Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

NÃO LIXEM O FUTURO

É um lugar comum dizer-se que as crianças são o futuro. É uma verdade à la Palisse.

Porque são o futuro, as crianças devem ser o melhor tratadas que for possível. Devemos investir nelas tudo o que pudermos.

Parece tratar-se de uma questão consensual e arrumada mas não é. Em resultado de políticas erradas, designadamente dos governos da direita, acontecem situações, que parecem surrealistas mas que infernizam as vidas das crianças e das suas famílias.

Um professor entrou de baixa por um período previsível de duas semanas. Esperava-se que, como era pratica corrente, fosse substituído por outro colega, os chamados professores de substituição. Mas não! Porque a lógica da gestão pública que impera é a da redução de custos e quanto mais cortarem mais as gestões são apreciadas pelas tutelas, não existem mais, pelo menos em número suficiente, professores de substituição e os alunos do professor que entrou de baixa são distribuídos por outras turmas, incluindo de anos diferentes. E os alunos com necessidades educativas especiais (nee) são "depositados" na sala de multideficiência. E a complicar ainda um pouco mais a situação, nalguns casos, os professores de ensino especial, em número insuficiente (4 em 11 necessários) são convocados para as referidas substituições, deixando os alunos com nee totalmente entregues a auxiliares de educação, que, por mais profissionais que sejam, não têm a obrigação que aqueles têm. 

Não é desta forma que se cuida do futuro!

"UMA OPORTUNIDADE PERDIDA: A HOMENAGEM QUE FICOU POR FAZER E O DEBATE QUE NÃO TEVE LUGAR."

Nota prévia: a minha participação nestas jornadas (para além de proponente) estava ligada à condição de representante da Assembleia Municipal no Conselho Municipal da Cultura (que, ao que sei, ainda não reuniu no presente mandato), para o qual tinha sido eleito nesse órgão autárquico.

Os mails enviados ao Executivo Municipal :

José Filipe Murteira [j.filipemurteira@gmail.com] Enviada: qui 09-01-2014 18:59
ter 04-03-2014 12:47

av1.jpgJunto envio uma proposta (sujeita a todas as alterações e contributos que surgirem), para uma iniciativa destinada a comemorar os 50 anos da morte de Abel Viana.
Nascido na freguesia de Santa Maria, concelho de Viana do Castelo, em 16 de Fevereiro de 1896, foi nomeado Adjunto do Director Escolar do Distrito de Beja em 1939 e aqui viveu os últimos 25 anos da sua vida. Faleceu na sua casa, na Rua do Esquível, nº 28, no dia 17 de Fevereiro de 1964, tendo sido sepultado, por sua vontade, na cidade que o acolheu.

av2.jpgFoi Director do Museu Regional Rainha D.Leonor e fundador da revista Arquivo de Beja, para além de um brilhante arqueólogo e estudioso, que nos deixou uma vasta e importante obra.
Por tudo isso, julgo que seria uma iniciativa merecida, que honraria a cidade e o concelho, bem como, naturalmente as entidades promotoras, nomeadamente a Câmara Municipal.
Estou disponível para discutir, aprofundar e enriquecer esta proposta que, pelo trabalho que a sua organização exige, julgo que deverá realizar-se em Outubro ou Novembro, integrando-se na programação cultural do Município.

Ler a proposta AQUI.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem razão! No entanto é necessário não perder voz,...

  • Anónimo

    Foram buscar o antigo imperador JR .....dizem que ...

  • Anónimo

    O Imperador está suficientemente saudável para c...

  • Anónimo

    As odalascas vêm com o calor...

  • Anónimo

    Alguém sabe em que dia desfila o imperador, as oda...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds