Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

RESSABIADOS?! E SE DISCUTÍSSEMOS OS ASSUNTOS?

Os poderes lidam mal com a crítica. Quase sempre, preferem os apoios acríticos, mesmo que interesseiros. Muitas vezes, gerem os interesses de forma a acomodá-los e deles tirarem partido.

A “estratégia” mais frequentemente usada é a utilização dos apaniguados como guarda avançada para atirarem contra tudo o que mexe, na tentativa de desviarem as atenções do que realmente é criticado. E a forma usada é a de acusarem de ressabiados quem os critica, para, assim, desviarem as atenções do objecto da crítica para o autor da mesma, como se a crítica perdesse razão de ser feita apenas por ser feita por quem é.

É admissível que quem apoia o poder, seja ele qual for, não o queira criticar, pelo menos, publicamente. Já não é compreensível que ataque quem o critica.

A crítica, quando não feita apenas por maledicência, devia ser entendida como um desafio para a melhoria da prestação do poder e não como um entrave a este. Se for assim entendida – como entrave à prestação do poder -, será este a sair enfraquecido por incapacidade de acolher outros contributos.

“NÃO É A FESTA!”

1452370_10200689050697919_2058770835_n.jpg«É uma estupidez atacar as festas de Santa Maria em Beja. Pode-se criticar o modelo, pode-se brincar com a obsessão romana e de réplica do que acontece noutros concelhos. Mas atacar, gratuitamente, com o objectivo parolo de retirar dividendos políticos é redutor das competências próprias e ofensivo às pessoas que voluntariamente se empenham na sua concretização. 

Podem-se defender diferentes soluções para os problemas estruturais da nossa terra mas não se devem ignorar os aspectos positivos da realização desta e de outras festas.
Tão pouco se deve colocar tudo no mesmo prato da balança. Isso é injusto e demagogo. Não é este o caminho. Não é!
Beja não tem um excesso de festas e de eventos, tem défice de políticas de desenvolvimento e de visão governativa para alcançar desígnios mobilizadores dos cidadãos. A Câmara de Beja peca por essa deficiência, por cansaço do seu presidente. E tudo isto é bem diferente do pouco - para não ter que dizer o único - que têm concretizado.
Criticar é uma coisa, atacar é outra. Atirar a tudo o que se mexe é um erro crasso que apenas revela o estado deprimente da oposição e as movimentações que - vaticino - conduzirão ao sentido oposto da sua razão de ser: a vitória de João Rocha. Garantidamente não é este o caminho!
Ser alternativa é ser sério. É ter a consciência de que se critica e se defende aquilo que no poder somos capazes de concretizar ou de alterar.
E quanto a festas não há partido que governe que não as promova... nos concelhos onde é poder. E isso não é atacavel, nem poderia ser, claro...» 

Jorge Barnabé, AQUI.

ALENTEJO REGISTA CRESCIMENTO TURÍSTICO SIGNIFICATIVO

170820161658-500-Turismo.jpg

O volume de dormidas no Alentejo aumentou em Junho 14% face a período homólogo.

Os dados agora revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que as dormidas de residentes cresceram 15,5 % e as de não residentes 11,2% face a período homólogo.

O INE realça que as dormidas aumentaram em todas as regiões, com maior impacto no Norte (+15,1%), Açores (+14,1%) e Alentejo (+14,0%). Lisboa e Algarve registaram os menores crescimentos de dormidas”.

A evolução do mercado interno foi globalmente positiva especialmente para o Alentejo, a região que somou dos maiores crescimentos face a Junho de 2015.

Os proveitos totais na região aumentaram 17% e os de aposento 21% quando comparados com Junho do ano passado.

O Rendimento Médio por Quarto Disponível no Alentejo subiu dos 24,6 euros em Junho de 2015 para os 29,3 euros em Junho deste ano. O INE sublinha que a evolução deste indicador “foi globalmente positiva, com maior impacto no Alentejo (+19,4%)”. 

No INE revela que em Portugal, “no primeiro semestre do ano, o crescimento dos hóspedes fixou-se em 10,8% e o das dormidas em 11,2%”.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não senhor! O desenvolvimento do Baixo Alentejo ar...

  • Anónimo

    E não é só o hospital, a cidade e a região também ...

  • Anónimo

    Afinal é ou não verdade que o Hospital de Beja “co...

  • Zé LG

    Contactando a CMB. Mas atenção à data da notícia.

  • Anónimo

    Servirá sobretudo e na melhor das hipóteses, para ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds