Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
07
Fev 17

060220171649-170-bairrosmineirosaljustrel.jpg

Esta intervenção, no valor de cerca de 405 mil euros, surge no âmbito do Plano de Acção Integrado para as Comunidades Desfavorecidas, financiado pelo Portugal 2020.
De acordo com o município pretende-se intervir sobretudo na beneficiação da rede viária e pedonal existente, na reformulação das infraestruturas, tendo em vista a melhoraria das condições de mobilidade pedonal e rodoviária, valorizando simultaneamente a qualidade do espaço público, bem como construir um troço de passeio e de ciclovia com o objectivo de ligar estes bairros à rede de ciclovias já em construção.
A requalificação da área inclui, também, a renovação das redes de infraestruturas existentes, nomeadamente, pavimentação de arruamentos e passeios, rede de abastecimento de águas, rede de drenagem de águas residuais, rede de drenagem de águas pluviais, rede de telecomunicações e rede eléctrica e iluminação pública, iniciada anteriormente e já em fase de conclusão.
Para a autarquia estas intervenções vão melhorar a qualidade de vida dos habitantes destes bairros, património inestimável ligado à história mineira de Aljustrel.

publicado por Zé LG às 08:45
07
Fev 17

060220171021-957-20170206_082503.jpg

Dezenas de pais e alunos da Escola C+S de Santiago Maior, em Beja, fecharam, a cadeado, as portas do estabelecimento de ensino em protesto contra a falta de pessoal auxiliar.

No 1º ciclo do ensino básico existem, neste momento, oito funcionários para quatrocentos alunos. “São poucos. É o caos no refeitório e noutros sectores”, afirmou uma mãe à Rádio Pax. “Já houve casos de deixarem alunos fechados na escola”, relatou.

060220170924-369-IMG_2579.JPG

Os pais garantem que, “se a situação não for resolvida por quem de direito, os protestos vão continuar.

A Rádio Pax sabe que já houve várias tentativas para resolver a situação mas, até ao momento, não existiu qualquer resposta do Ministério da Educação e da Direção Regional de Educação do Alentejo.

O PCP já veio a público mostrar-se solidário com os protestos e sublinha os problemas "que se referem aos alunos com Necessidades Educativas Especiais, que continuam sem os técnicos e auxiliares necessários ao seu acompanhamento".

Ler e ouvir Também AQUI.

publicado por Zé LG às 00:11
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Chover no molhado...
como a ulsba..., sem rei, sem roque, sem presente...
Tomar banho em charcas sempre foi um perigo. Não é...
Não se preocupe, que as aves possuem uma capacidad...
Sr. Presidente Paulo Arsenio o que se passa com os...
Tenho uma dúvida, será que com a praia cheia de pe...
Toino João!...
Belíssimo cartaz!
Pseudo anónimo das 14.00, não tenho procuração do ...
Quem ainda mantém este esquema de análise - a ilus...
O Dr. Munhoz Frade não tem a receber lições de mor...
Quem se atreve a mandar postas de pescada a quem s...
A propósito de opção de classe: qual foi a opção q...
Anónimo das 14:00h: quem não assume a identidade p...
Estou a ver-te de mãozinha estendida a tentar toca...
blogs SAPO