Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

ANO DE ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

O ano que hoje começou ficará marcado, a nível político, pela realização de mais umas eleições para as autarquias locais, que terão lugar em Outubro.

Para além do anúncio de alguns (poucos) candidatos, pouco tem vindo a público sobre as movimentações das diversas forças polícas na preparação de tão importante acto para a vida das populações. Passada esta fase festiva, é de prever que nos próximos dois ou três meses sejam anunciadas as diversas candidaturas às diversas autarquias.

A nível do Alentejo aguarda-se com alguma expectativa a forma como os partidos que constituem a "geringonça" se irão comportar, designadamente o PS e o PCP que dominam a quase totalidade das autarquias, bem como se os movimentos independentes vão surgir em maior ou menor número.

No Distrito de Beja, para além dos municípios em que os actuais presidentes não se podem recandidatar por terem atingido o limite dos mandatos (Barrancos, Ferreira do Alentejo e Vidigueira) é também grande a expectativa de saber até que ponto as câmaras municipais que mudaram de cor nas últimas eleições se vão manter.

 

PLACA EVOCATIVA DA REVOLTAL DE BEJA DEVE SER COLOCADA NA ROTUNDA PRÓXIMA DO QUARTEL.

dl beja.jpg

Há 55 anos que foi o assalto ao Quartel de Beja. Tratou-se de uma tentativa (falhada) de derrubar o regime fascista que então vigorava em Portugal, levada a cabo por um punhado de militares e civis, comandados pelo Capitão Varela Gomes, que foi gravemente ferido.

Há uns anos atrás, o Município de Beja, de forma a evocar aquela acção anti-fascista, descerrou uma lápide sobre um pedregulho colocado no centro da Avenida Miguel Fernandes. Mais tarde, aquando das obras de construção do parque de estacionamento subterrâneo, foi retirada a referida placa, não tendo voltado a ser colocada naquele nem moutro qualquer local. 

Porque as razões que levaram ao descerramento de uma placa evocativa da Revolta de Beja certamente se mantêm, sugiro que o Município a coloque da mesma forma (num pedregulho) na rotunda próxima do Quartel de Beja. Para que a memória não se perca.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Se são carneirinhos ou não como V.a Ex.a defende, ...

  • Anónimo

    Ele não vai , LEVAM-NO !!!.

  • Anónimo

    Lá estás tu a pôr defeitos ao homem.Não o deixam e...

  • Anónimo

    Falar do que não se conhece é espalhar a própria i...

  • Anónimo

    Com tanta agro-industria de capital exclusivamente...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds