geridas pela CDU”.

O mandato que agora se inicia representa para os comunistas, “uma interrupção na dinâmica e no projecto de desenvolvimento em curso e, sobretudo, uma perda para as populações”.

O PCP adianta que “a população do concelho de Beja continuará a contar com a CDU para fazer valer os seus interesses”.

JSD DE BEJA QUER REFORMULAÇÃO RÁPIDA DAS ESTRUTURAS LOCAIS DO PSD

JSD.jpg

Afirma a JSD de Beja, que a preparação de todo o acto eleitoral, verificou-se danosa para o PPD/PSD e que os nomes indicados nem sempre foram os mais credíveis, nem os mais acarinhados no seio da família social-democrata, originando desde cedo, uma política de descrédito e desunião, que se materializou na obtenção do resultado mais desastroso, quer do concelho, quer do distrito.
Vítor Vasques, presidente da JSD de Beja, defende uma reformulação rápida e urgente das estruturas locais do PSD referindo-se aos orgãos concelhios e distritais.
A JSD considera ainda que a estratégia eleitoral das estruturas locais, esteve condenada desde o primeiro momento, pois abandonou um dos princípios basilares de Francisco Sá Carneiro “As pessoas primeiro!”

Comentários recentes

  • Anónimo

    Porquê?

  • João Espinho

    @nónimo 17.09.2019 07:25 - estranho seria se o ...

  • Anónimo

    Qual dos porquinhos?

  • Anónimo

    O que é estranho é o desinteresse do DA pelo tema.

  • Anónimo

    Muitos daqueles que foram bater palminhas ao Antón...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds