Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PORQUE FAZEM TUDO PARA EVITAR O DEBATE?

É curioso o esforço feito, por algumas pessoas que aqui comentam, para fugir aos debates sobre alguns temas. Tudo serve para evitar que o debate se faça. Umas vezes dizem que o assunto não tem importância, outras afirmam que os assuntos sérios devem ser discutidos nos “locais” próprios. Umas vezes dizem que o assunto devia ter sido colocado em debate antes de ser decidido, outras afirmam que é prematuro debatê-lo por ainda não ter sido decidido. Quase sempre, tentam deslocar o debate do assunto para o debate sobre quem o alvitrou. Quase sempre também, levantam suspeitas sobre as intenções de quem coloca o assunto em debate. E, quase sempre ainda, insinuam ou acusam mesmo quem pretende debater qualquer assunto de só querer atacar e prejudicar os responsáveis pela política, pela decisão ou medida que se pretende debater.

Pela parte que me toca, garanto que a principal intenção que me move ao colocar qualquer assunto em debate é vê-o discutido e esclarecido, de forma a que todos os interessados possam avaliar com mais dados e informação a bondade da política, da decisão ou medida, que possa ter consequências na nossa vida colectiva. Que cada um tire as suas próprias conclusões sobre as decisões tomadas pelos órgãos com competência para as tomar. 

“A CRISE POLÍTICA EVAPOROU-SE”?

Quem tenha estado sem acompanhar as notícias nas duas últimas semanas e tenha voltado a lê-las ou a ouvi-las terá ficado, no mínimo, confuso e perplexo, ao ouvir o PR afirmar que “a crise política evaporou-se”. Mais confuso e perplexo terá ficado ainda ao perceber que esta afirmação foi feita na sequência das audiências com os partidos políticos representados na AR, porque, se o PR decidiu ouvir os partidos, é porque havia alguma coisa de muito grave. Mas o próprio PR fez aquela afirmação, acrescentando que “a crise política evaporou-se” da mesma forma que surgiu, como se fosse um balão.

Esta é politiquice, através da qual os “actores” políticos dramatizam uma situação, atribuindo responsabilidades uns aos outros, para depois, de se verificar que não houve drama, todos tentarem tirar dividendos, argumentando que se não fossem eles teria mesmo sido um drama…

Nesta “peça” agora encenada e representada o que é que, de facto, mudou na vida das pessoas? Eu sei que me podem responder que muito teria mudado se tivessem sido aplicadas sanções a Portugal. Mas também sei que, se não fosse a politiquice e se todos se tivessem realmente empenhado em defender o país em vez de manobrarem para sair vencedores do joguinho, não teria havido “crise política”…

Este é mais um contributo que os “actores” políticos dão para afastarem as pessoas da política.

AGDA INVESTE PARA “GARANTIR A QUALIDADE, CONTINUIDADE E EFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS QUE PRESTA”

270720161727-48-Aguaspublicas.JPG

A AgdA- Águas Públicas do Alentejo apresentou seis candidaturas no valor global de 44,1 Milhões de euros ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

A Águas Públicas do Alentejo anuncia que nesta fase foi dada prioridade  aos municípios onde os sistemas “não garantem a fiabilidade do serviço de abastecimento ou a qualidade da água fornecida”. São os casos de Mértola, Castro Verde, Almodôvar, Beja, Odemira, Ourique e Santiago do Cacém. A empresa também perspectiva investimentos para Barrancos, Moura e Serpa.

No que respeita ao saneamento de águas residuais foram já aprovadas pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos outras seis candidaturas, referentes à construção das ETAR de Beja, Grândola, S. Teotónio, Montemor-o-Novo, Amareleja e Senhora d’Aires, num valor de 17 Milhões de Euros, também para executar até 2018.

É ESTA AGORA A POSIÇÃO DA CDU SOBRE DEMOCRACIA E GESTÃO PARTICIPADA?

O presidente da Câmara de Beja afirmou, na reunião de Câmara de 15/06/2016 (páginas 6 e 7 da ata), que “… não é nas Portas de Mértola nem na sede do PS, ou PCP, ou Bloco de Esquerda que isto se trata mas sim na autarquia e foi para isso que foram eleitos” e que "o executivo está aqui fruto da democracia”.

Ficamos, assim, esclarecidos acerca dos conceitos de democracia e gestão participada do presidente da Câmara de Beja, ou seja, porque o executivo foi eleito democraticamente, não tem nada de discutir os assuntos fora das reuniões da autarquia, mesmo que não tenham constado das promessas eleitorais e alterem o que antes tinha sido aprovado. 

Tendo em conta o que sempre defendeu em relação ao estilo de trabalho dos seus autarcas, só nos resta perguntar se será agora esta também a posição da CDU sobre a democracia a gestão participada.

PCP DEFENDE QUE O GOVERNO DEVE ASSUMIR COMPROMISSOS COM A REGIÃO

manchete_text_290920150959-356-DSC_0322.JPG

O PCP defende que o Governo deve assumir compromissos e que seria importante para a região que fosse efetuada uma calendarização, onde os mesmos fossem contemplados, a médio prazo, referindo-se às questões da mobilidade no distrito.

Estas afirmações foram efetuadas pelo deputado do PCP, eleito por Beja, no balanço do trabalho desenvolvido na 1ª sessão legislativa, da XIII Legislatura.

Os três projetos de resolução com recomendações relacionadas com infraestruturas e mobilidade, rodoviária e ferroviária, e as questões aeroportuárias que o PCP entregou na Assembleia da República serão discutidos na próxima sessão legislativa, que começa em setembro.

OS VERDES EM BEJA PARA REUNIÃO COM ADP E DEBATER TTIP

CARTAZ TTIP - Beja.jpg

Amanhã, dia 27, uma delegação de Os Verdes que, inclui o deputado José Luís Ferreira, reúne com a Associação para a Defesa do Património Cultura de Beja, em Beja, a convite desta, para debater temas como o abandono quanto aos transportes ferroviários e a desertificação da região, entre outros.

No mesmo dia, Os Verdes organizam, também em Beja, pelas 21.30h, um debate sobre o TTIP – Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento e os perigos que representa para o nosso país, a realizar na Pracinha (Praça da República, Beja) e no qual marcará presença o deputado ecologista.

 

Pág. 1/9

Comentários recentes

  • Anónimo

    Cuidado não morda a língua....ó Zobaida.

  • Anónimo

    Ó Zobaida, se reparou nisso também deve ter visto ...

  • Zobaida

    O Dr. não está parecido...

  • Zobaida

    Deu mais valor a essas coisas do que ao Hospital o...

  • Anónimo

    É pena não se dar o devido valor a quem ( uma das ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds